Top Ten #139 – Hall of Famers pouco exemplares

Sejam bem-vindos a um novo Top Ten, um novo tema, uma nova semana que começa para nos dar cabo da cabeça. Uma última paragem – acredito eu – que se deu antes da Wrestlemania, este fim-de-semana. Mas dele não sei nada. Até me vou focar noutro acontecimento relacionado com a Wrestlemania e com a qual partilha um fim-de-semana: o Hall of Fame.

Todos gostamos de assistir à cerimónia e de ver as nossas lendas favoritas a ser introduzidas. Há sempre o debate sobre quem merece e quem não merece e questiona-se sempre o prestígio de um Hall of Fame que, para já, ainda é apenas simbólico. O que me traz esta ideia é um aglomerado de muitas coisas. Big Boss Man é o mais recente galardoado e tem o seu tom cómico imaginar a personagem que oferece o cão do Al Snow como petisco e vandaliza funerais para roubar caixões ao Big Show a ser homenageada. Claro que o tributo é para o performer e isso são tudo feitos da personagem e que fazem parte do seu legado. O problema é quando acontece alguma coisa fora. Aí é que se complicam as coisas. Ainda para mais quando no wrestling, especialmente em tempos antigos, havia uma tendência em encontrar-se jóias de pessoas. Aqui ficam Hall of Famers capazes de deixar uma companhia em apuros e cujos legados se devem manter nas suas fantásticas carreiras.

10 – Ric Flair

Vá, começa com algo mais levezinho. Não porque Ric Flair seja um paz-de-alma mas sim porque há aqui gajo que faça muito pior. Que o homem é tolo varrido, já isso sabemos bem. Mas ainda se pode gostar dele. E com problemas financeiros e maritais que lhe são associados, acho que se não casarem com ele ou lhe emprestarem dinheiro, estão safos. O seu episódio de “road rage” não lhes parece ter afectado muito e até serviu como material para TV, com Edge a gozar com toda a situação. E os quase incontáveis casos de falência, divórcios e alguma violência doméstica para temperar a coisa já lhe dão uma marca de alguém mais doido que o que aparenta em ringue. E isso é bem difícil. Pelo que se vê, ao menos parece ser um pai atencioso e dócil para com a sua filha Charlotte mas somos obrigados a pensar no que raio já terá essa miúda visto a acontecer ao longo da sua vida…

9 – Mike Tyson

Quando a personalidade em questão nem sequer é um wrestler ou integrou, sequer, um plantel da WWE, é mais questionável ainda. Ainda para mais quando esse alguém trata-se de Mike Tyson, alguém cujo historial polémico já antecede a sua introdução no Hall of Fame em muito tempo. Introduzido na ala de celebridades, Mike Tyson teve uma significativa participação na Attitude Era, num confronto com Stone Cold Steve Austin que mais tarde se revelaria uma aliança, contra os D-Generation X, de quem foi um membro não-oficial até à Wrestlemania XIV. Mais aparições anos mais tarde e uma introdução no Hall of Fame deixam-no na história da WWE para sempre. Alegadamente a combater e a vencer antigos monstros como os seus vícios e auto-controlo nos dias que correm, nada tira do seu cadastro os divórcios conturbados por violência e abusos sexuais e, mais longe que isso, uma sentença por violação que cumpriu durante três anos.

8 – The Iron Sheik

Não existe tal coisa como tento na língua do “Ayatollah”. E é por isso que todos o adoramos. Mesmo com o nível que mantém nas suas mais estridentes entrevistas – ou será devido a esse nível? – que não conseguimos evitar fortes risadas e citações. Ele podia muito bem ser o avô que está sempre chateado e que diz umas coisas que não deve. Porque é precisamente esse o problema de Sheik e do qual ele se parece andar a esquivar até agora. Sim, o seu passado com drogas também é forte e ele fala muito abertamente das suas aventuras – aquele malandro do Jake Roberts tem medo de levar cocaína para atravessar a fronteira, o Sheik faz-lhe o favor e o Jake não partilha a coca a meias e dá-lhe só um bocadinho? Ai o sacana! O problema é que nas suas “rants”, Sheik não tem qualquer travão nos termos que utiliza. A linguagem é sempre “TV-MA” mas não foram isoladas e únicas as vezes que ele recorreu à infame palavra “N” de conexões raciais ou ao termo “F” ofensivo para com homossexuais. O mais engraçado é que ele não o faz com total maldade. Ele quer insultar apenas a pessoa em particular a quem chama isso. É contra o racismo e defende homossexuais a todo o custo. Se se refere a alguém como um “no good jabroni c*cksucker f*ggot”… É aquele em particular. Muito fino ele não é, logo pode-se confiar nisso. Mas tendo em conta o peso que essas palavras têm e o agite que causam actualmente… Acho que ele só se tem safado por distracção!

7 – Carlos Colón

Um caso diferente. Este é pouco falado e é apenas um rumor. Por acaso é algo que não mencionei na introdução. Por vezes uma estrela pode ficar manchada por algo que não foi confirmado e que pode não passar de fantochada. E deste nem se fala assim muito do caso, daí que seja uma nódoa mais disfarçada e desbotada. Até porque nem é à volta dele que gira a história em questão. Personagem muito polémica era Bruiser Brody. Arranjava problemas com todos, desatava ao shoot ou ao “no sell” a meio de um combate sem grande justificação, arranjava problemas com todos, era tão ou mais violento fora do ringue como dentro dele. Arranjava inimigos com muita facilidade. Já não está entre nós e o que ficou estabelecido e oficializado é que foi assassinado. Com Tony Atlas como testemunha, aceita-se como certa a história de que o lutador José González – não confundir com o Giant – o apunhalou. E safou-se de uma pena pesada por ter agido em legítima auto-defesa. Recorrendo a uma referência mais obscura, pode dizer-se que é um caso à Varg/Euronymous. Onde entra Carlos Colón no meio disto tudo? Na parte em que recordamos que Brody tinha muitos inimigos. E que talvez esse homicídio não fosse tão em auto-defesa como se diz. Já correu um burburinho de conspiração. Liderada por quem? Carlos Colón. Não ajuda nada que, após a sua morte, Colón tenha feito comentários frios de contentamento pelo óbito. Nós não queremos olhar para o pai do Carlito dessa forma. That’s not cool!

6 – Sunny

Pobre Chyna, encontra-se em desespero. Tanto ela se quer redimir perante os seus antigos empregadores, especialmente o seu ex-companheiro Triple H, que agora tem poder naquilo. Rebaixa-se, pede ajuda aos fãs, etc. E tem muitos fãs que defendem o seu direito de estar no Hall of Fame como uma das mais importantes competidoras femininas na história de todo o wrestling. Também eu lhe reconheço os méritos. Mas uma das formas como manchou a sua carreira foi ao ingressar num novo ramo de filmes que nem sempre são vistos inteiros e após acabados deixam o espectador com embaraço e ódio a si mesmo. Esses filmes. Chyna protagonizou vários filmes pornográficos, incluindo um onde parodiava a WWE. E Triple H defende que não a quer no Hall of Fame, pelas filhas, que procurarão por ela na Internet e encontrarão essas coisas. Nem é nada ingénuo ele, ao achar que só isso as impede de encontrar tal. Muito bem, então. E se procurar pela Hall of Famer Sunny? Ora, deve encontrar umas imagens desagradáveis e uma tabela de preços! Após ser mais uma a bater no fundo, recorreu ao infame e reles método de usufruir do corpo para uns trocos. No baixo método da colegial falida, partiu para o Skype fazer sessões eróticas a cobrar para satisfazer algum fã que ainda estava a ver a Sunny de há 20 anos atrás. Já é mau que chegue, mas foi há pouquíssimo tempo que ela quis dar mais um passo e entrar completamente – ARGH! – na indústria ao comercializar também o seu vídeozinho pornográfico caseiro pelo qual ainda não saciei curiosidade porque ela não existe. Pronto, Triple H, como explicas que se mantenha a Sra. Sytch mas a Chyna, não? É mais fácil do que introduzir a tua ex-namorada que agora é actriz porno e chegar a casa e explicar o sucedido à tua mulher, que acontece ser uma reles como a Stephanie McMahon? Ah pronto, compreendo, meu amigo…

5 – Pat Patterson

Não só é um Hall of Famer consagrado como tem um papel importantíssimo como agente na WWE actual. Lenda incontornável, o inaugural Campeão Intercontinental também não se safou dos seus escândalos no seu tempo. Algo que nunca foi totalmente confirmado ou que pode ter sido disfarçado com o tempo. Passar-lhe um paninho por cima. A sua homossexualidade já é pública há bastante tempo, há bem mais tempo do que a sua revelação no “Legends’ House” onde se assumiu perante outros Hall of Famers que se tinham de fazer incrédulos e surpreendidos para as câmaras. Mas isso não é problema nenhum, longe disso. O problema que já se lhe apontou é de, já com um cargo de poder na companhia, andar a fazer favores e a dar ajudas a talentos aspirantes. Mas esses favores tinham que ter algo em troca e é aí que entram acusações mais graves. E os seus alvos eram sempre jovens… Muito jovens. Por vezes meros miúdos recém-saídos de treino ou ainda nessas vias. Acusações feitas por Barry Orton – tio do Randy – a Terry Garvin e que acabaram por arrastar Patterson para o mesmo. Patterson voltou a ser aceite pela companhia por ser considerado inocente e um alvo fácil devido à sua homossexualidade – infelizmente ainda existem agora muitos iluminados que associam directamente homossexualidade a pedofilia, quanto mais antigamente. Mesmo Barry Orton confirmou que nunca o viu a fazer nada. Hoje é uma figura imensamente respeitada e não há qualquer sinal de abusos, avanços ou outras inconveniências que lhe possam tentar manchar o nome outra vez.

4 – Ultimate Warrior

Introduzido no Hall of Fame após muitos anos de animosidade. Falece no dia seguinte a uma aparição no Raw logo após tal introdução. Duro, surpreendente e triste. Seguiram-se os tributos e as recordações da sua carreira, dos seus feitos, da sua influência. Todas as vénias merecidas mas, de modo geral, não anulou a sua má fama como pessoa e cuja sanidade mental já tinha sido tantas vezes questionada. Com um blog dedicado a “rants” de pouco sentido, Warrior era associado a problemas não tão graves como a dependência de esteróides e outros piores como o racismo e a homofobia. Chegando ao ponto de se tornar um activista contra a homossexualidade, espalhando uma parva mensagem ultra-conservadora que não cabe na cabeça de ninguém inteligente no século presente. Chegava a pontos inexplicáveis de desvalorizar a trágica morte do “British Bulldog” Davey Boy Smith, considerando-o um desperdício de oxigénio. Ainda menos explicável como quase glorificou a morte do grande actor Heath Ledger, muito devido ao filme “Brokeback Mountain” que retrata uma controversa relação homossexual. Mas dizia ele que o problema nem era esse, que ele até gostou do filme. Mas a sua reputação estava longe de ser das melhores. Diz que se redimiu a tempo de entrar no Hall of Fame. A curta vida que restou após esse feito sugere que tenha sido uma redenção consciente!

3 – Donald Trump

Soa a um nome familiar, como se andasse nas notícias ultimamente. Candidato Republicano às presidenciais dos Estados Unidos onde está a chocar muitos que viam a candidatura como uma piada mas assistem em horror a um domínio e a uma popularidade que o leva a liderar no partido e a vencer em vários estados. É assim tão horripilante ter um WWE Hall of Famer como presidente? Não é por aí, Bret Hart para presidente, dos Estados Unidos, do Canadá, de tudo! É mesmo pelos seus ideais duvidosos que têm deixado muito povo Americano e do mundo fora pasmado com a sua popularidade e com a quantidade de povo que ainda existe que tanto se identifica com as suas visões mais ridicalistas e ainda as amplifica. Destacado por discursos com linguagem vulgar, comportamentos violentos de apoiantes, apoio e endosso de ceitas perigosas e neo-nazis e medidas prometidas que já foram capazes de alienar Muçulmanos e Hispânicos, dos quais se quer livrar com o mais irrealista dos métodos. E como é que a política Americana vem aqui parar? Porque maldita seja a ala das celebridades do Hall of Fame!

2 – Jimmy Snuka

E entramos na ala negra. Negra porque foi a apanhada na onda de pânico que obrigou nomes a ser apagados do Hall of Fame e a recorrer a omissões. O caso de Jimmy Snuka foi apenas um desenterro de um caso já muito antigo. E que já levantou questões quanto à sua inserção no Hall of Fame, já no seu tempo. Teremos que recuar para 1983 para a misteriosa morte da sua mulher Nancy Argentino. Circunstâncias bizarras e um homicídio à vista. O principal suspeito: Jimmy Snuka. Ainda não se conhece a verdade, mas a sua culpa ou possibilidade dela foi algo que nunca se descartou e que carregou sempre consigo. O que Vince também carregou sempre consigo foi o seu testemunho a defender Snuka, algo que muitos consideram “encobrir” em vez de “esclarecer”. Passaram-se anos, Hall of Fame, uma filha de outro casamento a das cartas com o seu nome e, em finais do ano passado, tinham que reabrir o caso e detê-lo! Tiveram que recorrer àquele método: retirá-lo das nossas vistas, do Hall of Fame, omitir o seu nome. Tarde demais, já lá o colocaram, de lá não o queremos tirar. Ao menos a filha não saiu prejudicada. Apenas é referida como somente “Tamina”, omitindo o sobrenome e com o “Superfly” a ser reduzido como finisher.

1 – Hulk Hogan

Aí está ele! Mas quem reina nisto tudo? O que começou a brincadeira de se retirar gente do Hall of Fame. Aquele que tornou os escândalos uma coisa do presente outra vez. O que ele fez foi grave? De pontos de vista éticos sim, o que disse foi errado, qual fosse a sua intenção. É mais grave que abusar de alguém sexualmente ou matar alguém? Claro que não. Mas algum dos escândalos das outras posições teve o mesmo impacto dentro ou fora dos ringues como este teve? O tal tratamento de “UnPerson”, pedindo o termo emprestado à obra-prima literária “1984”, aconteceu a alguma figura de maior dimensão, com um nome, legado e história maiores? É aí que a coisa se amplia para a primeira posição. Até porque tenho a certeza que foi o primeiro nome que veio à cabeça quando se falou no tema – pronto, ali a imagem de capa deu uma ajuda, mas confessem lá. Hulk Hogan já tem uma carreira envolta em polémicas como ninguém, meteu-se na alhada da “sex tape” e no ano passado queimou o resto quando gravações de uma queixa sua onde larga umas polémicas “slangs” raciais surgiu ao mundo. E enquanto isso surgia, ele desaparecia. Do Hall of Fame, da WWE Network, algo que soará sempre surreal. Hulkamania morta? Não sei. Se acho que ele recuperará o seu legado? Acredito que sim. Se será esquecido e as piadas à sua volta desvanecerão? Nem por isso. Acontece num futuro próximo? Não. Muito menos numa semana após termos imagens de um julgamento em tribunal com o senhor em questão a discutir o tamanho do seu pénis. Não é assim que vamos lá! A lado nenhum!

E com estas dez lendas fecho mais uma edição do Top Ten. De nenhuma maneira pretendo deitar abaixo estes performers ou danificar os seus legados. Existem questões em aberto ou problemas pessoais não sujeitos a julgamento. E noutras situações, sou bem capaz de separar os seus demónios pessoais dos seus feitos no ringue. E tenho o maior respeito pelo que todos já desenpenharam no ringue. E sim, digo isso com a total consciência de que não dá para incluir o Donald Trump aí. Temos pena! De qualquer forma podem sempre – e devem, participar é fixe – comentar estes casos, o que acham deles e se lembram mais algum. Podem também abrir o debate sobre a questão da remoção do Hall of Fame e do seu prestígio e de diferenças de tratamentos de uns para outros. Como sou um gajo bem comportado, ninguém me retira daqui e penso cá estar de novo na próxima semana se me receberem. Até lá, nada de seguir o exemplo destes cavalheiros e senhora, fiquem bem e abram lá as portas para a Primavera que aí vem!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

14 Comentários

  1. Anónimo - há 9 meses

    Com dois divórcios a Charlotte tá herdando do pai o lado da vida pessoal também…

  2. Dave Boy - há 9 meses

    Não sei se tem relação mas no canal do Xavier Woods upupdowndown, o kofi kingston havia sido apelidade de “superfly” porém atualmente seu apelido é “24/07”

  3. RFBM - há 9 meses

    Excelente Top Ten.

  4. HHH - há 9 meses

    Só uma nota aparte, fui o unico que vi o Michael Cole dizer o nome de Hulk Hogan durante o Main-Event do Roadblock?

  5. Marques - há 9 meses

    O caso do Patt Patterson é extremamente grave. O Rody Piper, numa das entrevistas que deu antes de morrer, deu a entender que também foi vitima de abusos por parte do Patterson. Ele afirmou que ele o chegou a colocar em situações bastante “estranhas” e desconfortáveis. Apesar de ter dito que não foi obrigado a fazer nada, ele parecia bastante abalado enquanto falava no assunto.

  6. Hildo - há 9 meses

    Muito bom, Chris, Parabéns.

  7. Onde está o Scott Hall? :p

  8. 12cm - há 9 meses

    Existe uns rumores, que circulam na internet, que Randy Savage violentou Stephanie McMahon quando mais nova.

  9. Sorlei Rui Oltramari - há 9 meses

    Grande, Chris. É sempre bom ver os seus Top Tens, pois são sempre muito bem feitos e com assuntos ótimos. Aproveitando o tema mais Old School, sugiro que faças um Top com as maiores Lendas Urbanas do Wrestling que correm pelo backstage e pela internet afora.

    A respeito do Paterson, a sua homossexualidade rendeu diversos rumores. Pessoalmente, acho que todos são mentira. Pat quebrou um tabu e isto fez com que os caras inventassem todo o tipo de boatos. Havia um que dizia que ele teve um envolvimento amoroso com Harvey Wippleman e que Brooklyn Brawler era seu amante secreto durante anos.

    Quanto aos outros, variam de gravidade. O Shiek é divertidíssimo e suas entrevistas shoot, há tempos, são das melhores coisas que há. Hogan é um caso que, cedo ou tarde, irá retornar e todos serão felizes. Warrior, infelizmente, já se foi e quanto a Snuka, sinceramente, não sei o que pensar. Não creio que tenha sido ele, pois nunca pareceu ser um tipo capaz de tal ato, mas já não duvido de mais nada desa gente da WWE.

  10. Miguel Carlos - há 9 meses

    Excelente artigo, concordo com tudo.

  11. Eugen3 - há 9 meses

    Ainda no outro dia vi um título de um vídeo no youtube e tu voltaste a tocar no assunto com a Sunny.
    Dá para fazer um TopTen de Wrestlers que continuaram uns em cima dos outros, mas com outros propósitos?

  12. Murilo The Big Genius - há 9 meses

    SCSA tbm já aprontou bastante…

  13. Half man half amazing - há 9 meses

    Acho absolutamente ridiculo a wwe retirar pessoas do Hall of Famme por situações como estas. Eles estão ali por aquilo que fizeram dentro da companhia nao fora dela, tal como um jogador de futebol ganha à bola de ouro pelo que faz dentro do campo e nao pelo dinheiro que deu a tal associação ou pelo educado que é nas conferencias de imprensa. É preciso distinguir as personagens imortalizadas na wwe com os seres humanos que cometeram erros fora da companhia. Simples assim e é por isso que por mim Chris Benoit e essa malta toda estavam la segurissimos nos melhores de sempre. Aliás antes lá esses que um conjunto de hall of famers que nem um titulo mundial tem no curriculo.

  14. OwensBestOfWWE - há 9 meses

    Faltou um Shawn Michaels ai.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador