Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Wrestling, Diz Ele #49 – WWE Battleground

Bem vindos a mais uma semana de Wrestling, Diz Ele! E como já é hábito, e sem rodeios, eis a minha análise do PPV de Domingo passado da WWE – Battleground 2014, incluindo o pre-show e main-show do mesmo.

Pre-Show

O pre-show contou com a condução de Renee Young, que para mim faz um melhor trabalho do que qualquer Josh Matthews ou Matt Striker, e com um painel habituée composto por Booker T, Christian e o “Analista” (em termos de pre-shows só se for, porque quanto à própria carreira…) Alex Riley. O pre-show contará ainda com um combate entre Naomi e Cameron, após a separação “brutal” entre as duas. Mais ainda, o show contará como sabemos com um mega combate Fatal 4-Way entre Kane, Randy Orton, John Cena e Roman Reigns. Bem e aparentemente o pre-show terá um combate impromptu.

Fandango vs Adam Rose (w/ Layla and Summer Rae)

Pelos vistos, o aniversário de Adam Rose foi Domingo passado, e como prenda antecipada há rumores que a WWE pretende inserir Adam no lugar deixado vago por Santino Marella. Algo que, sinceramente, creio que é bem pensado até porque Rose nunca chegará a um Campeonato Mundial com esta gimmick, e em termos cómicos, apesar de ter muito para caminhar ainda, cumpre satisfatoriamente o trabalho, vá. Bem quanto ao combate, de destacar apenas uma interferência normal entre Fandango e Layla e Summer, com ambas a dar um estalo em cada face de Fandango, seguido de um Party Foul de Adam para terminar o combate.

Combate: 7/20 – Combate curto, sem grandes momentos, completamente desnecessário no pre-show exceto pelo efeito surpresa de ser impromptu.

De volta ao pre-show com Christian a rever a sua história com Edge (long live the King of Live Sex) comentando o embate entre Ambrose e Rollins no main-show, e revendo ainda o combate entre Bray Wyatt e Chris Jericho e o Tag Team Championship 2 out of 3 Falls Match entre os Usos e a Wyatt Family. De facto, a meu ver, este Battleground está repeleto de combates interessantes, com a exceção, talvez, de um ou dois combates, mas é um card sólido e promissor. Resta saber, isto sim, se no main-show e em termos de performances e match-finishers as coisas também são sólidas e promissoras.

Cameron vs Naomi

cameron

Este era um dos combates, que apesar no pre-show, não entendo a sua inclusão, principalmente porque Cameron não está pronta. Ainda assim, é uma altura interessante em que se vê que temos 4 histórias em separado com as Divas da WWE: AJ vs Paige; Brie/Nikki vs Stephanie McMahon; Cameron vs Naomi; Layla/Summer vs Fandango. Bem o combate começou com Cameron, surpreendentemente mais sólida do que o que esperava e a dominar Naomi, Naomi reverteu num combate em que esta não mostrou tudo o que sabe fazer, talvez porque Cameron não sabia como reagir aos moves de Naomi! Bem, no fim, Cameron com um schoolgirl e ao utilizar a cueca de Naomi, conseguiu a vitória contra aquilo que previa.

Combate: 6/20 – combate fraco, sem fluidez, sem Naomi com o que normalmente vemos, e com uma Cameron que tentou brilhar, mostrou mais do que o que pensava, mas mesmo assim, não foi o suficiente para um combate positivo a meu ver.

E aí está o pre-show da WWE, que vou passar a incluir na contagem final de modo separado. Desta forma dos 75% para os combates e 25% dos segmentos, 5% de cada será retirado perfazendo 10% do Pre-Show. Deste modo, e com 10% para o pre-show, atribuindo uma cotação de 14/20 para os comentários e fluidez temos:

Pre-Show: 9/20

Battleground

E eis que entramos no Main-show sem mais demoras…

A VT inicial a meu ver foi mais uma vez bastante coesa e mostrou o que este PPV pretende alcançar, ou seja, uma luta renhida em qualquer combate, um estádio de guerra, perfeito para o main-event da Fatal 4-Way, incluindo ainda a hipótese do “Plano B” Seth Rollins fazer o cash-in da sua mala Money in the Bank.

2 out of 3 Falls Tag Team Champioship Match

usos

Os Usos foram os primeiros a seguirem-se para o ringue, naquele que aparentemente será o final da rivalidade entre estas duas grandes equipas. De seguida Erick Rowan e Luke Harper seguiram-se para o ringue, numa entrada memorável e com uma visão espectacular de milhares de telemóveis ligados numa paisagem estrelar da arena de Tampa, Florida. Ora bem, Jerry Lawler disse-o e é a mais absoluta das verdades, este combate é um regresso ao passado onde a maioria e generalidade dos combates era efectivamente 2 out of 3 Falls. O combate começou de forma intensa, como não seria de esperar, com os Usos a começar bem mas a perderem o ímpeto a meio da primeira parte. O resultado disto e após um running big boot de Luke Harper em Jimmy Uso foi a primeira vitória para a Wyatt Family, o que implica os Usos arrecadarem duas vitórias seguidas para conseguirem reter os Títulos.

Por sua vez, e após Jimmy ser mais massacrado por Rowan, Jey Uso conseguiu o tag para com um schoolboy pin arrecadar a primeira vitória para os Usos. Como era de esperar este combate iria para as três vitórias, e nunca para apenas duas. De destacar na última ronda, Jimmy Uso a entrar em ringue e voar em todas as direcções e mais alguma, apesar de a Wyatt Family conseguir resistir sempre, incluindo com Luke Harper a fazer um suicide dive para fora do ringue. Após isto foi um frenesim autêntico naquele que considero o melhor combate entre as duas equipas, e um belo final de rivalidade. No final, e após toda a gente se livrar dos finishers da equipa oposta, e de Rowan deferir um Double Superplex nos Usos, os mesmos reverteram o combate e após um Double Diving Splash em Luke Harper acabaram por conseguir a segunda vitória, contra aquilo que também previa.

Combate: 18/20 – excelente combate de Tag Team, o melhor da rivalidade entre as duas equipas, um combate que mostra aquilo que uma divisão de Tag Team deve ser em todo e qualquer aspecto.

O combate que se segue é talvez dos mais emocionais de todo o PPV, com uma VT a mostrar o antes e o que levou ao combate desde a união dos The Shield.  Este é dos combates mais emotivos tal como já referi, e sem qualquer dúvida, um combate que muita gente esperava que acontecesse. Atrevo-me a dizer que é praticamente um dream match. Antes do combate ocorreu um segmento, em que Seth Rollins foi entrevistado e atacado por Ambrose e onde aparentemente Triple H atirou Ambrose para fora da arena, o que implica, a 35 minutos de Battleground que Ambrose não lutará com Rollins no evento.

Segmento: 15/20

Bem e com isto tudo o segundo combate da noite seria:

WWE Divas Championship Match

Seja de que forma for, este combate já devia ter acontecido a mais tempo, mas veio mesmo a tempo do Verão daquelas que são as duas responsáveis por começarem uma revolução na Divisão Feminina (bom bom era juntar a isto Kia Stevens). Desta forma, a minha opinião deste combate resume-se à de JBL sinceramente, não acredito na historinha contada. Quanto ao combate em si, este começou de forma coerente e com ambas as meninas a mostrarem a sua capacidade técnica em ringue e aliado a isso com alguma carga emocional sobre a velha questão, já revista na rivalidade Trish Stratus e Lita – amiga ou inimiga? Quanto ao combate em si, Paige começou a evidenciar-se cada vez mais agressiva e violenta, desferindo um Powerbomb em AJ da corda superior. Posto isto AJ ainda aplicou o Black Widow em Paige que contra-atacou e Paige o Paige Turner em AJ apenas para esta última se safar. Por fim, AJ aplicou o Shining Wizard em Paige para reter o Título, naquele que foi um combate sólido, apesar de com um pouco mais de minutos talvez fosse melhor.

Combate: 14/20

De destaque depois do combate para a primeira promo do Summerslam oficial da WWE, com destaque para Bray Wyatt, Dean Ambrose, Rollins e Roman Reigns, John Cena, Cesaro, Kane, Sheamus, AJ Lee, Layla e Paige. O slogan aparentemente será: what goesa round always comes back around. Justin Timberlake in the house, baby! (#sqn)

De seguida seguiu-se um segmento entre Randy Orton e Kane, no limiar do aceitável a meu ver, algo previsível e sem muito a contar a não ser pelo facto de aparentemente Kane e Randy Orton não vão estar do mesmo lado mais tarde no main-event. Ora isso é 1- lógico; 2- para que continuar a fingir que vão ser uma equipa quando o lema do combate é “every men for themselves”?

Segmento: 12/20

De seguida, uma fugida ao painel do Kick-off, onde após algumas apostas para o Main-Event, Renee Young praticamente introduziu o combate seguinte.

Rusev (w/ Lana) vs Jack Swagger (w/ Zeb Colter)

rusev

Bem, quanto a este combate, para começar é o primeiro combate de Rusev com alguma história interessante, e que foi escalando a escada de interesse a cada Monday Night RAW. De destacar os recentes rumores de que Lana e Rusev poderão ter os dias contados pelo menos nesta versão de gimmick devido às recentes movimentações políticas. Lana aproveitou isso mesmo, e foi perfeita na promo inicial. De destacar que toda esta rivalidade deveu-se à excelente prestação de Lana e Zeb Colter, onde Swagger e Rusev pouco tiveram de fazer. Ora, neste combate, Swagger começou por dominar bem o combate, com claros exemplos do passado de wrestling amador do mesmo, com Rusev a pouco conseguir fazer. Ora, a meio combate, Rusev passou a controlar com as claras habilidades heel, até que a dinâmica do combate se alterou novamente quando Swagger foi incentivado “à lá Hulk Hogan/John Cena” por cânticos de “USA!”. Posto isto, Swagger ainda aplicou o Patriot Lock, mas Rusev conseguiu alcançar com esforço a corda inferior. Ora, depois disto Swagger voltou a aplicar a manobra fora do ringue, até que Rusev reverteu-a fazendo com que o Americano Jackarolla fosse de corpo todo contra as escadas do ringue e o poste de aço. Resultado final: Rusev ganha por desqualificação por contagem, Swagger perde por contagem, Rusev aplicou depois o camel clutch em Swagger, o que a meu ver só vai fazer continuar esta rivalidade até a um final no Summerslam. Algo positivo a meu ver.

Combate: 14/20

Posto isto, Goldust e Stardust tiveram o seu segmento, e meus amigos eu acho cada aparição destes irmãos brilhante. Absolutamente brilhante.

Segmento: 18/20

Seth Rollins vs Dean Ambrose

Depois do que se passou no inicio da noite, Seth Rollins foi ao ringue dar umas palavritas, aceitando a vitória no combate por desistência. Logicamente não houve combate, apesar de Ambrose do nada aparecer eo combate que virou segmento que virou porrada da velha e da grossa, passo a expressão foi o que se assistiu. Foi um bom segmento, principalmente a parte final (mais uma vez Josh Matthews, Jamie Noble, e ainda Triple H a descer ao ringue).

Segmento: 17/20 – Combate: no contest.

Bem depois do frenesim, outro combate cujas expectativas para muitos fãs estão lá em cima.

Chris Jericho vs Bray Wyatt

wyatt

Absolutamente brilhante. A VT inicial, a receção a Wyatt, a entrada da Wyatt Family, e a receção a Chris Jericho. Para mim, volto a dizer, Wyatt transcende tudo, e Jericho está num patamar já que pouco importa se ganha ou perde, tem a reputação que tem, e isso ascende a tudo. O combate começou lentamente, mas com agressividade por ambos os atletas, com a Wyatt Family completa no ringue. No geral foi um combate com cada movimento a contar uma história entre ambos os atletas de forma brilhante, ambos a conhecerem-se bem. A capacidade atlética dos dois é absolutamente incrível, e sem dúvida que me arrisco, mais num caso do que noutro a dizer que serão dois futuros Hall of Famers. Depois de Wyatt tentar aplicar SIster Abigail e de Chris Jericho o Walls of Jericho, do nada Jericho aplicou um Codebreaker para garantir a vitória.

Combate – 15/20 (ora aqui há uma ressalva a fazer, o combate foi efectivamente pouco demorado, demorou a construir, escalou demasiado rápido e com pocas quase-derrotas, e acima de tudo, creio que toda a gente estava à espera que Wyatt ganhasse este combate, tendo perdido em todos os PPV’s a seguir ao Extreme Rules, e isso não aconteceu. Mais ainda, Wyatt acabou por sucumbir depois de dominar praticamente o combate a um codebreaker.)

De seguida, mais um segmento algo típico na WWE entre Seth Rollins e Dean Ambrose, com Rollins a mostrar receio de algo, a dispensar os seguranças que o acompanhavam, e Ambrose escondido na mala do carro de Rollins (como é que ele entrou lá em primeiro lugar) com ataques subsequentes de Ambrose em Rollins, e este a abandonar o recinto. Estava a pensar dar um 10/20 ao segmento, mas creio que o objectivo principal deste foi mesmo enaltecer o facto de que Rollins tinha saído da arena antes do main-event daí as oportunidades para o cash-in ficarem mais na dúvida, daí que:

Segmento: 12/20

Battleground Battle Royal for the Intercontinental Championship

miz

Big E seguiu-se para o ringue, seguido de Alberto Del Rio e os restantes concorrentes. O destaque vai para a reacção a Cesaro, Zack Ryder, Damien Sandow, Bo Dallas, Dolph Ziggler e the Miz. De seguida, Bad News Barrett desceu ao ringue, para uma grande receção aos fãs e uma promo bem sentida de aviso a quem quer que seja o vencedor da Battle Royal. O combate começou com toda a gente a tornar The Great Khali o alvo. Posto isto, Khali acabou por responder, e eliminou Xavier Woods e Zack Ryder. Poucos segundos depois, Sehamus aplicou o Brogue Kick em Khali e todos os atletas em ringue eliminaram Khali. Bo Dallas eliminou Sin Cara de seguida, e Michael Cole denotou algo interessante que dos 20 homens em rignue, apenas 5 seguraram alguma vez o Título Intercontinental. Depois disto, R Truth foi eliminado, e deu para reparar em Miz sorrateiro ao lado do ringue, num movimento algo característico deste. Curtis Axel foi eliminado de seguida, seguido de Sandow (por Diego), e Diego por Ryback. E citando os comentadores mais uma vez, Cesaro ganhou o Wrestlemania Battle Royal, Sheamus tornou-se Campeão dos EUA numa Battle Royal, Alberto del Rio ganhou a maior Royal Rumble de sempre há uns anos, e Kofi Kingston é a estrela de muitos Royal Rumbles. No embate típico entre forças power house da WWE, Sheamus aplicou o Brogue Kick em Ryback para o eliminar.

The Miz tentou aproveitar para eliminar Sheamus, apenas para receber um Zig-Zag de Ziggler. Poucos segundos depois Titus O’Neil foi eliminado por Bo Dallas (naquela que foi somente o melhor festejo da noite e de sempre), que eventualmente foi parado por Cesaro. Kofi Kingston protagonizou de seguida um grande momento (mais um em over-the-top-rope challenges). De seguida, Dolph Ziggler eliminou Alberto Del Rio (após evitar o superkick que mandou a carreira dele para fora de órbita) com um DDT nas cordas; Big E com um potente standing splash em The Miz, mandou-o pela corda central e não por cima delas apesar de pela 3ª vez no combate este estar fora do ringue ainda em competição, sendo no entanto eliminado por Cesaro com um violento belly to belly suplex. Kofi Kingston protagonizou com Big E e Cesaro mais um grande momento que nem me atrevo a descrever – se não viram vejam! No entanto, Cesaro acabou por conseguir segundos depois eliminar Kofi Kingston, apenas para a meu ver o choque da noite e deste combate, Heath Slater (após se ver despojado de amigos) eliminar Cesaro da Battle Royal. Sheamus aproveitou e eliminou Heath Slater. Dolph Ziggler acabou por eliminar Bo Dallas. Sheamus e Dolph Ziggler foram assim os últimos homens em ringue, aparentemente, sendo que Dolph Ziggler acabou por eliminar Sheamus. Aqui devo dizer que até eu saltei da cadeira, apenas para ver os sonhos de ver Dolph Ziggler recompensado uma vez mais estragados, com The Miz a aparecer por detrás e eliminar Ziggler, tornando-se assim o novo campeão Intercontinental.

Combate: 15/20 (foi no geral uma boa Battle Royal, com bons spots, mas perde um pouco devido ao final típico e expectável, apesar de ter sido bem construída.).

Fatal 4-Way WWE World Heavyweight Championship Match

reigns

Depois de uma VT que a meu ver foi inferior à do pre-show eis que chega a altura do main-event de um Battleground surpreendente por não ser cheio de surpresas e dotado de alguns desgostos para os fãs. Randy Orton foi o primeiro a descer ao ringue, seguido de Kane, Roman Reigns, e claro, para a reacção habitual, John Cena. O combate desenvolveu como esperado logo nos primeiros minutos de combate, com Kane e Randy Orton a fazerem trabalho juntos contra John Cena e Roman Reigns, estando estes isolados no processo. Cena conseguiu reverter o processo e um aparente embate com Reigns começou a desenhar-se, mas Orton e Kane impediram tal de acontecer. Pouco tempo depois, Kane e Orton desentenderam-se, tal como toda a gente sabia que iria acontecer. Cena e Reigns aproveitaram e aplicaram um Double Powerbomb em Kane que por sua vez aplicou um Superplex em Orton, num típico momento de combates com mais de duas pessoas. Quando o segundo embate Reigns/Cena ia acontecer, Orton voltou a impedir inclusive aplicando um Rope DDT nos dois. Kane impediu Orton de fazer o cover e seguiu-se um grande momento em que Reigns aplicou um half boston crab ao mesmo tempo que Cena aplicou um STF em Orton.

Eventualmente Kane apareceu apenas para sofrer um AA e Orton ver o STF aplicado novamente. À terceira é de vez, e Reigns e Cena finalmente embateram-se (depois de Reigns “salvar” Orton do STF), para deleite dos fãs. Reigns acabou mesmo por aplicar um Superman Punch e um Spear em Cena apenas para Kane impedir uma vitória precoce de Reigns. Ainda assim, o mesmo conseguiu aplicar apron dropkicks em Orton, Kane e Cena, e ainda aplicar um spear em Orton através da barreira de protecção. Reigns conseguiu ainda aplicar spear em Kane, apenas para Cena desta vez “salvar” o combate. Passado um tempo ainda, foi a vez de Kane impedir Cena de ganhar o combate após um em Reigns, e aplicou de seguida dois chokeslams em Reigns e Cena. Isto ainda não seria suficiente, Kane tentou aplicar o Tombstone Piledriver em Reigns, apenas para sofrer um spear, ímpeto eventualmente cortado por Randy Orton que voltava a aparecer para aplicar um RKO em Reigns. Cena acabou por aplicar um AA em Orton sobre Kane para a vitória, retendo assim o título, expoente máximo da WWE, contra o que muitos relatos apontavam.

Combate: 17/20

Ora bem, posto isto, este Battleground, teve bons combates sem dúvida, não há nenhum combate no main card com pontuação negativa ou abaixo dos 13, mas de qualquer forma, foi um PPV que não primou por satisfazer a vontade dos fãs ao nível dos vencedores dos combates. Houve pontos em que teriam de ser vencedores distintos como no caso de Bray Wyatt e Chris Jericho, mas numa lógica a longo prazo, esta foi uma boa opção para a WWE. O mesmo se aplica ao resultado final do combate entre Rusev e Swagger e ainda AJ e Paige. Todas estas rivalidades logicamente não terminaram.

Curiosidades do Battleground:

– Bray Wyatt e a Wyatt Family perdem mais uma vez em PPV, marcando a 3ª derrota consecutiva em PPV’s.

– Paige mostrou mais agressividade que faltava na altura em que era Campeã, apesar de o combate ter sido relativamente curto, e de ser fácil de ver que a rivalidade vai continuar (seria estúpido se tal não acontecesse)

– As opções da WWE foram opções que os fãs pensavam que iriam acontecer, e como tal estes apostaram em opções não tão previsíveis acreditando que a WWE iria surpreender, o que acabou por acontecer pois optou mesmo por os resultados mais previsíveis.

– Alguns spots mal executados, entre atletas que normalmente não falham como Sheamus/Dolph Ziggler; Cesaro/Kofi Kingston;

– Booking algo complicado de entender entre Rollins/Ambrose, embora se perceba tendo ainda em conta o ponto seguinte

– Wyatt/Jericho e AJ/Paige foram combates contraídos, e notava-se que os atletas estavam a jogar pelo seguro para não chegar a um clímax, de forma a permitir construir história para o Summerslam.

Pois bem, aplicando a este Battleground, uma taxa de 70% a Combates; 20% a segmentos e 10% ao Pre-Show:

Battleground: 15/20 (14.71)

Ora bem, contas feitas em termos aritméticos, este é o valor deste Battleground, no entanto, creio que um 14/20 será mais apropriado, visto que no final do PPV, fica um sabor a combates esteticamente e tecnicamente bons, mas falta algo. A questão a meu ver, não é que tenha sido um mau PPV, apenas não teve os vencedores certos, nalguns combates. Não foi mau, foi melhor que o último, mas ainda assim, não foi brilhante em termos gerais.

E é tudo esta semana ;)

Que acharam deste Battleground? O que mudariam?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

21 Comentários

  1. Superstars - há 2 anos

    Que acharam deste Battleground?

    nota 6 ja vi melhores e piores.

    O que Mudariam ?

    daria vitorias no PPV ao Reigns,Wyatt enquanto a mudar na WWE queria de volta o Shane para comandar https://www.youtube.com/watch?v=d1k2SNtq79c

    • DirtCrit - há 2 anos

      Porque carga de água o Shane McMahon?? A Stephanie McMahon tem na minha opinião muito mais carisma que Shane e nesta altura não acredito, que mesmo se se tornasse viável, Shane voltasse.

  2. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo, com uma análise muito boa, Parabéns! DirtCrit. :-)

    Concordo com praticamente tudo, nada de especial a acrescentar.

    ———=—————=—————-=————

    Quanto às perguntas:

    – Que acharam deste Battleground?

    R: Eu gostei, como sempre, nunca me canso da WWE, mas a verdade é que podia ter sido melhor, já houve PPV´s piores e melhores (como é normal), mas foi um bom PPV, com bons combates, segmentos e spots, mas algumas coisas podiam ter sido melhores e alguns resultados podiam ter sido diferentes, mas, em geral, até gostei do PPV.

    – O que mudariam?

    R: Depende, se for para dar a MINHA opinião e o MEU gosto, daria vitórias ao Bray Wyatt, Reigns (novo WWEWHC) e Paige (nova “Divas” Champion), assim como ao Swagger, ao Cesaro/Ziggler (novo intercontinental Champion) e aos Wyatts (novos Tag Team Champions), talvez não houvesse Naomi vs Cameron, nem Fandango vs Adam Rose, colocaria um combate mais interessante e longo no pré-show, e daria mais tempo a certos combates (Bray Wyatt vs Y2J e Paige vs AJ), de resto, acho que só mudaria o Rollins vs Ambrose, gostava que houvesse combate, podiam ter feito um segmento semelhante ao que fizeram, mas no fim, havia um combate de qualidade e com tempo suficiente, até podia acabar em no contest ou assim, e depois no fim o Rollins tentava o Cash-in, mas o Ambrose impedia-o mais uma vez e lutavam até ao backstage com o Rollins a fugir no carro, acho que teria sido mais credível e interessante, mudava isto tudo.

    Por outro lado, se for por lógica, compreendo a maior parte das escolhas da WWE, até porque algumas feuds vão continuar e não podiam dar a sensação que estavam terminadas, entre outras coisas.

    ———=—————=—————-=————

    Bom trabalho. :-)

    • FTB - há 2 anos

      eu não daria o titulo já ao Reigns porque o que está a acontecer é que estão a transforma-lo num Cena JR. acho que não falta muito para que os fans o comecem a tratar com apupos

      • Tunes9 - há 2 anos

        Talvez, mas, como eu frisei no meu comentário, seria a minha opinião e o meu gosto pessoal, mas, por lógica, compreendo que não tenham dado o titulo ao Roman Reigns, só se deve tornar campeão na WM31 e tem tudo para “explodir” no Main-Event, a partir daí.

        Quanto ao ser o Cena Jr., não concordo muito, e acho que o Roman Reigns vai continuar a ser popular nos próximos anos.

      • DirtCrit - há 2 anos

        Agora a moda é tratar Reigns como Cena Jr, e não entendo porque. A WWE precisa de um babyface de topo. E o que a WWE tem nos mostrado de Reigns são combates em que os atletas limitam-se a ver 1/2/3 signature moves de cada participante. Por exemplo, que moves viram Randy Orton ou Kane fazer no Fatal 4-Way – os típicos destes. O grande problema a meu ver é que os powerhouses que são babyfaces vão ser sempre tratados como Super-Homens e os heels como Monstros, quando no último caso são adorados (Kane, Mark Henry, Undertaker) e no primeiro caso passam a ser odi-amados (John Cena, Sheamus, Roman Reigns)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Nem mais, acho que o Roman Reigns nunca será um Cena Jr., mas é esperar para ver.

    • MikeMxx - há 2 anos

      Faria a mesma coisa cara,exceto pela parte do Reigns como WWEWHC,pois acho que ele ainda não está preparado

    • DirtCrit - há 2 anos

      foi precisamente essa a questão do Rollins e Ambrose. Ainda assim, poderia ter sido trabalhada de outra forma creio. :/

      • Tunes9 - há 2 anos

        Pois, eu sei, mas também acho que podia ter sido trabalhada de outra forma.

  3. Foxymania - há 2 anos

    Fandango
    vs Adam Rose (w/ Layla and Summer Rae) não vi.

    Cameron
    vs Naomi- Achei um combate um pouco fraco, não se viu muito da
    Naomi, a Cameron esteve minimamente melhor, ate porque ela (Cameron)
    como hell demonstrou mais do que face.

    2
    out of 3 Falls Tag Team Champioship Match- Achei um
    otimo
    combate, tal como tu referiste ( DirtCrit) foi um
    belo final de rivalidade, mas aquele Double Diving Splash em Luke
    Harper foi fabuloso.

    WWE
    Divas Championship Match- Achei um bom combate mas estava a espera
    que a Paige virasse hell. Concordo quando dizes que o combate poderia
    ter mais uns minutos pois acho que realmente o combate poderia ter
    sido ainda melhor.

    Rusev
    (w/ Lana) vs Jack Swagger (w/ Zeb Colter)- Na minha opiniao não foi
    dos melhores combates mas também não foi dos piores, estou para ver
    as cenas dos próximos capítulos.

    Seth
    Rollins vs Dean Ambrose- achei um bom segmento mas gostaria de ter
    visto o combate entre ambos.

    Chris
    Jericho vs Bray Wyatt- achei um bom combate e volto a concordar
    contigo quando dizes
    que ambos estavam numa excelente
    forma física,
    pois apesar de o Bray Wyatt ser
    forte tem uma capacidade atlética bastante boa. Ahh e pensei que
    fosse o Bray Wyatt a vencer :)..

    Battleground
    Battle Royal for the Intercontinental Championship- um uma Battle
    Royal razoável pensei que iria vencer o Cesaro, mas quando ele foi
    eliminado pelo Heath Slater fiquei de boca aberta. Adorei o
    “segmento” de Kofi Kingston foi brilhante. E por fim coitado do
    Dolph Ziggler… :P

    E
    finalmente o Fatal 4-Way WWE World
    Heavyweight Championship Match- Mais
    uma vez o Cena foi o herói do combate. Era quase certo queo Cena
    Mantivesse o titulo. De resto achei um bom combate. Ahhh aquele spear
    de Reigns de mais… :)

  4. João_3:16 - há 2 anos

    Análise muito boa DirtCrit, e bem escrita também.

    Quanto às tuas perguntas:

    O que acharam deste Battleground?

    Um bom PPV, com certeza melhor que o do ano passado, nota 7/10

    O que mudariam?

    Daria a vitória a todos os Wyatts em seus respectivos combates e daria o IC para o Ziggler, pois a forma como fizeram o Miz ganhar foi muito idiota. O que a WWE não percebe, é que ela abriu um precedente para todo tipo de Battle Royal, ou seja, basta o lutador sair pela primeira ou segunda corda e esperar o combate ficar mais calmo. A não ser que já tenham feito esta jogada antes, em outros combates, eu não me lembro.

    • DirtCrit - há 2 anos

      Muito obrigado! Também concordo que é melhor que o do ano passado, e sem dúvida que melhor que o Money in the Bank, apesar de ainda ter alguns problemas.
      Concordo com a vitória dos Wyatts, ou a WWE está a preparar algo, ou já são muitas derrotas sucessivas, e por muito que a gimmick fale por si, e não necessite como já afirmei de Títulos a bem dizer, a questão é que 3 derrotas sucessivas em PPV’s começam a ser um bocado excessivas.
      Isto já aconteceu em Battle Royals anteriores (não consigo-te nomear alguma mas consegues encontrar videos online de certeza) e mesmo em Royal Rumbles, mas a questão é que desta vez foi com Dolph Ziggler, que é um seller de grande qualidade e com grande apoio, pelo que teve mais impacto. De qualquer forma, foi demasiada excessiva a aposta numa vitória deste tipo em Miz, creio eu. Mas foi interessante, de qualquer forma…

  5. Henrique YES! - há 2 anos

    Grande artigo parabéns! Daria nota 12/20

    • DirtCrit - há 2 anos

      Muito obrigado! Não acho que tenha sido assim tão no limiar ainda assim, os combates em termos de qualidade surpreenderam! Pode não ter tido foi os melhores resultados..

      • Henrique YES! - há 2 anos

        Sim nisso tem razão.

  6. Zé Tomé Dias - há 2 anos

    Boa revisão o Battleground

    O que mudaria eram alguns resultados das lutas, como os combates onde esteve a wyatt family, para atenuar a má fase deles em ppv’s.

    Ainda assim, achei o evento razoável, não foi perfeito nem perto disso, mas deu gosto de ver alguns combates, principalmente o tag team

    • DirtCrit - há 2 anos

      Obrigado! E sem qualquer dúvida o Combate de Tag Team deixou a fasquia alta e inultrapassável, porque foi o melhor combate da noite sem qualquer dúvida.

  7. DirtCrit - há 2 anos

    Não está preparado em que sentido? Eu acho que Reigns comparado com alguns meses atrás estava em muita pior figura do que agora. Acho que reúne as condiçoes para daqui até provavelmente a Wrestlemania 31 se tornar um grande main-eventer.

  8. DirtCrit - há 2 anos

    Sinceramente acho que isto já aconteceu em Battle Royals passadas, o problema aqui em cause é que deu muit escândalo desde início, e passou-se com um “habituée” desgraçado da WWE/adorado pelos fãs que é o Dolph. Não foi uma má jogada em termos de publicidade e de vender, até porque tornou a caça ao Título mais interessante, mas ainda assim.. Foi um resultado controverso e uma Battle Royal controversa também!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador