Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Wrestling, Diz Ele #9 – WW… Problemas?

Tal como prometido, esta semana no Wrestling, Diz Ele prometo-vos uma coisa apenas: controvérsia, e guerra entre fãs da WWE/TNA e mesmo entre os primeiros. Esta é a minha visão dos problemas da WWE actualmente.

Pois bem que muito para além da insatisfação dos fãs existem como é de conhecimento geral problemas que abalam a estrutura da WWE enquanto empresa, e enquanto número um dentro da modalidade de wrestling profissional.

Em primeiro convém termos algumas matrizes em consideração; o primeiro é que a WWE é empresa de entertenimento, o segundo é que os valores económicos têm de ser levados em conta e são uma parte fundamental na empresa. Daí que, comentários como “a Attitude Era tem de regressar” e “queremos sangue e combates hardcore” não são, para mim, levados em conta. O produto mudou, toda a gente sabe disso, nãoa dianta estarmos com filosofias ou planos/esperanças sobre mudanças a esse nível, porque neste momento temos mesmo de visualizar a WWE enquanto força e produto de capitalismo, cru e duro.

Ainda assim, e dados os objectivos da empresa, há que ter em conta que existem erros que precisam de solução porque verdade seja dita esta está estagnada no tempo e com dificuldades em alcançar e “dar o tiro” para o futuro. Felizmente, que não há concorrencia que lhe valha a este nível, e não a TNA não é alvo a abater para a WWE, porquê? Porque não faz de um dos seus objectivos crescer a níveis económicos. E sinceramente, nem lhe interessa que o faça, pelo menos para já.

Mas bem, quanto à WWE, como é de conhecimento geral podemos falar de 4 categorias: main-event, midcard, divisão de Tag Team e divisão de Divas; e se bem que existem problemas em comum às quatro categorias há problemas singulares dentro de cada uma delas. Exemplo disso, na divisão de Main-Event temos problemas claros e enaltecidos por uma Wrestlemania muito mal construida, pouco estruturada, e com problemas de consolidação e de envolvimento com espectadores; aliado claro está a uma repetição de combates que entedia os fãs. Mais ainda, os cabeças de cartaz, ou seja os maiores combates serem entre John Cena’s, Orton’s, Sheamus’s, Big Show’s, The Rock’s e Punk’s levam qualquer um à exaustão. As variantes mudam mas os combates na íntegra mantém-se os mesmos, por muito que sejam todos distintos um dos outros.

Tem-se assistido a uma maior vontade de empregar atletas antigos como o já mencionado Dwayne Johnson e Brock Lesnar e o recém rumurado Batista e porque? Porque a WWE não consegue lançar jovens talentos para o main-event, não lhes consegue dar a credibilidade que estes atingiram há uns anos atrás (e sim não me venham com histórias porque John Cena tem a credibilidade e o talento que tem e isso ninguém lhe pode tirar). Mas lá está, existe tão pouca consolidação de jovens talentos no main-event, pouco enfoque neles que os fãs não se conseguem ligar, não conseguem ter o respeito que deveriam ter realmente pelos mesmos. A esperança para muitos encontra-se precisamente nos The Shield e talvez, e apenas talvez, Triple H tenha tido uma excelente ideia com o NXT.

Posto isto, o problema no main-event é basicamente este e tem de ser reformulado; as caras têm de rodar, o ambiente tem de mudar, porque pior que uma empresa que não quer alcançar feitos grandiosos e económicos, é uma empresa que se estagna no main-event durante anos seguidos.

Tendo em conta agora o midcard os problemas continuam sucintamente os mesmos dentro da repetição e falta de criatividade e enfoque nos atletas mas mais ainda encontra-se a problemática das histórias abordadas. Pensem, dentro do Midcard qual foi a última storyline verdadeiramente arrepiante e significativa que assistiram? Até Boogeyman vs Booker T de há alguns anos conseguia ser mais interessante que as actuais… que bem, são inexistentes verdade seja dita. A WWE necessita de reformular toda a divisão criativa, o Vince está velho, exausto mesmo sem lhe tirar todo o mérito de génio que obviamente possui; mas esta é a realidade. A equipa está cansada, é necessário empregar novos writers, novas ideias, novas mentalidades, o mundo mudou e a equipa e o patrão têm de se moldar porque senão as coisas não continuaram pelas terras da boa disposição para a WWE, aliás, como já se verifica, estão longe de tal.

Aliado a este problema encontra-se obviamente os rumores e a possibilidade de unificação de Títulos Intercontinental e de Estados Unidos que é só a pior manobra possível para a empresa actualmente. Em vez de resolverem um problema que é mais que óbvio, não apagam e põe paninhos quentes na questão, e com tantos títulos unificados não me espantava termos também em breve um só titulo mundial e um roster reduzido a metade… Pelos vistos um dos membros da Troika deve ser chefe criativo lá em Stanford só pode.

Mas desenganem-se porque estes problemas continuam exactamente os mesmos na divisão de Tag Team da WWE. Mas claro que um problema nunca vem só e temos de aliar à falta de aproveitamento das equipas no seu desenvolvimento. Quando tudo parecia bem com Team Hell No e Rhodes Scholars eis que a WWE perde toda a rampa de lançamento e decide separar/unir/separar/unir Sandow e Rhodes (que foram só a melhor coisa a ser lançada desde os Rated RKO e ShowMiz) bem como a lançar uma equipa ridicula entre um ex-demolidor-japonês-enforecido Tensai (que perdeu o Lord que dava a pinta toda e parecia saido de um filme das Guerras da Estrelas) e o monstro-com-problemas-subitos-de-identidade-e-pensa-que-estamos-no-Parque-Jurássico Brodus Clay. O problema nem está nas equipas a serem construidas (pensem em Spirit Squad ou T&A) mas sim no que fazem quando estas se encontram construidas, no seu desenvolvimento, na sua construção criativa em que o talento dos atletas e a quimica destes não é certamente o único factor a ter em conta. Pensem o que seria do Dr. House sem o argumento, a personagem está lá mas e o resto?

E por fim, a questão da Divisão das Divas, inexistente praticamente e que revolta qualquer pessoa e fã de wrestler que se preze. Anos de luta para uma igualdade de trabalho, e a inferiorização nestas é demais e revoltante para o ano em que nos encontramos, uma divisão de lamentar em que não há expoentes máximos, não há criatividade dentro das personagens nem tão pouco histórias em que as lançar sendo a última e que contribuiu para um novo boom dentro da divisão foi a chegada de Kharma ou então as aparições espontaneas de Trish e Lita na WWE (naqueles aniversários). Reforma meus amigos reforma!

E é isto sem dúvida que é preciso, uma reformulação de governo dentro da WWE. A nível criativo, a nível de talentos, de apostas, um parar, refazer, voltar atrás, e mais todo um planeamento de meses para evitar sobressaltos ou problemas de maior. A WWE pode ser a bananeira mas até a sombra desta à noite passa, não há concorrência, não há medos a ter, ou grandes receios ou motivos para alarme, mas uma empresa de renome não pode oferecer o que tem oferecido nos últimos meses, porque acima de tudo é um ultraje aos tempos antigos, ao que Vince tem construido e um ultraje a nós fãs da modalidade.

E por esta semana, este foi o Wrestling, Diz Ele; até para a semana ;)

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

7 Comentários

  1. Tibraco - há 4 anos

    Um texto brilhante onde consegues, de forma resumida, “colocar o dedo na ferida”. Concordo, em absoluto, com as tuas opiniões e não consigo compreender como é que não tens mais comentários. Continuação do excelente trabalho.

  2. GJD - há 4 anos

    Texto perfeito, concordo em tudo

  3. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo.

    Tal como disse no report da Raw desta semana, a WWE, aos poucos, vai ficando menos PG. Se repararmos bem, há dois anos as coisas estavam bem “piores” nesse aspecto, por isso, os fãs que se queixam do facto de a WWE ser PG e que isso é a culpa de tudo, simplesmente não têm razão.

    Concordo contigo em tudo, principalmente na parte das Divas. É uma falta de respeito a senhoras que conseguiram que o Wrestling Feminino fosse importante. É uma vergonha…

  4. FranciscoAP - há 4 anos

    Acho que, apesar de concordar que não se pode falar em concorrência directa, a WWE sabe aquilo que a TNA se pode tornar e, inclusive, já se está a tornar. O facto de terem passado a ter shows semanais em várias arenas e cidades diferentes é o início de uma nova era para a empresa. Aliás, quando a TNA anunciou que ia saiar da Impact Zone e começou a marcar arenas, quem é que começou logo a assinar contratos de exclusividade com essas mesmas arenas? A WWE. Queres um maior reconhecimento do perigo da TNA que isto? A meu ver, a única coisa que vale à WWE neste duelo é todo o passado e historial que a TNA não tem. Como isso é impossível de ser ultrapassado, acho que a TNA aposta e bem noutro tipo de abordagem, e com isto quero dizer o público-alvo. Não é preciso ser um espectador atento para ver que não existem crianças nos shows da TNA, tão simples quanto isto. É uma oferta diferente, para mim bastante mais apelativa, mas sou daqueles que acho que podemos conciliar as duas sem qualquer problema. Claro que eventualmente temos que fazer uma escolha por falta de tempo, etc. Nessa altura a minha escolha é, sem qualquer tipo de hesitação, a TNA, e no futuro estou certo que seremos mais… Muitos, muitos mais :)

  5. Darth Mordred - há 4 anos

    Bem, eu acho que algo como pro-wrestling, e digo isso baseado históricamente ele representa nos EUA, é extremamente complicado moda-lo a um programa para toda família sem mudar sua essência.

    Mas o problema é a falta de concorrência, na attide era, a WWE comprou com a WCW, e se consolidou soberana, e isso permite a ela fazer o que quiser com esse público, inclusive enriquecer ainda mais.

    Só discordo da teoria que “a sociedade mudou, e a WWE foi obrigada a mudar também, por causa da sociedade”, se assim fosse, a Bethesa, autora do jogo Skyrim, um jogo com uma faixa de idade para um público específico, não venderia tanto e seria o sucesso que foi para a empresa, isso só para pegar um exemplo.

    A WWE, entre vários motivos, por motivos políticos e financeiros. Os voôs que ela quer dar, nenhum político americano vai endossar se a empresa fosse ainda tida como violenta e imprópria a família.

    E sem concorrência, quem irá sacudir a WWE? hehe

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador