Wrestling, Diz Ele #52 – SummerSlam ’14

Bem vindos a mais uma semana de Wrestling, Diz Ele! E como já é hábito, e sem rodeios, eis a minha análise do PPV de Domingo passado da WWE Summerslam 2014, um dos Big Four da WWE, incluindo o pre-show e main-show do mesmo.

summer

O Kickoff do Summerslam começou com a habitual introdução do painel de comentadores, do qual faziam parte como não podia deixar de ser, Renee Young e Alex Riley e Booker T, a par do Campeão Mundial por 16 vezes, Ric Flair.  Os comentadores começaram por opinar sobre os dois combates no duplo Main-event de mais tarde, John Cena vs Brock Lesnar e Brie Bella vs Stephanie McMahon.

Rob Van Dam vs Cesaro (8.05)

cesaro
O combate do pre-show foi efetivamente entre Rob Van Dam e Cesaro (que já agora fez um brilharete no Roster Reveal, de Sábado passado). É impressionante desde logo o que Rob Van Dam ainda consegue fazer com a idade que tem e o que Cesaro consegue oferecer (espero bem que o push que lhe ia ser dado continue nos planos da WWE). O combate seguiu com um ritmo regular. RVD mostrou o seu repertório habitual, e Cesaro conseguiu brilhar ainda em alguns momentos com a sua persona e carisma característicos. Após um spot na corda superior, Cesaro contra-atacou uma série de movimentos de RVD, inclusive com um European Uppercut num RVD aério algo fenomenal. Por fim, e depois de alguma arrogância de Cesaro, RVD aplicou o 5-Star Frog Splash para garantir a vitória.

Combate: 14/20 – combate normal, nem excelente nem fraco, com ambos atletas também seria impossível ter um mau combate. Dentro das expectativas vá.

O resto do Pre-Show seguiu normalmente com um tal de “Mama’s Boy”, vencedor de um concurso no Summerslam Axxess, a fazer a sua aparição. Como sabem, o pre-show da WWE, passou a incluir na contagem final de modo separado. Desta forma dos 75% para os combates e 25% dos segmentos, 5% de cada será retirado perfazendo 10% do Pre-Show. Deste modo, e com 10% para o pre-show, atribuindo uma cotação de 14/20 para os comentários e fluidez temos:

Pre-Show: 14/20 – foi um pre-show algo positivo, com bons momentos, e uma fluidez positiva até, em parte auxiliada por um bom combate de preshow, sem dúvida abrindo o apetite para o que seria o main-show.

Summerslam 2014

E eis que o Summerslam de 2014 começou da melhor maneira com Hulk Hogan a aparecer, depois de também ter feito parte do painel de comentadores no “Roster Reveal” de Sábado. Já existiam rumores que acabaram por se confirmar, com apoteose do público há chegada e a algumas das melhores catchphrases de Hulk Hogan. Hogan fez o seu trabalho normal, apelando ao facto de no Summerslam lendas serem feitas e os mortais tornarem-se imortais para além da promoção habitual do WWE Network por 9.99$/€.

Segmento: 10/20. Nada a acrescentar. E tudo dito.

VT inicial foi então lançada com o tema de Los Angeles e ainda de batalhas entre duas forças como “Super-Homem vs Serpente”; “A Baronesa Bilionária vs A Bella” e “A Besta vs O Campeão”, e afins…

Intercontinental Championship Match (7.52)

E o Summerslam começou com The Miz a dirigir-se ao ringue e a executar uma promo. Sinceramente, acho que Miz assenta bem nesta gimmick, mas ainda assim, não vai longe com ela. Sim é Campeão Intercontinental, mas sejamos sinceros, não esperamos ter alguém a falar de uma “Money maker” sucessivamente e ser Campeão Mundial. Dolph Ziggler dirigiu-se ao ringue para a primeira ovação da noite. O combate começou com uma fluidez bastante agradável, com o “Money maker” a ser efetivamente o enfoque do combate, Ziggler a tentar atingir a face de Miz, e o Campeão a tentar evitar isso mesmo. De destacar mais uma vez o fantástico “seller” que Ziggler é, assim como o facto de The Miz ser muito melhor heel do que babyface. De destacar o combate a acelerar mesmo bastante rápido, assim como para o estalo e superkick de Ziggler em Miz. De destaque para num espaço de 30 segundos, Ziggler sair do Figure-4 Leg Lock, aplicar o Fameasser em Miz que o bloqueou para aplicar o Skull Crushing Finale. No final, Ziggler aplicou o Zig-Zag para deixar o público de Los Angeles eufórico e devo confessar até a mim que saltei do sofá, conquistando o seu segundo Título Intercontinental.

Combate: 15/20. Foi um combate bastante bom para o tempo em que tiveram, apenas gostaria que a construção tivesse sido outra, ou seja, que não se focasse no facto de Miz não querer que lhe batam na cara. Ainda assim, foi um combate bastante bom.

Quer queiram quer não, a rivalidade de Stephanie McMahon e Brie Bella é um dos motores deste Summerslam, e não vejo qualquer problema nisso, sendo que até considero das melhores rivalidades que a WWE poderia ter pensado, em termos de construção. Uma VT da última RAW foi lançada e Brie Bella foi entrevistada, naquela que foi a meu ver a promo da sua carreira. Se Brie foi criticada por não se aplicar ou não conseguir parecer real nas suas promos e segmentos, a verdade é que nesta entrevista, Brie disse, fez e sentiu tudo o que disse.

Segmento: 16/20.

Divas Championship Match (4.57)

paige
Mais um combate pelo Título se seguiu, e Paige foi a primeira a dirigir-se ao ringue imitando a rival AJ Lee. Bem, antes de mais de referir umas coisas. Paige está muito bem com a persona de heel, e esta rivalidade foi infelizmente abafada pela rivalidade de Stephanie e Brie Bella. Para além disso, é ainda de referir que ambas saíram “a perder” do combate abaixo das expectativas que tiveram no Battleground, logo este combate será a “oportunidade” para ambas. AJ seguiu-se e o combate seguiu-se com AJ bastante agressiva a morder a mão de Paige e a arrancar um punhado de cabelo de Paige. Esta por sua vez aplicou um grande facebuster em AJ na barreira de proteção e os dados estavam assim lançados. Paige aplicou uma série de joelhadas em Aj (como já nos habituou no NXT), apenas para AJ pouco tempo depois aplicar, num grande spot, um Diving Clothesline em Paige. AJ aplicou ainda um Shining Wizard em Paige, que se safou. Depois numa sucessão de 30 segundos, Paige ia aplicar o Paige-Turner, apenas para Aj reverter para um Black Widow, que Paige reverteu brilhantemente para um Ram-Paige e conquistar desta forma o seu segundo Título de Divas, naquele que foi possivelmente um dos maiores choques deste Summerslam.

Combate: 15/20. Sinceramente acho que este combate está de igual para igual com o de Ziggler-Miz, sendo que se este último foi bastante mais técnico do que este, este ainda assim teve um maior efeito surpresa. De destacar ainda o facto de por momentos eu me relembrar da rivalidade entre Lita e Trish Stratus, o que só por si é um motivo para considerar este combate, até à data, o melhor combate que AJ e Paige tiveram juntas, e que Paige já teve enquanto no main-roster da WWE, por muito que não tivessem tido bastante tempo.

Dois combates pelo Título equivaleram a duas mudanças de Título e o mote do Summerslam estava assim lançado. Para acalmar os ânimos seguiu-se uma promoção do WWE 2k15 com Sting como personagem jogável, para quem encomendar o jogo.

Flag Match (8.55)

rusev
Pois bem, a WWE aqui tinha duas opções, ou era um combate em que o vencedor seria o que erguesse a bandeira no canto do ringue. Ou então, seria o que ganhasse por pin ou submissão e no fim o respetivo hino nacional era cantado. Pois bem, o que é que a WWE decidiu fazer? Assim, nem uma coisa, nem quase outra coisa. O vencedor deste Combate de Bandeira seria anunciado pelos métodos normais, com a bandeira exposta como sinal de superioridade nacional. Rusev e Lana dirigiram-se ao ringue, depois de estarem envolvidos em polémica com os comentários de Lana acerca do Malasya Airlines, mas que ainda assim continuaram no ar com a mesma gimmick (e ainda bem). Lana realizou a promo habitual, sendo a prova que é uma das managers mais sólidas dos últimos tempos. Posto isto, um conjunto de militares americanos fizeram as saudações iniciais e Jack Swagger dirigiu-se ao ringue com Zeb Colter. A curiosidade neste combate é que poderia ter tudo para não funcionar, mas a realidade é que funciona e há uma certa animosidade e intensidade que mesmo para outras nacionalidades não passa despercebida. Swagger tornou-se efetivamente o protótipo americano nesta rivalidade, e Rusev o russo odiado. Isto tudo logicamente só veio beneficiar do estado político que a Rússia e os EUA vivem. Rusev e Lana tentaram evitar o combate depois de Rusev agredir Swagger antes do combate, e este ter virado o ataque para o seu lado mas facto é que o combate aconteceu mesmo. Este seguiu normalmente, com esta a ser talvez a melhor disputa entre ambos os atletas, ainda que mesmo assim, o clima de início esbateu-se um pouco na construção de combate. No final, Swagger aplicou o Patriot Lock, apenas para Rusev reverter e depois de uma tentativa falhada aplicar o Accolade e fazer Swagger desmaiar ganhando o combate.

Combate: 14/20. Foi um bom combate, ainda assim retirei um valor ao que daria por vários motivos: a construção do combate não aumentar a intensidade criada antes do combate; o facto de Swagger ter desmaiado depois de se ter mostrado intenso soou a demasiado “do nada”. No final Rusev ainda atacou Zeb Colter,no que veio apimentar mais e mostrar Rusev como uma força a ser considerada. E melhor, depois do hino russo ser tocado, uma coisa foi dada como certa: Rusev tem uma gimmick consolidada.

Pois bem depois disto, foi lançada uma VT que representou bem o próximo combate:

Dean Ambrose vs Seth Rollins (10.52)

ambrose
Bem depois da VT e já com os Lumberjacks à volta do ringue, Seth Rollins desceu ao ringue seguido de Dean Ambrose. O combate começou com pancadaria da grossa, e os lumberjacks começaram desde cedo a fazer o seu papel, colocando Rollins dentro do ringue. Pouco tempo depois foi a vez de Ambrose sofrer às mãos dos Lumberjacks, sobretudo Fandango e Curtis Axel. O motivo de Ambrose ter escolhido um Lumberjack Match ficou esclarecido ao longo do combate. De destacar o spot em que Ambrose aplicou um Suplex em Rollins para cima de Axel, Harper e Rowan e mais um ou outro atleta, e ainda o caos que foi quando Ambrose voava em todas as direções para todo o lado fosse para Rollins, Cesaro, ou qualquer um dos outros lumberjacks. Posto isto, a confusão foi tanta que Ambrose e Rollins chegaram mesmo a lutar junto com o WWE Universe. Dado que o objetivo do combate não estava a ser cumprido, Kane – o Diretor de Operações da WWE – desceu ao ringue e ordenou que os lumberjacks cumprissem o seu propósito. Com dificuldade, Ambrose foi colocado no centro do ringue, enquanto que todos os lumberjacks impediram Rollins de fugir e carregaram-no – estilo surf crowd – para dentro do ringue, embora todos acabassem por sofrer com um Ambrose voador (mais uma vez). De destacar o spot ainda em que Ambrose ia aplicar o seu finisher, sendo revertido por Rollins com high kick, e por Ambrose que de uma forma pouco ortodoxa aplicou uma clothesline em Rollins. Nisto Ambrose aplicou o curb stomp em Rollins (no qual admito ter sido um belo momento e cheio de emoção) com interferência a seguir de Kane. Ora esta interferência levou a que todos os lumberjacks se envolvessem à porrada (após Goldust começar à pancada com Kane por ter interferido), num belo momento de televisão. Ora quando o ringue começou a ficar mais vazio, e devido a Ambrose se encontrar distraído com a Wyatt Family, Rollins deu com a mala Money in the Bank em Ambrose e garantiu a vitória neste épico combate, talvez o melhor Lumberjack Match que eu já assisti na WWE.

Combate: 18/20 – sem qualquer dúvida e até agora, o combate da noite, e o melhor Lumberjack Match que eu já vi como já referi. Este tipo de combate normalmente é muito parado e mais do mesmo, e sem dúvida, desta vez o que aconteceu foi um combate intenso, com muita adrenalina e ação, e com dois atletas a darem o tudo por tudo, e a mostrarem que o futuro da WWE é promissor, e que o NXT é talvez a melhor criação da WWE nos últimos tempos.

E de um combate intenso para outro em que toda a gente tem os olhos postos.

Bray Wyatt vs Chris Jericho (12.57)

wyatt
Num combate em que Luke Harper e Erick Rowan estão banidos do ringue (e depois de custarem em parte o combate anterior a Dean Ambrose), eis que Bray Wyatt defrontaria de seguida Chris Jericho. Este combate foi construído à base de promos encriptadas de Bray Wyatt e de Chris Jericho, em momentos old school, como um projeto de entrevista face-a-face. Wyatt desceu ao ringue, depois de uma VT introdutória de momentos passados desde há 2 meses, naquela que foi uma paisagem memorável com toda a gente com telemóvel ligado. Chris Jericho seguiu-se, também num belo momento de televisão. A par de dois combates já realizados (o anterior e o combate pelo Título das Divas) este foi outro combate que dececionou a maioria dos fãs no Battleground. O combate seguiu-se com um ritmo normal, com Jericho a dominar, e eventualmente Wyatt com destaque para uma joelhada na cabeça de Jericho contra as escadas de aço, bem como Wyatt como maestro a conduzir os fãs da arena enquanto cantavam “You’ve got the whole world…”. Mais, Yyatt aplicou ainda um clothesline na cabeça de Jericho contra o poste do ringue. Wyatt e Jericho foram trocando de momentum ao longo do combate, ora um ora outro, mas é impressionante a capacidade técnica, atlética, e de vender com linguagem corporal, quer de um, quer de outro, o que já é dizer muito de alguém que há uns anos era o Husky Harris do NXT. A certo ponto, Wyatt fez o seu maneirismo clássico no canto do ringue, e tentou aplicar o Sister Abigail, tendo caído no entanto num Walls of Jericho bem revertido. De destacar ainda o Hurrincarana de Jericho em Wyatt do topo do ringue, muito bem aplicado e vendido; e ainda, dos grandes momentos deste Summerslam, Jericho prestes a aplicar o Lionsault e acaba por ver Wyatt a fazer o movimento spider-like. Jericho aplicou, depois de Wyatt afirmar que “I cannot die” um codebreaker mas Wyatt acabou por se safar e aplicar um Sister Abigail contra a barreira de proteção. Wyatt acabou por colocar Jericho dentro do ringue e aplicar um Sister Abigail dentro do mesmo, para ganhar o combate.

Combate: 16/20. Foi um bom combate? Foi. Melhor que Ambrose e Rollins? Não. Melhor que no Battleground? Sim. O melhor que ambos conseguem fazer? Não. Acredito que a história terminou aqui? Não. Facto é que, esta vitória LIMPA de Wyatt em Jericho acaba por atenuar a derrota anterior, e todas as derrotas que Wyatt sofreu em PPV’s desde o Extreme Rules, devido à intensidade e à força da sua performance. O momento após o combate, foi absolutamente certeiro e bastante bom, não fosse Wyatt dos melhores ao micro, naquilo eu faz.

E o primeiro combate de um duplo main-event seguiu-se:

Stephanie McMahon vs Brie Bella (10.16)

Após a VT introdutória, podem falar muito, mas para mim, esta é das histórias com mais pés e cabeça da WWE nos últimos tempos. Sim a Brie pode não ter sido a melhor escolha, mas a questão é tudo fez sentido, desde a história a partir do Daniel Bryan até a este combate. A WWE fez o que devia, e a verdade é que misturar ficção e realidade deu numa das melhores construções de sempre da WWE, em termos de storyline. A Stephanie McMahon por si só assegurou que é das melhores entertainers deste mundo, e sem qualquer dúvida está lá para seguir as pisadas do pai. Aquilo corre definitivamente nas veias, não se ensina nem é comprado. É genético. Flashback, flashback, flashback. Deja vu? Stephanie McMahon desceu ao ringue primeiro, naquilo que me fez lembrar alguns vídeos da altura em que esta menina se sagrou Campeã Feminina da WWE, e andava com um tal de Chris Jericho. De destacar ainda, que Stephanie McMahon à entrada fez o simbolo de 4, devido às Four Horsewomen estarem à beira do ringue. Brie Bella seguiu-se a Stephanie McMahon e o combate iniciou-se. O combate começou com ambas as atletas a tentarem surpreender e ultrapassar a outra. Stephanie acabou por levar a melhor, até Brie Bella impedir um estalo de Steph e tentar aplicar o Yes Lock em Stephanie McMahon. Posteriormente, Brie Bella tentou aplicar um suicide dive em Stephanie que reverteu num belo movimento, parecido com um bulldog nas cordas inferiores que pareceu bem feio, visto na TV. Stephanie tentou ganhar por contagem, o que não se sucedeu, e aplicou um belo DDT em Brie Bella, já no ringue. A este ponto os fãs disseram e bem “You still got it”, e verdade seja dita, Stephanie ainda é capaz. Brie acabou por conseguir ganhar algum momentum com um Lou Thesz Press e uma série de “Yes Kicks”, Facebusters e um Dropkick da corda mediana em Stephanie McMahon. Nisto Triple H desceu para o ringue assim como Nikki Bella em auxilio de cada uma das partes, Stephanie tentou aplicar um Pedigree em Brie mas acabou por sofrer um Yes Lock. Quando Brie parecia ganhar, Triple H puxou o árbitro impedindo que este contasse a desistência de Stephanie. Brie Bella aplicou um baseball slide em Triple H depois disto e Nikki Bella aproveitou o momento para confrontar Stephanie McMahon com a irmã. Nisto e quando aparentemente ambas iam atacar Stephanie, Nikki aplicou um digno de “Bull Hammer” em Brie Bella, fazendo o tão rumorado heel turn, para deleite dos fãs. Stephanie aproveitou, aplicou um Pedigree e ganhou o combate.

Combate: 14/20. Não foi um mau combate. Sim tivemos apenas manobras de wrestling clássicos mas há aqui vários fatores a ter em conta. Primeiro, trata-se de Stephanie McMahon que não combate, não é atleta, já não o fazia há 10 anos alias. Segundo, teve bastante bem até, não botchou nenhum movimento, e fez mais do que normalmente vemos num combate da família McMahon. Terceiro, tivemos um heel turn que os fãs queriam, muito bem realizado, quando eu até esperava que fosse uma das Four Horsewomen a interferir. Quarto, mesmo Brie Bella teve uma excelente prestação, e sem dúvida foi um bom combate.

De seguida, tivemos uma VT com o “Mama’s Boy” que já tinha aparecido no pre-show deste PPV e seguiu-se um combate que em termos de construção caiu um pouco em segundo plano.

Randy Orton vs Roman Reigns (16.17)

reigns
Orton desceu ao ringue seguido de Roman Reigns, num combate com pouca construção quando comparado com outros neste PPV. Roman Reigns começou por ter a vantagem sobre Orton com uma série de strikes, até que este acabou por mandar Reigns contra as escadas de aço para ter ele próprio a vantagem. O combate seguiu com uma troca de momentum até Reigns aplicar um Samoan Drop seguido de grande momentum para este lado. O combate em si, como devem calcular seguiu de uma forma ritmada, e o normal para um combate de wrestling, sem grandes surpresas. Reigns aplicou de seguida o usual dropkick na borda do ringue, e Orton acabou por ganhar controlo novamente no combate com uma série de movimentos utilizando o que rodeia o ringue: poste, barreira de proteção, mesa de comentadores, escada de aço. Reigns acabou por obter o controlo novamente conseguindo aplicar ainda um Samoan Drop da corda média do ringue. Reigns acabou por aplicar o Superman Punch em Orton mas vendo o seu Spear revertido num Powerslam bem rápido de Orton. De seguida, Orton acabou por aplicar o DDT em Reigns, característico deste. Reigns tentou reverter mais uma vez o momentum do combate mas acabou por ver-lhe aplicado um RKO. No final, Reigns safou-se do RKO, evitou o Punt de Randy Orton e aplicou o spear para ganhar o combate.

Combate: 15/20. Foi um combate normal, sem surpresas, com Orton a carregar o combate, e Reigns a sofrer todo o arsenal de Orton e aplicar os seus movimentos caracteristicos. No final do dia o Super-Homem ganha, e o Kryptonite não chega para acabar com a stamina deste.

Depois deste combate, foi anunciado que pela primeira vez em 6 anos consecutivos, a WWE e a edição número 28 do Summerslam seria em Nova Iorque, Nova Jérsia.

E posto isto, e num Summerslam sem grandes segmentos e com os combates a ocupar mais ou menos o mesmo tempo, como podem ver entre parentisis em cada título.

WWE Championship Match (16.06)

cenawinslol?
De reparar que num PPV com três Títulos em jogo, dois destes mudaram de mãos. A VT de apresentação do main-event foi fenomenal e mostrou perfeitamente o que Brock Lesnar e Paul Heyman representam assim como do que trata a rivalidade que ocupa o grande main-event deste verão da WWE. Brock Lesnar desceu ao ringue com Heyman seguido de John Cena, para a tão esperada reação polar. E que começo de combate, mais parecia uma rixa de rua, com Brock Lesnar a aplicar um F5 nos primeiros 30 segundos de combate. Cena logicamente safou-se, mas o aviso estava mandado desde cedo. Cena ficou caído no chão mesmo assim, sendo que Lesnar começou a ditar o combate com a aplicação de dois german suplex, um vertical suplex e com um ritmo absolutamente bem conectado. E aqui foi uma excelente construção de combate, com Lesnar a sair mesmo por cima como uma besta destruidora, e Cena com algumas dificuldades em se livrar da força e intensidade de Brock Lesnar. Prova disso, mesmo depois das tentativas de Cena fazer frente a Lesnar, este acabou por aplicar 4 German Suplex, com intervalo para caminhar e a este ponto mesmo os cânticos de “Cena Sucks”, deixaram de se ouvir porque o que se assistia foi o Campeão Mundial por 15 vezes a ser completamente esmagado por Brock Lesnar. Lesnar acabou por aplicar outro German Suplex perfazendo um total de 7 German Suplex já aplicados em Cena, e dando instruções ao árbitro para ver o estado de John Cena, isto a dez minutos do Summerslam acabar. Brock acabou por aplicar mais outro German Suplex (contagem de 8), nisto e quando Brock contava aplicar o nono, Cena acaba por reverter e acabar por aplicar o AA em Lesnar, levando o público ao rubro e a levantar-se todo. Por muito que este combate não esteja a ser o combate mais técnico e de wrestling, a verdade é que está com uma dose de intensidade tal que faz com que seja possivelmente dos melhores momentos neste Summerslam inteiro, até porque pela primeira vez em 10 anos, John Cena está a ser completamente esmagado, quase como num squash match e com um Título Expoente Máximo em jogo, e à volta da cintura deste. Depois disto, Brock Lesnar manteve-se completamente inalterável e a provocar John Cena para um “teste de força” o que resultou em mais quatro german suplexes, desta vez em forma delayed (isso significa que o Brock não largou Cena e aplicou os quatro seguidos, para os mais novatos, fica a explicação). Lesnar continuou a obrigar o árbito a questionar Cena se queria desistir, e o mesmo continuou a dizer que não o que resultou em mais três delayed german suplexes, perfazendo um total 15 German Suplexes já realizados por Brock Lesnar. John Cena ainda aplicou o STF mas acabou por sofrer um F5 levando Brock Lesnar, e pela terceira vez neste Summerslam, a tornar-se o novo campeão Mundial.

Combate: 13/20. Foi possivelmente o combate mais complicado que eu tive de fazer contas desde que faço isto desde a Wrestlemania XXX. Por um lado, em termos técnicos, este combate limitou-se a 15 German Suplexes, a porrada tremenda, a dois F5, um AA e um STF. Por outro lado, temos de olhar para o lado da história, muitos indicavam que Brock Lesnar iria ganhar, mas ninguém esperava que este derrotasse John Cena num autêntico squash match, com John Cena a ser o menino da WWE, e um Campeão Mundial por 15 vezes já. Por acaso em termos de curiosidades, Brock aplicou o  o mesmo número de German Suplexes do que reinados de John Cena enquanto Campeão Mundial, basicamente um por cada reinado. (AVISO: Pode ser lapso meu, mas creio que a contagem oficial não é 16, mas sim 15, o nono German Suplex, Lesnar não conseguiu-o aplicar porque Cena reverteu num AA.) Por este motivo, e dado o factor surpresa, a força bruta mostrada por Lesnar e o impacto histórico que isto teve, atribui o número 13/20 a este combate.

Ora bem, posto isto, este Summerslam foi possivelmente um dos melhores da WWE e bastante superior aos seus últimos 2/3 PPVs. Não foi um PPV dotado de segmentos, a generalidade dos combates foi bastante positiva, e tudo fez sentido. Não houve a habitual pausa para o kickoff, o que só prova o que eu já disse (Vince McMahon are you Reading my stuff man?), quando há boaconstrução não vale a pena aquela pausa ali no meio. Para além disso, foi um PPV tipicamente “best for business”, com Paige, Dolph Ziggler, Wyatt, Lesnar (fundamentalmente) a saírem por cima dos seus combates, para além de Reigns e do heel turn de Nikki Bella.

Curiosidades do Summerslam:

– Este foi o único Summerslam alguma vez organizado pela WWE em que TODOS os Títulos em jogo mudaram de mãos e o primeiro evento da WWE com o novo logótipo, assim como o sexto Summerslam organizado consecutivamente no Staples Centre.

– Paul Heyman, antiga cabeça da ECW, leva Brock Lesnar ao seu quarto reinado enquanto Campeão da WWE, estando no mesmo ringue ao elevar o Título da WWE e antigo Título Mundial de Pesos-Pesados da WCW

– Stephanie McMahon regressa aos ringues 10 anos depois, com uma vitória.

– John Cena perde o seu 15º Título Mundial num autêntico squash match e completamente descredibilizado. Se tecnicamente havia momentos para um heel turn, ou uma gimmick turn, seria efetivamente agora, principalmente com Nikki Bella heel também, embora, realço, não acho que isso vá acontecer DE TODO. CENA WINS LOL?

– Rumores mais recentes indicam que este terá sido o fim de AJ Lee na companhia por uns tempos, o que justifica a vitória de Paige e lançam a Divisão das Divas para caminhos bastante apertados.

Ora, aplicando, uma taxa de 70% a combates, 20% ao único segmento do PPV e 10% ao pre-show:

Summerslam: 15/20 (14.5) **** 16/20.

Aritméticamente falando, o valor do Summerslam, dados os poucos segmentos foi influenciado pela quantidade de combates bastante bons, e avaliados a maioria com 15/20, o que não aconteceu no Battleground por exemplo. Neste sentido, creio que um 16/20 seria o mais apropriado para este Summerslam, pois no geral, creio ter sido um excelente PPV, e que elevou bastante as coisas na WWE, sem dúvida numa altura em que se exigem mais subscrições à WWE Network.

E é tudo esta semana ;)

Que acharam deste Summerslam? O que mudariam?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

13 Comentários

  1. Zé Tomé Dias - há 2 anos

    Boa revisão do summerslam.

    Acho que foi um evento bastante positivo, teve grandes combates e muitos pontos de interesse.
    Se em mudasse alguma coisa era a estipulação do combate rusev vs swagger (chamam a aquilo um flag match?!?), mas de reuto não mudaria grande coisa

    • DirtCrit - há 2 anos

      Obrigado :)
      Concordo. Lá está o Flag Match foi alterado, e foi um bocado um mix de coisas ali no meio. Mais valia ter chamado a isto um Anthem Match ou algo do género…

  2. Tunes9 - há 2 anos

    Boa análise DirtCrit, muito bom.

    Concordo com praticamente tudo, e mudava pouca coisa.

    Talvez mudasse o “Flag Match”, seria um verdadeiro flag match ou então um combate normal, mas nunca faria uma coisa no meio dos dois, ficou algo confuso e menos interessante, seria uma das coisas que mudava, e se calhar punha o Jack Swagger a vencer e depois o hino dos EUA a ser tocado e toda a gente de pé, seria um bom momento.

    Acho que a Brie Bella não foi o adversário ideal para a Stephanie, mas acabou por ser uma boa construção da feud e a Brie cumpriu o seu papel, destaque para a Stephanie que é uma heel excepcional e esteve bem no combate, mesmo sem lutar há 10 anos.
    Só quero dizer que a Nikki desiludiu, mas não me surpreendeu, só há três hipóteses, a Nikki Bella fez um horrível trabalho (não me surpreenderia), estava a fingir que se preocupava para gozar com a irmã (pouco provável) ou foi obrigada/ameaçada pela Autority com qualquer coisa e teve que trair a irmã contra a sua vontade (talvez, mas não me acredito), portanto o mais provável é que não fosse suposto demonstrar tristeza e arrependimento, mas foi o que aconteceu, mais uma vez a Nikki esteve mal, mas vou esperar por esta RAW para perceber o que realmente aconteceu e para ver se foi só um pós-ataque e ela já mostra outras expressões de acordo com a storyline, nesta RAW.

    O Brock Lesnar massacrou o Cena e conquistou-o, foi uma coça brutal e adorei o combate, mesmo não tendo sido muito técnico, encaixou bem na história e o Lesnar fez o seu papel de forma sensacional, mais uma vez, e o John Cena também esteve muito bem.

    Quero acrescentar que no Paige vs AJ, a vitória da Paige não me surpreendeu, não sou vidente, e falho muitas vezes e também sou muitas vezes surpreendido, mas desta vez não foi o caso, estava plenamente convicto que a Paige ia vencer, acho que era mais crença que convicção, visto que é a minha “Diva” e acho que foi algo injusto a sua derrota depois do regresso da AJ, mas seja como for, não fiquei surpreendido, mas sim satisfeito e contente, ela merece e acho que tem o talento e a capacidade para carregar a divisão a médio prazo, não tenho duvidas disso.

    Gostei do PPV, bons combates, bons momentos, e os vencedores que eu queria nos combates, perfeito.

    Bom trabalho. :-)

  3. Dolph Ziggler Show Off - há 2 anos

    Boa análise…
    Concordo com tudo menos a pontuação que deste ao Cena vs Lesnar eu não dava 13/20 eu dava 8/20 porque o combate teve pouca coisa só foi signatures e fineshers…

  4. DX Rules - há 2 anos

    Boa análise e concordo com tudo

  5. Foxymania - há 2 anos

    Grande
    Verão, Grande PPV e bom artigo.

    Não vou
    comentar o Kickoff pois não vi mas acredito que tenha sido um bom
    combate entre o Cesaro e RVD pois ambos são bons em ringue e ambos
    tem talento, e espero que o Cesaro leve um push pois é bem merecido.

    Relativamente
    ao Summerslam começa com o Hulk Hogan a falar da promoção habitual
    do WWE Network etc.. um segmento normal.

    Summerslam:

    Intercontinental
    Championship.

    Um bom
    combate entre The Miz e Ziggler onde o Ziggler consegue vencer o The
    Miz e assim
    tornar-se campeão. Tive pena do reinado do The Miz ter sido curto e
    pouco interesante mas como tu referiste o Miz com heel esteve muito
    bem e Ziggler merecia vencer

    Divas
    Championship match.

    Um bom
    combate entre ambas onde Paige esteve mais uma vez muito bem com heel
    e espero que se mantenha heel. Não estava mesmo á espera que a
    Paige fosse vencer, mas venceu num combate curto mas bom. Se a AJ lee
    sair é pena pois é das melhores divas mas pode ser que com a saída
    desta outras divas possam subir como por exemplo a Alicia Fox a minha
    diva favorita, a Emma etc…

    Flag match
    Um
    bom combate concordo quando dizes que a construção do combate não
    aumentou a intensidade criada antes do combate e o facto do Swagger ter
    desmaiado depois de se ter mostrado intenso durante o combate. Mas de
    resto nada a apontar a Lana como sempre este muito bem e tivemos o
    prazer de ouvir o hino da Rússia xd.

    Dean Ambrose vs Seth Rollins

    Simplesmente
    adorei um otimo Lumberjack Match onde vimos um Ambrose e um Rolins em
    alta num combate cheio de ação. Pensei e queria que ganha-se o
    Ambrose mas não aconteceu pena, de resto mais nada a dizer.

    Bray Wyatt vs Crish Jericho
    Mais
    um bom combate onde podemos ver mais uma vez a excelente forma física
    de Wyatt, para ser sincero não sei se a historia acabou aqui mas se
    acabou foi com um combate bastante bom com uma vitoria limpa de
    Wyatt.

    Stephanie vs Brie Bella
    Realmente
    foi uma historia muito bem organizada e interessante, a Brie pode não
    ter sido a escolha perfeita mas a verdade é que a historia funcionou
    bem. Defenitivamente a Stephanie é uma heel fantástica e uma
    exelente entertainer. Mas relativamente ao combate foi bom onde me
    lembrei da Stephanie da antiguidade e a Brie que esteve bem. A Nikki
    virou heel finalmente.

    Randy Orton vs Roman Reigns
    Um
    bom entre ambos só espero que a WWE não tente por ao Reigns a mesma
    personagem que o Cena pois este tem talento e como Super-Man não vai
    lá.

    WWE Championship Match
    Um
    bom combate onde se destacou o lado destruidor do Lesnar e o Cena a
    ser por completo esmago pelo The Beast este que lhe aplicou 15
    Germany Suplexes . O Lesnar depois de ter vencido o Undertaker e
    agora vencer digamos facilmente o Cena e
    se tornar campeão este esta imparável.

    O
    que eu mudaria ?

    Talvez
    deixasse o Miz mais algum tempo com o titulo. De resto mais nada só
    tenho a dizer que adorei o PPV gostei de todos os combates em geral e
    como referi antes um bom artigo DirtCrit :)

  6. Rollins Up - há 2 anos

    Four HorseWoman??

  7. Hildo - há 2 anos

    Muito boa Revisão.

    Eu mudaria o resultado do Rollins/ Ambrose, para que o Ambrose não se afasta-se tão por baixo quanto saiu, e daria mais tempo para Aj vs Paige.

  8. THE_WOLVERINE - há 2 anos

    excelente artigo, eu não mudaria nada foi o melhor PPV da WWE desde a WM30.
    Só acho que esse Roman não é o cara para a WWE investir, e acho que a WWE deveria investir em Dean Ambrose este cara me lembra muito SCSA

  9. rodrigomcb99 - há 2 anos

    Excelente revisão
    Respondendo ás perguntas:
    -Eu gostei do PPV, teve bons combates e com historias muito bem contadas
    -Embora nao estivesse à espera de alguns dos resultados dos combates, nao os mudaria

  10. CENA - há 2 anos

    Cena heel please

  11. theultimatekiller - há 2 anos

    Eu queria ver era a ronda rousey como campeã das divas. O lesnar como campeão do setor dos homens e a rousey do setor das mulheres, lol

  12. Francisco Ferreira - há 2 anos

    sim, nao foram 16 german suplex, foram 16 suplexes no geral, 15 germans e um normal

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador