Wrestling, Diz Ele #44 – Widening The Net

Bem e eis que começamos uma autêntica semana de DirtCrit no Wrestling.pt já que para além do Perguntas e Respostas e Match of the Week de amanhã (não se esqueçam de participar) é dia de Wrestling, Diz Ele. Em primeiro lugar peço desculpa pela não realização do artigo a semana passada mas a minha vida de saúde não anda(va) nos melhores termos. Esta semana, as coisas serão ligeiramente diferentes, ou seja, devido a amanhã realizar um exame de Ciências Forenses I, o tempo não foi grande, pelo que maioritariamente trago-vos um update internacional, retirado do bleacherreport.com, de como anda o WWE Network, para fazer frente à queda de ações anunciada no decorrer da semana.

De facto, já se passaram três meses desde o lançamento oficial da WWE Network, e por muito que o início tenha sido atribulado (segundo relatos americanos), a verdade é que tudo parece estar a decorrer normalmente. Aproveito desde já para relatar um dos pontos que não concordo na aposta do network. Ainda que em termos de logística e programação entenda que seja mais seguro apostar num produto americano-exclusivo, o facto é que acaba pro limitar bastante o número de subscrições, especialmente negando o público britânico, canadiense e brasileiro, que considero duas fontes fulcrais no produto de wrestling. Assim, um ano inteiro sem permitir a estes fãs o acesso ao produto network (por muito que hajam streams em todo o lado atualmente) é algo negativo e que sem dúvida, creio que estão na base de quebra de ações.

Posto isto, e tendo em conta que a meu ver a Network acaba por oferecer aquilo que promete oferecer, por muito que, em termos estruturais tenha algumas deficiências, eis alguns pontos a destacar do que o produto oferece aos fãs americanos.

Programação de Arquivo

programming

O lançamento do WWE Network foi em parte uma força motriz devido ao lançamento de praticamente todos os pay-per-views da história da WWE (com o Royal Rumble e Elimination Chamber 2014 adicionados mal a janela de 30-dias contratuais acabou), no fundo como uma biblioteca/videoteca estilo discos-pedidos. Para além destes, todos os pay-per-views da WCW, ECW e todos os episódios da RAW e Smackdown de 2012-2013 foram incluídos. E aqui começa um dos problemas a meu ver, a partir do momento que criam uma videoteca e apresentam o registo arquivado no site oficial, deveria ser mais do que lógico que apresentassem todos os shows, à partida, alguma vez realizados desde a sua inclusão.

O resto da biblioteca foi preenchida com qualquer coisa que estava programada a ser transmitida nessa semana, como o Monday Night RAW, ECW Hardcore TV, World Class Championship Wrestling, “Old School” WWF shows, e o Legends of Wrestling, que acabaram por se tornar o núcleo duro da documentação “nova” e disponível, semanalmente. Ora, a questão é que no início isto tudo era mantido atualizado, mas apenas os shows do Monday Night RAW têm sido atualizados, dado que, para a maioria dos shows, os novos episódios só são adicionados quando já foram transmitidos. Por outro lado, as transmissões dos shows da ECW e da WCW pararam abruptamente em meados de Abril, sendo apenas transmitido atualmente reruns do que já foi apresentado. O Old School não teve qualquer atualização durante um mês inteiro, e quanto aos shows da RAW e Smackdown, os 30 dias de espera anunciados, viraram apenas dois meses de produto disponível.

Facto é que em termos de arquivos, um dos grandes pilares em termos de produto e de marketing da WWE Network, o último mês tem sido algo parado, e isto é, a meu ver, uma grande problemática já que se oferecem um produto, ao menos certifiquem-se que há motivos para o comprar, senão os contratos estagnam ou não se renovam. Voltando ainda ao assunto de há pouco, 2015 pode ser o ano em que o Reino Unido poderá subscrever à WWE Network, mas também é o ano em que os Estados Unidos da América renovarão (ou não) as suas assinaturas.

Programação Original

Ora bem, neste campo, a meu ver há que ressalvar a opinião pessoal de cada pessoa. Facto é que os documentários sobre Daniel Bryan e Ultimate Warrior foram aclamados, mas existem shows que acabam por andar nas cordas bambas e tanto oferecem algo de boa qualidade como deixam a desejar. Dentro destes programas destacam-se o WWE Countdown (que faz uma contagem estilo Top 10, tendo em conta temáticas como Greatest Debuts, Greatest Villains, entre outros), o Wrestlemania Rewind (que acaba por reciclar segmentos já disponíveis em DVD às vezes) e o Legends’ House (que é o mais recente bebé dos shows RAW e Smackdown para ser publicitado, e que apesar de ser ligeiramente superior ao que seria previsível, ainda é um produto bastante fragmentado).

No fundo, a Network oferece por vezes bons produtos mas acaba por cair no esquecimento devido a uma fragmentação clara a nível estrutural e de encaixe no público a que se destina.

Programação Actual

mainevent

Aqui importa destacar os cinco shows atuais da WWE que merecem destaque. Em primeiro a RAW, a meu ver, tem sido de franca melhor qualidade do que há uns tempos (finais do ano passado inclusive) o que estranhamente não se tem verificado em termos de audiência; o NXT tem sido uma cereja em cima do bolo e realmente há que dar a Paul Levesque o crédito que tem por tornar um pseudo-reality/talent-show numa verdadeira brand (não percam o NXT Takeover esta Quinta-Feira, já agora); o Superstars praticamente não se alterou desde que a Network foi lançada a passo que o WWE Main Event é um show completamente revitalizado com combates mais intensos, de seguimento de angles, e que acaba por em algumas semanas ultrapassar a Smackdown, o que é, verdadeiramente surpreendente. E isto se por um lado é extraordinariamente positivo, por outro é aterrorizante.

Suporte Técnico

Uma das grandes questões que pairou durante semanas na cabeça de muitos foi se o serviço acabaria por suportar as pessoas que estavam a visualizar o produto, simultaneamente, especialmente durante a Wrestlemania 30. Ora, apesar de realmente no NXT Arrival terem existido alguns problemas, com alguns (a maioria vá) dos fãs a perder o main-event do PPV, a WWE rapidamente ajustou o produto e a Wrestlemania prosseguiu sem problemas de maior. Fora isso, apenas são apontadas alguns problemas de stream ou de aplicações eu não funcionam como deveriam, mas nada de denotar ou de críticas maiores.

stock

Posto tudo isto, facto é que o maior problema da WWE Network, para além dos relatados são uma falta de estrutura e transparência clara naquilo que efetivamente pode ser oferecido na WWE Network. A questão é que com a mais recente quebra de ações, o produto não pode estar com demoras ou pequenos “senãos” e apresenta-los assim. Promessas são promessas e dadas as quantias investidas numa nova rede unificadora de tudo o que a WWE é, foi e será, é mais do que claro que está muito em jogo.

Subscreveriam a WWE Network? O que fariam para aumentar o valor da empresa? O que mudariam?

Até para a semana! :)

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

11 Comentários

  1. GonRodri - há 3 anos

    grande artigo :) Claro q subscrevia, mas n sei o q mudaria na WWE Network, pk n sei muito bem como e q funciona e como e q é … Mas pra aumentar o valor da empresa metia a WWE Network noutros paises sem ser os EUA, isso iriam aumentar muito os valores da WWE

    • Lourenço Rocha - há 3 anos

      Apoiado (principalmente Portugal e Brasil)

    • DirtCrit - há 3 anos

      Tens exemplos do que se passa com a WWE Network ao longo dos pontos que abordei :) Sim, quanto ao valor de empresa sem qualquer sombra de dúvida que isso iria contribuir :P

    • DirtCrit - há 3 anos

      Tens exemplos do que se passa com a WWE Network ao longo dos pontos que abordei :) Sim, quanto ao valor de empresa sem qualquer sombra de dúvida que isso iria contribuir :P

  2. John_3:16 - há 3 anos

    Não, sinceramente não ia dar 10 euros por mês ao vinie, ele que se guente, mas pra aumentar o lucro obviamente que a wwe network tem de ser expalada pelo resto do mundo.

    • DirtCrit - há 3 anos

      Não davas 10 € porque não consideras que valha a pena o investimento ou porque tens algo contra o Vince? ahah

  3. JoaoFilipe - há 3 anos

    DirtCrit, és brasileiro? ”Canadiense” em vez de ”Canadiano”.

    Não ia gastar 10€ por mês. Os programas interessantes dão à meia noite e mesmo assim faço muito desporto, não tinha tempo de ver os programas todos. Os americanos sim, ficam 7 ou 8 horam a ver TV, aí compensa.

    Mas era bom que a WWE Network estivesse disponível noutros países, com os horários ajustados ao fuso-horário desses países.

    • DirtCrit - há 3 anos

      Não deixa de ser portugues Joao, por muito que Canadiano seja a expressão que mais utilizamos, Canadiense não deixa de estar certo. Então querias a Network com horarios ajustados mas acabarias por não ter tempo para ver na mesma?

  4. John_3:16 - há 3 anos

    Acho que simplesmente não dava os 10 euros.

  5. JoaoFilipe - há 3 anos

    Ya, mas eu estava a dizer para Portugal inteiro, não sómpara mim. Não sou assim tão importante.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador