Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Wrestling, Diz Ele #28 – Os Maiores Momentos de 2013

Mais um ano a terminar, e que ano para a WWE. Este é a última edição do Wrestling, Diz Ele; este ano, marcado por alguns altos e baixos devido a problemas de saúde, pessoais e profissionais como bem sabem. De qualquer forma, cada semana que apresentei, à semelhante desta, um artigo com opinião minha bem como a opinião de um escritor internacional, foi sempre no sentido de orientar ideias novas para vocês, leitores do Wrestling.pt. Pois bem, se tomarmos em conta eventos isolados, que marcaram o ano de 2013 na WWE, até que podíamos contestar até que ponto foi um ano marcante para a empresa de Stanford, com determinados problemas relevantes que necessitam de resolução rápida. Mas antes de alguns problemas, que já vêm detrás, de outros tempos, com 2014 a 1 dia de distância, eis um review do ano de 2013 e dos momentos mais marcantes:

13. Goldust vs Randy Orton

Goldust vs Randy Orton

Quando foi anunciado que Goldust competeria na WWE contra Randy Orton numa tentativa de ganhar um contrato para o seu irmão Cody Rhodes, os fãs rejubilaram de satisfação. Facto é que ninguém esperaria que este atuasse num nível tal que permanecesse na companhia durante os últimos quatro meses, de tal forma que, muitos arriscam-se a dizer que Dustin Runnels encontra-se na melhor fase da carreira desde os tempos da velha Attitude Era.

Facto é que o combate foi dos combates mais inteligentes e melhor estruturados de uma RAW em 2013 e que provou a capacidade de Goldust aproveitar a oportunidade certa, na hora certa, no momento certo. Para além disso, em finais de Outubro, Goldust e Cody tornaram-se os Campeões de Tag Team da WWE num movimento de rejuvenescimento da divisão tag team, algo que tem-se verificado nos últimos tempos.

Vídeo: http://youtu.be/kYrPRUiKlzM

12. Cash-In Lost – You’re Welcome!

Seja em que for que John Cena esteja envolvido, uma coisa é certa: controvérsia. E pois bem, o dia 28 de Outubro de 2013 não fugiu à regra. Cena tinha acabado de se tornar o novo Campeão Mundial de Pesos Pesados quando Damien Sandow decidiu cobrar a mala Money in the Bank para uma possibilidade de combater pelo título à sua escolha. Ora, apesar dos esforços deste para retirar o título a um John Cena algo debilitado, facto é que Cena levou a melhor sobre Sandow. Pois, tal como já é recorrente, a brigada Anti-Cena desdobrou-se em comentários como “ultrapassar os obstáculos mais uma vez” ou “Super-Homem de volta” mas esqueceram-se de ver que Sandow acabou por sair do combate melhor do que tinha entrado. Por um motivo simples: teve a um passo de realizar o seu sonho, teve uma oportunidade no meio de uma streak de derrotas. O grande problema foi que a equipa de bookers da WWE não aproveitou o combate destacado para relançar Sandow o que fez que este acabasse… bem, palavras para quê? Vejam a última RAW, a de Natal.

Vídeo: http://youtu.be/KuOEVbV70DU

11. Illinois Double-Turn

Em vésperas de 16 de Junho de 2013, Dolph Ziggler era um heel arrogante, convencido que apenas se tornara Campeão Mundial de Pesos-Pesados ao fazer o cash-in em Alberto Del Rio, na noite após a Wrestlemania. Por outro lado, Del Rio era um Campeão honorável cuja mudança de atitude levou-o ao sucesso pleno nos inícios de 2013.

No entanto, a meio do combate no Payback deste ano, Del Rio começou a destruir a cabeça de Ziggler com ataques repetitivos, isto após este ter tido uma grave lesão que o colocara fora de ação durante dois meses. Ora, Ziggler começou a lutar valentemente, apesar de mal se conseguir pôr de pé enquanto Del Rio continuava o massacre.

O ponto interessante neste dia foi que do nada o público de Chicago virou-se contra Del Rio, que curiosamente não fez nada fora da legalidade e do que ditava o regulamento “babyface” do wrestling profissional. A conclusão disto tudo? Del Rio tornou-se odiado e alguém que não olhou a meios para atingir os fins enquanto que Ziggler tornou-se um atleta respeitado, uma figura heroica que lutou até não poder mais. De certa forma, este é capaz de ter sido a par de outra situação que envolveu Mark Henry, o booking mais inteligente por parte da WWE no ano de 2013, apesar de atualmente, quer Del Rio quer Ziggler não estarem no seu auge.

Vídeo:

10. The Rock e Punk trocam palavras sobre o Título da WWE

The Rock and CM Punk Promo

“Your arms are just too short to box with God”.

Com essa frase apenas, CM Punk, a 7 de Janeiro de 2013, teve o Universo da WWE nas suas mãos e preparado para fazer com que milhares de indivíduos dessem uns valentes dólares para assistir in loco à defesa do Título da WWE entre Punk e o “Great One”, The Rock.

E falando em Dwayne Johnson, este acabou por ser obrigado a sair da sua zona de conforto, deixou a maioria das suas catchphrases em casa, e concentrou-se, em tornar o combate entre dois indivíduos completamente díspares, o maior que pudesse ser. A seriedade verbal entre ambos na promo ajudou a criar uma dinâmica raramente vista nos shows semanais da WWE, que em vez de utilizar segmentos deslocados de comédia crua (e às vezes dura de se ver), viu-se abraçada com um segmento que deixou os meios de comunicação social ao rubro.

A conclusão da promo? The Rock acabaria por vencer Punk pelo Título da WWE, no Royal Rumble de 27 de Janeiro, acabando com o reinado deste de 434 dias.

Vídeo: http://youtu.be/mr8mfBRsD2s

9. Hunter KO

A subida de Big Show ao main-event da WWE, até que pode ter sido às custas de Daniel Bryan, e pode ter resultado num main-event do Survivor Series algo forçado, e até pode ter custado boas vendas do PPV em si; mas o que não pode ser negado é que promoveu uma das maiores satisfações ao Universo da WWE com um simples movimento.

Depois de semanas de humilhação constantes, manipulações e manobras degradantes após manobras ainda mais degradantes, por parte de Triple H e Stephanie McMahon, Paul Wight deferiu um KnockOut Punch, que se ouviu até na estratosfera terrestre, ao COO da companhia, Triple H, a 7 de Outubro de 2013. De facto, isto permitiu assistir a uma das raras vezes, desde que a “story arc” da “Authority” começou em meados de Agosto, que um babyface saiu por cima.

Vídeo: http://youtu.be/77e9kc08d9U

8. Tributo a Paul Bearer

2 de Março de 2013, marcam os dois dias que antecedo de fazer anos, agora para sempre marcada pelo falecimento de um dos maiores managers de toda a história do wrestling profissional. William Moody, a.k.a Paul Bearer, faleceu na data referida, e teve o seu percurso marcado por ser o manager do ainda mais aclamado Undertaker. Ora, posto isto, só faria mais que sentido, Undertaker fazer uma aparição rara no Monday Night RAW e prestar a sua homenagem ao seu amigo de longa data, parceiro de viagem, manager e confidente.

Depois de uma VT com tributos por vários membros da WWE, as luzes baixaram, Undertaker fez o seu caminho habitual para o ringue e com a tão ainda mais famosa urna no centro do ringue, ajoelhou-se e prestou homenagem ao indíviduo responsável por alguns dos momentos mais marcantes da história.

Foi sem dúvida um momento emotivo e que permitiu a Undertaker prestar homenagem, e encerrar um dos capítulos mais longos da ilustruosa história da WWE, a que emparelhou o “Fenómeno” ao fenómeno que era Paul Bearer.

Vídeo: http://youtu.be/bp1UYmLkEzI

7. From Shattered Dreams to Smoky and Mirrors

A 2 de Setembro de 2013, numa RAW, Triple H despediu Cody Rhodes, sem cerimónias, depois deste ter perdido o seu combate contra Randy Orton. Uma semana depois, Goldust, tal como já referi, tentou que o seu irmão fosse re-contratado, num combate em que apenas “quase o conseguiu”. Por sua vez, o patriarca da Família Rhodes, o “American Dream” Dusty Rhodes, tentou intervir em nome dos seus dois filhos apenas para ficar estendido no chão após Big Show o colocar KO.

No entanto, Cody e Goldust tiveram uma última oportunidade de serem re-contratados pela WWE, sendo que para tal apenas tinham de derrotar os Campeões de Tag Team da WWE, Sth Rollins e Roman Reigns, no dia 6 de Outubro no Battleground. Ora, eles fizeram isso mesmo, sendo que uma semana depois, a 14 de Outubro, Rhodes e Goldust proporcionaram um dos melhores combates de 2013 ao derrotar Reigns e Rollins pelos Títulos de Tag Team num, Combate Sem Desqualificação, graças à interferência de Big Show.

Este momento foi a representação perfeita de um momento de redenção para Goldust, que havia regressado e encontrava-se agora no topo da companhia, bem como para Cody Rhodes que viu o seu babyface turn de Julho compensar, e em grande forma.

Vídeo: http://youtu.be/RSLseNGspRs

6. “We’re Here!”

Wyatt Family Debuts

Com este aviso, as luzes no Baltimore Arena diminuíram, e uma lamparina acendeu-se conduzindo Bray Wyatt, Luke Harper e Erick Rowan ao ringue pela primeira vez (ou não) nas suas carreiras. Wyatt apagou a lamparina, e quando as luzes voltaram à sua potência normal, Harper e Rowan estavam dentro do ringue a atacar Kane.

Desde essa noite e do massacre que conduziram em Kane, a Wyatt Family tem vindo a terrorizar a WWE, atacando atletas como Daniel Bryan e CM Punk. Ora tendo em conta os mais recentes rumores que dão conta de um combate na Wrestlemania entre Bray e John Cena, a Wyatt Family continuará no seu auge durante alguns e bons meses.

Vídeo: http://youtu.be/8nQuETm4gYY

5. Y2J is Rumble

Com Dolph Ziggler a retirar o No.1 e a aguardar quem seria o seu oponente inicial no Combate Royal Rumble de 2013, o US Airways Center em Phoenix, no Arizona, ficou completamente negro até que uma reconhecida pirotecnia explodiu da rampa de entrada. Os fãs endoideceram à medida que Chris Jericho regressou de surpresa à WWE.

Numa era em que é cada vez mais difícil guardar segredos, devido à tão aliada Internet, Jericho entrou no combate Royal Rumble de uma forma que ninguém esperava. Obviamente que dado quem é, Jericho permaneceu no combate por 48 minutos até ser eliminado pelo homem com quem iniciou tudo, Dolph Ziggler.

O futuro Hall of Famer permaneceu todo o tempo a seguir a colocar jovens atletas “over” sem nunca perder a sua popularidade aos olhos do Universo da WWE e se isso não é ter o fator “x” e ser o “Melhor naquilo que faz” então nada é.

Vídeo: http://youtu.be/HGguhYupDDU

4. No. 1 Contendership – John Cena vs CM Punk

Digam o que disserem, a par de CM Punk, John Cena é um excelente atleta, e coloquem os dois num ringue, e em 9/10 vezes, o combate não só ultrapassará as expectativas como será um forte candidato a Combate do Ano. O main-event de 25 de Fevereiro de 2013, do Monday Night Raw consistiu num dos melhores combates de ambos sendo que em jogo estava a oportunidade de defrontar The Rock pelo Título da WWE na Wrestlemania 29.

A estipulação era interessante, e Cena e Punk fizeram um excelente trabalho em defender a importância de um combate, com ambos a desempenharem todos os movimentos no reportório um do outro, possíveis e imaginários. E quando digo isto, incluo ainda quase-derrotas dramáticas, troca de finishers múltipla, e ainda uma audiência fenomenal. Ora, devido à multiplicidade de combates que ambos já proporcionaram no decorrer dos últimos anos, ambos se conhecem como ninguém o que tornou o combate ainda mais apetecível.

Cena reverteu um hurricanrana, deixou Punk tremido e aplicou um Attitude Adjustment para ganhar um grande combate, o suficiente para ser o detentor do número 5 dos melhores momentos de 2013.

Vídeo: http://youtu.be/wGmgb19vv8M

3. A Sagração Visceral

O main event do Summerslam de 18 de Agosto de 2013 teve um combate entre a maior estrela do wrestling profissional John Cena, e, discutivelmente, o melhor wrestling da WWE em termos técnicos atualmente, Daniel Bryan. Ora, este combate embora fosse surpreendente na medida em que denota a oposição entre dois babyfaces (se considerarmos ainda John Cena um babyface nato) foi a oportunidade perfeita e teve a construção ideal ao permitir a Bryan lutar e tentar ganhar o maior prémio da WWE à maior estrela da WWE, Cena.

Bryan, logicamente, teve uma exibição fenomenal assim como Cena, e trocaram manobras sucessivamente até que do nada Bryan aplica uma joelhada do topo do ringue e deixou Cena derrotado no centro deste.

Tudo corria bem, com o árbitro convidado e Triple H a celebrarem com Bryan até que, Orton chega com a mala Money in the Bank, Triple H defere um Pedigree em Bryan o que abriu alas para o story arc que ainda decorre da Authority e que afetou o tão merecido, esperado e evidente push de Bryan de formas que ninguém alguma vez esperou.

Vídeo: http://youtu.be/8l0ezseXcIo

2. Dolph Ziggler Cashes In

Mesmo com uma carreira de altos e baixos, Dolph Ziggler tem sido um dos melhores, e mais dinâmicos talentos da WWE nos últimos 3 anos. Esfola-se a trabalhar, faz o que lhe compete semana após semana e é um dos melhores sellers da atualidade no panorama do wrestling profissional. A única coisa que lhe faltava: um Título Mundial ou um Título da WWE.

Ora, quando Ziggler ganhou o combate Money in the Bank em 2012, e garantiu assim uma oportunidade por um Título Mundial, os fãs mais acérrimos da WWE rejubilaram com tal situação e passaram-se semanas, meses até que a 8 de Abril de 2013, Ziggler fez o cash-in em Del Rio e capturou o Título Mundial de Pesos Pesados num momento completamente extraordinário.

Este foi assim, o culminar de uma década de trabalho pesado, dedicação, sacrifício que apenas culminou num outro momento já aqui descrito após sofrer uma lesão na cabeça.

Vídeo: http://youtu.be/MKqtFqpRLEk

1. “Na na na, hey hey hey, goodbye!”

Mark Henry Retirement Speech

Horas antes da edição de 17 de Junho de 2013, do Monday Night RAW, as superstars da WWE invadiram o Twitter e começaram a congratular Mark Henry pelos seus feitos na WWE. Isto promoveu apenas grandes discussões na Internet e entre o Universo da WWE sobre se Mark Henry estaria a retirar-se do wrestling profissional.

Posto isto, Michael Cole anunciou, já no evento, que Mark Henry tinha um grande anúncio a fazer essa noite, e tudo parecia estar a tornar-se realidade efetivamente quando Henry, de fato, e com uma expressão emotiva e tensa entrou no ringue.

Para além disto, durante o discurso que realizou, Henry começou a chorar e a relembrar momentos que o tornam uma das forças mais dominantes da WWE, e até brincou com cânticos de “Mae Young” que se fizeram ovuir de imediato. Por fim, Henry terminou por dizer à sua filha que o “papá estava a regressar a casa”.

Posto isto, o então Campeão da WWE John Cena levantou o braço de Henry no ar até que… sofreu um World’s Strongest Slam. Neste momento todo o público ficou embasbacado, enquanto Henry permaneceu de joelhos, deixou o ringue, virou-se para a camara e disse a milhões de fãs mundiais: “Isto é o que eu faço!”

Este momento quer para mim quer para o autor do artigo, foi um dos melhores momentos de realização e de representação da história da WWE, tanto que ninguém, nem os maiores críticos da WWE, conseguiram apontar algo de negativo à performance de Mark Henry.

Por fim, Henry desafiou John Cena pelo Título da WWE no Money in the Bank de 2013, apesar de não ter tido sucesso no mesmo.

Vídeo: http://youtu.be/gxm5c2XBcXo

Tendo em conta o TOP 15 de Momentos mais Marcantes de 2013, este ano ainda foi repleto de problemas, com os quais a WWE tem de se preocupar, e resolvê-los, dentro do possível, o mais rápido possível:

a) A níveis criativos a WWE necessita de uma reformulação, necessita de cabeças novas, mais jovens, de apostar mais em “novelas da vida real” que efetivamente chamem a atenção ao jovem público da empresa, acima como ao mais velho. Prova disso, são os regressos de estrelas do passado, que são momentos memoráveis quer para os mais jovens quer para os mais graúdos.

b) A Divisão de Tag Team necessita de histórias mais desenvolvidas, sendo que com a Wyatt Family acho que tal seria possível.

c) A Divisão Feminina necessita de velhos talentos, de uma equipa criativa que se dedique só a esta, facto que já defendi vezes sem conta nos últimos anos, pois só assim seria possível criar algo apelativo na divisão. Quanto a velhos talentos, Trish Stratus, Beth Phoenix, Lita, Mickie James, Eve, Kharma seriam o suficiente para mexer com a Divisão por uns bons anos quando aliadas a já talentos como AJ Lee, Natalya, Layla, The Bella Twins, Tamina e Alicia Fox.

Estas acabam por ser as minhas resoluções para 2014, e espero que neste último dia do ano, todos se divirtam o máximo, e vemo-nos em 2014! Não se esqueçam de comentar o que pensaram e deixar a vossa opinião daquilo que foi 2013 na WWE.

Boas Festas, e bom ano! :)

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

7 Comentários

  1. Dreamer - há 3 anos

    Bom artigo.

    Não tenho muito a falar, já que concordo com as colocações.

    Só digo que a primeira colocação foi muito merecida. O Cole diz que o Henry tem algo a dizer, a comoção do Darren Young ao falar com ele, eu realmente imaginei que ele iria se aposentar. Quando ele entrou no ringue e começou a falar, confesso que quase, QUASE, chorei. Daí entra o Cena, se bem me lembro, ele empresta o cinturão ao Mark pra ele levantá-lo… E quando eu menos espero, acontece aquilo. WORLD STRONGEST SLAM! Eu fiquei chocado como nunca! Realmente foi um grande segmento!

    • DirtCrit - há 3 anos

      Foi venha quem vier o melhor segmento de 2013, se bem que, tendo em conta o ultimo Monday Night RAW talvez incluísse o segmento final algures no artigo…

  2. RybackSteel - há 3 anos

    Momento que eu mais gostei esse ano !

    Foi Hell-turn do RYBACK encima do John cena !

    um dos melhores momentos desse ano !

  3. YO - há 3 anos

    Número 1 mais que merecido.Henry merecia um Oscar por essa atuação.

  4. DanielBR - há 3 anos

    Feliz ano novo pra galera aew de Portugal!!!

  5. 434 Days - há 3 anos

    Pela mera felicidade que tive naquele momento, o cash-in do Dolph foi o meu nº1, se bem que o Henry foi fenomenal e dificilmente um momento como esse se irá repetir

  6. danielLP21 - há 3 anos

    O segmento do Mark Henry entrou para a história…

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador