Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Wrestling, Diz Ele #40 – Semana Pós-WrestleMania

Não há dúvidas que a semana da Wrestlemania foi das mais atribuladas, interessantes e empolgantes do que sempre, que até me colocaram a ver o Total Divas pela primeira vez. Aconteceu de tudo desde irónicas mortes, a legados surpreendentes, a realização de momentos históricos e de momentos indiscritíveis. Desta forma, esta semana, no Wrestling, Diz Ele, e no seguimento do que tem acontecido no mundo da WWE, eis cinco dos momentos mais interessantes e history-turning dos últimos momentos.

5. A “NEW” KING OF SWING

cesaro

No seguimento da Wrestlemania podemos ter o privilégio de assistir ao nascimento do novo King of Swing, Cesaro. Que Claudio Castagnoli tem talento, toda a gente o sabe e há muito, razão pelo qual a WWE foi altamente contestada pelo reinado do Título dos EUA que deu ao atleta. E a começar na noite em New Orleans, Cesaro viu a sua vida a mudar substancialmente. Em primeiro demarcou-se do projeto de gimmick de Kurt Angle, Jack Swagger e simultaneamente sagrou-se o primeiro vencedor da Battle Royal em homenagem a Andre the Giant eliminando Big Show naquele que foi um momento, só equiparado a Hulk Hogan a fazer o body slam no homenageado referido, na Wrestlemania 3. Pois bem, não fosse isto o suficiente, Cesaro foi ainda anunciado como o novo “Paul Heyman Guy” e se Curtis Axel foi um fracasso (até quando vai a WWE permitir uma personagem como Axel na empresa só porque tem uma linhagem da família Hennig), Cesaro foi a escolha perfeita. Relacionando com isto, destaco ainda para a formidável promo de Heyman que só ajudou a elevar Cesaro ainda mais, quer no WWE Universe, quer na WWE em si. 2014 parece que vai sorrir bastante a Cesaro, e é apenas esperar como Heyman consegue articular o homem mais odiado neste mundo (Lesnar) e o homem que mais pessoas tem impressionado nos últimos tempos (Cesaro). Uma coisa é certa, Cesaro está na melhor fase da sua carreira, e é bem certo, às vezes, “good things happen to those who wait”.

4.  NEW PAIGE ON DIVAS DIVISION

John Cena brincou com as palavras na sua promo a semana passada referindo-se à divisão feminina na WWE, mas fe-lo de forma totalmente brilhante. Já opinei vezes sem conta sobre a divisão feminina na WWE, e o facto é que esta nunca teve tão parada, desinteressante e heterogeneamente confusa como nos últimos tempos. De cabeça, apenas AJ Lee, Layla El, Tamina Snuka, Natalya Neidhart, Naomi, Alicia Fox e as Bella Twins conseguem dar combates minimamente decentes, sem botchar dezenas de manobras acessíveis, embora, claro, Sara Del Rey tem vindo a fazer um trabalho notável, a partir do momento que até Cameron já consegue desenvolver alguns combates de forma medíocre e não pobre. Claro que existem exceções, e só Deus sabe quanto eu queria que Eva Marie se transformasse na nova Candice Michelle quando do nada aprendeu a lutar, ou até Ashley Massaro (para quem se lembra dela). Bem, mesmo assim, o único motivo de eu poder sorrir minimamente para o futuro (e não me venham com teorias machistas, as Divas fazem e têm um papel fundamental no mundo em geral, e no mundo do desporto principalmente) são talentos como Raquel Diaz, Emma, Summer Era, Sasha Banks e Charlotte. Não, não me esqueço de ninguém porque não há divas que Paige teve o seu momento mais do que merecido, depois de um tempo de espera exageradamente longo. Paige não só acabou o reinado de 295 dias de AJ (mais do que merecido depois de derrotar todos os elementos femininos da empresa) mas acabou por se tornar a Campeã das Divas mais nova de sempre, e a primeira a segurar o Título Feminino do NXT e o Título das Divas da WWE, não só simultaneamente, mas desde sempre. Mais ainda, Paige manifestou-se assim como Campeã Feminina Indiscutível na maior empresa de wrestling profissional com apenas 21 anos assim como ter se tornado a primeira atleta, de qualquer género, a tornar-se campeã na WWE e nascida na década de 1990. Pensando bem, Saraya-Jade Bevis tem a minha idade neste preciso momento, o que me faz pensar no que ando a fazer da minha vida. De qualquer forma, com um simples virar de página (Paige-Turner – brincadeira meus queridos), Paige acabou por tornar a divisão das Divas interessante, mais uma vez, como já não me recordo desde os tempos em que Beth Phoenix e Kharma estavam na empresa. E isto, a tempo do Extreme Rules.

3. YESMANIA

BRYAN

Outro momento já há muito esperado desde os meados do ano passado. Bryan conquistou em Nova Orleães o direito a ser chamado o novo Campeão Mundial da WWE e este facto é mais do que merecido. Senão, olhemos para o repertório do indivíduo, apenas na WWE: 1 vez Campeão Mundial; 3 vezes e atual Campeão da WWE; 1 vez Campeão de Tag Team da WWE (com Kane); 1 vez Campeão dos EUA; Vencedor do Smackdown Money in the Bank de 2011 e vencedor de 10 Slammys desde 2010. Mais ainda, Bryan foi ainda considerado pela Wrestling Observer Newsletter como o Most Outstanding Wrestler entre 2006 e 2010, como tendo tido o Combate do Ano de 2007 contra Takeshi Morishima a 25 de Agosto e ainda como sendo considerado o Best Tecnical Wrestler entre 2005 e 2013. Isto leva-me a este facto precisamente, a WWE tem em Bryan o melhor wrestler técnico que alguma vez pisou o ringue da empresa desde, provavelmente, que Chris Benoit faleceu, e só Deus sabe o que um combate entre estes os dois teria sido. De qualquer forma, depois de voltas e reviravoltas, e da WWE brilhantemente adiar o inevitável na figura de Stephanie McMahon e Triple H, Bryan conquistou o título, expoente máximo da WWE, de uma forma revigorante e completamente empolgante para qualquer espectador. Sem qualquer dúvida, a Wrestlemania transformou-se numa autêntica YessMania.

2. 21-1

BROCK

Outro dos aspetos a reter esta semana foi a streak de Undertaker ter sido parada por Brock Lesnar. Neste sentido importam vários aspetos desde logo que de todos os atletas como Mark Henry, Batista, Edge, Big Show e A-Train, Jake Roberts, Ric Flair, Kane e Triple H e Shawn Michaels por duas vezes cada, King Kong Bundy, CM Punk entre outros, ter sido Brock Lesnar, que nem compete ativamente na WWE, tirando determinadas alturas do ano, a fazer o trabalho. Por outro lado, há que atender que por muito que Sting esteja na WWE, e contra este facto não acredito que hajam muita discordância já, Undertaker já está cansado, sendo que nos últimos 5 anos tem-se notado bastante na sua capacidade e habilidade dentro do ringue. Sou ainda do tempo que Undertaker combatia ativamente no Smackdown sendo a maior cara da brand azul da WWE, e por muito que tal tenha evoluído para combates anuais, nos últimos 5 anos tem sido clara o desgaste corporal de Mark Callway. O legado foi batido, mas sem qualquer sombra de dúvida esta marca dificilmente será batida por alguém num futuro, próximo ou longiquo, e Undertaker há muito que está com o nome gravado no Hall of Fame, e naquilo que é e significa a WWE. Aliado a isto, importa denotar todas as notícias e o burburinho que a derrota provocada por Lesnar teve no mundo todo, e em todos os noticiários desportivos espalhados pelo mundo. A WWE queria tornar a Wrestlemania XXX a mais memorável de todas e não há dúvidas que o conseguiu fazer de forma inesquecível, pois ficará para sempre na memória futura, e atual que a Wrestlemania XXX, em Nova Orleães, Brock Lesnar deu a primeira derrota a Undertaker, quebrando uma streak de mais de duas décadas. Neste sentido, não importa se Undertaker quis perder na Wrestlemania e permitiu que tal acontecesse; se Undertaker foi subjugado por Vince McMahon a tal; se o árbitro contou depressa demais; se foi um erro porque Undertaker estava lesionado e não conseguiu levantar o ombro… O que importa é que a WWE deu um momento inesquecível, e para quem viu em direto ou assiste à WWE atualmente, pode dizer que viveu este momento no wrestling profissional quando os filhos de Daniel Bryan e John Cena vieram a lutar na empresa, seja a WWE ou outra qualquer.

1. WARRIORS NEVER DIE

WARRIOR

Indiscutivelmente, a notícia que Warrior, nascido James Hellwig, faleceu a 8 de Abril de 2014 abalou completamente uma semana que foi, fora isto, irrepreensível na empresa de Vince McMahon. Quanto mais não seja, porque Warrior teve afastado da WWE e em guerra aberta com esta a partir do ano de 1996, e o facto de ter aparecido, a 15 de Julho de 2013 no trailer para o novo videojogo da WWE tornou-se o maior pacto de pacificidade assinado recentemente. De qualquer forma, a 5 de Abril de 2014, The Ultimate Warrior foi homenageado no Hall of Fame, num discurso absolutamente certo, coerente e que deve ser visto por qualquer fã da WWE, ou por qualquer pessoa devido á carga emocional e às mensagens subscritas (igualmente ao de Jake Roberts, aproveito por referir). Um dia depois, Warrior apareceu na Wrestlemania XXX bem como a 7 de Abril, apareceu no Monday Night Raw pela primeira vez em 18 anos. Warrior deixa um legado invejável e é sem qualquer sombra de dúvida a superstar mais marcante e intensa da história do wrestling profissional que abriu caminho para as superstars de agora como Batista, Edge, John Cena entre muitos outros. É graças a Warrior, Hulk Hogan e a esta geração que o wrestling, como o temos atualmente, existe, bem como é graças a estes indivíduos que aquilo que é o desporto em massa transformou-se nos maiores espetáculos de sempre.

A título de conclusão o discurso de Warrior descreve um ponto fulcral, não no wrestling, mas na vida e no que significa viver, no que significa ser Humano, e no que deve ser uma perspetiva de vida em pleno Século XXI.

“No WWE talent becomes a legend on their own. Every man’s heart one day beats its final beat. His lungs breathe their final breath. And if what that man did in his life makes the blood pulse through the body of others and makes them believe deeper in something larger than life then his essence, his spirit, will be immortalized. By the story tellers, by the loyalty, by the memory of those who honor him and make the running the man did live forever. You, you, you, you, you, you are the legend makers of Ultimate Warrior. In the back I see many potential legends. Some of them with warrior spirits. And you will do the same for them. You will decide if they lived with the passion and intensity. So much so that you will tell your stories and you will make them legends, as well. I am Ultimate Warrior. You are the Ultimate Warrior fans. And the spirit of The Ultimate Warrior will run forever!”

E para vocês, quais os destaques da semana pós-wrestlemania? Como descrevem o que sentiram em cada momento? O que mais demarcam?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

5 Comentários

  1. RVD_77 - há 3 anos

    Só uma pequena correção o Taker venceu o HHH 3 vezes e não só 2.

  2. King_of_Swing - há 3 anos

    Oh man, escrever Eva Marie, Candice Michelle e Ashley Massaro na mesma linha até me dá arrepios!!! Mas dos bons……..haha

  3. Jonas - há 3 anos

    Excelente artigo!!
    Destaco também o regresso dos Evolution.

  4. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo, que devia ter mais comentários.

    Realmente, só mesmo a morte de alguém (ainda por cima, alguém tão importante) para “tirar” a primeira posição para momentos mais marcantes da última semana ao resultado do Brock Lesnar vs The Undertaker…

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador