Top Ten #18 – Muito trabalho numa noite!

Bem-vindos a mais um Top Ten. Confesso que encontrei alguma dificuldade em confeccionar este Top porque não tinha certeza quanto ao tema e assim que aproveitei o quão exaltado e agradado estava com o destaque dado a Daniel Bryan no último Raw, tive a ideia de listar lutadores que tiveram que “trabalhar horas extras” e estavam com as mãos cheias de adversários numa só noite. Isto divide-se em combates Gauntlet, torneios ou alguma situação em que alguém se envolva em duas coisas. Não dos mais fáceis de fazer, mas vejamos lá o que saiu daqui.

10 – Bret Hart

Muito simples: qualquer um que tenha vencido o “King of the Ring” em PPV ou tenha chegado às meias-finais pelo menos, dava para este Top. Mas assim era foleiro, enchia isto de Kings of the Ring e chamava-lhe outra coisa. Portanto dou o lugar do fundo a um só homem participante e dou-o ao primeiro a ser coroado em PPV: Bret “The Hitman” Hart. E porque, para já, ainda foi o único PPV “King of the Ring” que já tenha visto. Muita porradinha levou ele às mãos de Razor Ramon, Mr. Perfect e Bam Bam Bigelow, tendo sido capaz de sair por cima em todas as ocasiões e vencendo o torneio. O representante de todos os Kings of the Ring neste Top…

9 – Dolph Ziggler

Por duas ocasiões, dois PPV’s seguidos em 2011 que vimos a cara de Ziggler a constar no card por duas vezes. Pensávamos nós que finalmente iam dar o devido destaque ao “Show-Off” mas ainda não foi dessa, ele ainda teve muitos altos e baixos depois disso. O primeiro caso, no Vengeance desse ano, foi devido à falta de uma divisão Tag Team. Primeiro, a sua equipa com Jack Swagger perderia para os Air Boom, num combate pelos títulos e logo em seguida, Ziggler lá conseguiu derrotar Zack Ryder para manter o seu título dos Estados Unidos. Um mês depois, no Survivor Series, ele voltaria a repetir a proeza: derrotar John Morrison para reter o seu cinto e mais tarde, constar no combate Tag Team tradicional. É certo que ele mal cheiraria esse combate e mal entrava, estava a comer um RKO para ir para o duche, mas não deixou de ser um “double duty”. Assim se marcou uma fase em que Ziggler era um autêntico “workhorse”. Oh wait, ele sempre foi…

8 – Mark Henry

Um caso recente. Com JBL a puxar os cordões, no Main Event, Mark Henry aceitou o desafio de enfrentar 4 Superstars num cansativo Gauntlet que comprovaria a supremacia do World’s Strongest Man. Começaria por arrumar os Usos, um de cada vez, seguindo para o pobre coitado do Santino Marella e acabando no Great Khali, de quem fugiria, devido à demasia de skill técnico do gigante de Punjabi. Situando nas histórias de hoje, será que Mark Henry conseguiria aguentar os The Shield?

7 – Eddie Gilbert

Um trágico caso de morte prematura aos 34 anos, mas é um entre muitos. No entanto, teve alguns momentos notáveis na sua carreira, como por exemplo, estar lá no nascimento da Eastern Championship Wrestling, antes desta se tornar a ECW que conhecemos e trabalhando lá como booker principal. Mas antes disso, já tivera experienciado wrestling mais hardcore e violento na Tri-State Wrestling – uma independente que serviu como uma espécie de protótipo para aquilo que a ECW se viria a tornar – onde chegou a competir, num evento em 1991, numa espécie de “3 Stages of Hell”, antes disso existir, aqui era mesmo tratado como três diferentes combates. Gilbert perdeu um Falls Count Anywhere, venceu um combate Stretcher e acabou empatado num combate de jaula. Tudo combates extremos e que atraíram a atenção da malta. Mas é claro que para incluir aqui Gilbert, tenho que incluir o outro homem com quem partilhou essa proeza…

6 – Cactus Jack

… E esse homem é, nada mais, nada menos que Mick Foley na sua “persona” mais violenta. Uma boa feud esta entre Eddie Gilbert e Cactus Jack que constará na memória de muitos fãs antigos de wrestling independente. Os 3 combates atraíram a atenção da malta da WCW e foi o que levou Foley/Jack a ser contratado pela companhia de Turner…

5 – John Cena

Isto é quase automático, sem precisar de pesquisa. Um combate “gauntlet” de um homem é sempre algo difícil, algo duro, superar vários adversários seguidos é um feito heróico… Acham mesmo que isso ia acontecer sem envolver o Cena? Quase que nem é preciso procurar exemplos, mas pode-se dar o caso de 2010, antes do Hell in a Cell que definiria a entrada de Cena para os Nexus, daria-se o combate entre Cena e Barrett no Raw… O que acabou por passar a ser um Gauntlet contra os outros 4 membros do grupo – o Skip Sheffield já se tinha lesionado e já andava a treinar uma catchphrase nova – que foi como uma brisa para o Cena. Ainda no mesmo ano, antes da Wrestlemania, um caso bizarro com Vince McMahon em que este tinha sempre um parceiro novo a entrar. Não conta bem como Gauntlet porque as regras daquilo eram confusas. Mas o resto até deixo a vosso cargo… Em que outra situação é que Cena enfrentou e derrotou mais do que um homem na mesma noite, que nem um SuperCena para variar?

4 – Randy Orton

Mais uma vez, ter de recorrer ao Gauntlet em vez de vários combates propriamente ditos. Numa altura em que Randy Orton era Campeão da WWE e andava numa rivalidade dura com Triple H, passando por um 3 Stages of Hell no The Bash, Batista utilizou os seus poderes como “guest host” para colocar Orton num Gauntlet contra 3. Um caso estranho em que o Heel poderia parecer heróico, mesmo que isto fosse um castigo. Randy superou Evan Bourne, superou Jack Swagger, mas teve menos sorte com um cavalheiro que já apareceu neste ranking, Mark Henry. Agora a pergunta: quantas Gauntlets dá para fazer com o tempo que o Randy leva a chegar ao ringue?

3 – Triple H

Mais um Gauntlet, desculpem lá. Mas a reunião dos DX partiu daqui. Numa altura em que Shawn Michaels andava a ser castigado com combates Handicap com os célebres Spirit Squad, chegou a vez de Triple H virar-se contra Vince McMahon e os cheerleaders e receber o seu castigo: um Gauntlet contra todos os membros saltitantes, com um tal de Nicky lá no meio, que será feito desse. Como seria de esperar, não foi um combate levado a fim e a rebaldaria instalaria-se. Mas deu para reunir os DX. Porquê uma posição tão alta para um combate não tão extraordinário? – e, quem sabe, falham-me as pesquisas e o Triple H até já fez melhor que isto. É do meu tempo. Eu markava demais para estes DX e um acto todo heróico como este era de me deixar a saltar no sofá…

2 – Daniel Bryan

Tive que deixar uma posição alta bem especial para este indivíduo, pelo entusiasmo que isto me proporcionou. Enésimo “Gauntlet” que incluo aqui nestes 10, mas este está fresco e foi belo de se ver: tivemos mais de meia hora de Daniel Bryan em competição. E a elevá-lo ao céu, finalmente o seu talento a ser reconhecido… E estaremos a ver o moço barbudo a elevar-se ao estatuto de Face de topo? O certo é que tenho adorado o push a Bryan e a forma como o têm feito parecer fortíssimo… A forma como superou Swagger e Cesaro – o combate entre estes… não são necessários comentários – e como resistiu a um brutal ataque de Ryback… Que venha tudo e muito mais para D-Bryan…

1 – Chris Jericho

Acho que já estava subentendido no título do artigo quem seria o primeiro classificado. Vá lá que este não é outro Gauntlet, mas é um dos acontecimentos mais épicos na história da WWE. Outro caso de um gajo dos mais “pequenitos” a ter supremacia merecida. No Vengeance de 2001, pela altura da história da “Invasion” e enquanto se batalhava com os títulos da WWF e da WCW com o intuito de os unificar, Chris Jericho foi o homem capaz de sair por cima contra as duas galinhas de ouro da companhia: The Rock, pelo “World Championship” como chamavam simplesmente ao cinto da WCW e Stone Cold, que também já derrotara Kurt Angle na mesma noite, logo fica aqui uma menção honrosa, pela unificação com o título da WWF. E assim, Y2J tornava-se o primeiro “Undisputed Champion”, uma honra que ninguém lhe tira, cimentando o seu nome na história e garantindo o seu lugar no Hall of Fame no futuro. Um legado forte suficiente para não ser manchado pela sua missão recorrente de lançar a malta jovem…

E foi este o Top Ten que vos apresentei esta semana. Talvez não o melhor, e talvez encochabado de forma algo estranha, com muitos Gauntlets e entradas que podiam ser unificadas. Para quem andou a semana toda a matutar um assunto e acabou por fazer isto tudo num só dia, até nem me sinto tão mal, mas espero que tenham gostado. Se quiserem melhorar o artigo, fazem o mesmo que vos encorajo sempre a fazer, acrescentem as vossas ideias, talvez se lembrem de algo mais que Gauntlets! Para a semana, regressarei se nada me impedir.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

10 Comentários

  1. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Gostei muito deste “Top Ten”

    A disposição do “Top” pareceu-me bem.

  2. famartinho - há 3 anos

    Boa organização do top e, evidentemente, Jericho em 1º lugar.

  3. Miguel Silva - há 3 anos

    Tu tens uma imaginação que não está ao alcance de qualquer um. Mais uma vez muito bom top :)

  4. danielLP21 - há 3 anos

    Chiça, estava a ver que te ias esquecer do Chris Jericho. Mas não, lá apareceu ele no merecido e óbvio primeiro lugar. Hoje parece ser o dia do “Y2J” aqui no Universo. Eu compreendo, duas semanas sem ele parecem uma eternidade…

  5. Zé Pedro - há 3 anos

    Sinto que te esqueceste daquele Triple H no No Mercy 2007 quando enfrentou na mesma noite o Randy Orton (2x , 1x Last Man Standing) e o Umaga , todos os combates pelo WWE Championship.

  6. Carlito - há 3 anos

    Em vez do Bret Hart, eu punha o Kurt Angle e os seus 3 combates no King of The Ring, 2 no torneio contra Christian e Edge, e uma Street Fight contra Shane McMahon de 30 minutos.

    Bom artigo.

  7. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Mais um bom Top Ten, acho que foid esta que te viste mais apertado para nos trazeres o artigo contudo conseguiste o e com mais uma vez excelente qualidade. Parabens

  8. BRRM - há 3 anos

    Gostei muito deste top. Podiam também estar no top o Kurt Angle por causa das 3 lutas no KotR e o “Macho Man” Randy Savage pelos 4 combates na wrestlemania 4

  9. Rúben Rosa - há 3 anos

    Eu gosto do facto de te teres lembrado do Eddie Gillberg-“The King of Philadelphia!

    Bom artigo

  10. Gabriel Fontes - há 3 anos

    “Y2J” como sempre sendo monstruoso, nada mais merecido e concordo com você nesse Top Ten.
    Eddie Gilbert por essa eu não esperava mais ele merece muito.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador