Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #37 – Bom Começo, Mau Final

O Hell In A Cell de ontem encaixou mais ou menos naquilo que que eram as minhas expectativas para o evento, os combates que menos me interessavam não me surpreenderam, aqueles dos quais eu esperava mais, houve uma ou outra surpresa, não na qualidade dos combates, mas sim nos vencedores e depois chegou o main-event, do qual eu nem sei o que hei de dizer. No entanto eu gostei do PPV, na minha opinião foi um dos melhores da WWE este ano ou pelo menos um dos mais fáceis de assistir, sendo que não havia nenhum combate no card para encher chouriços, o que só por si já representa uma vitória para a WWE.

Por falar em vitórias, o primeiro vencedor da noite, não estou a contar com o kickoff – peço desculpa -, foi Randy Orton, que após um combate brutal e uma queda aparatosa de Jeff Hardy – para variar – conseguiu fazer o pin no seu adversário. Em primeiro lugar quero apenas dizer que não há melhor forma de começar um PPV do que um combate Hell In A Cell que de facto se adequa à gimmick do PPV, em segundo, quero destacar a enorme dedicação que Jeff Hardy possui, mostrando que aos 41 anos, é possível sobreviver a uma uma chave de fendas no lóbulo da orelha e a mais uma queda aparatosa e ainda assim fazer um bom combate e em terceiro lugar, agora a sério, Orton e Hardy estão de parabéns pois tiveram o combate mais brutal do Hell In A Cell. Foi um excelente combate de abertura e manteve as pessoas interessadas sem ser um combate por um título, o que hoje em dia não é uma tarefa fácil.

A este combate brutal entre Orton e Hardy, seguiu-se Charlotte vs Becky pelo título feminino do SmackDown. Confesso que não estava à espera que Becky vencesse, muito menos limpo, mas a verdade é que foi isso que aconteceu e apesar de um final algo anti-climático, acabou por fazer sentido, porque é óbvio que a WWE não iria fazer Charlotte perder o título por submissão. Espero que aquele pós-combate, no qual Becky recusou o aperto de mão de Charlotte não seja um sinal de que a WWE está a tentar apresentar Becky como heel e Charlotte como face, mas é a WWE e provavelmente ou é isso ou então terça-feira vemos o Dr. Shelby a fazer uma visitinha ao SmackDown, no entanto, eu ainda tenho esperanças de que a WWE não esteja a pensar em definir nenhum herói ou vilão nesta storyline e continue a bookar a feud como tem bookado até agora, ou melhor se possível.

Passando agora para o terceiro combate da noite, o único combate com os títulos de tag-team em jogo no main card, este foi na minha opinião, o melhor o combate da noite, o que não é surpresa nenhuma. Pois de um lado tens um Dean Ambrose acabado de voltar e portanto com mais energia que nunca e um Seth Rollins que parece não conseguir menos que um ótimo combate nos últimos tempos e do outro tens um Drew McIntyre que é um monstro de dois metros que consegue fazer kip-ups e suicide dives como um cruiserweight e ainda por cima tem uma força do outro mundo e um Dolph Ziggler, que motivado consegue competir com os melhores dos melhores dentro do ringue. Por isso, isto tinha tudo para dar certo e foi isso que aconteceu, estas duas tag-teams brilharam mais uma vez e mostraram todo o seu talento e acho que qualquer fã de wrestling, penso eu, ficou mais que satisfeito com o combate, independentemente do seu desfecho.

Após este excelente combate, tivemos mais um grande combate entre Styles e Samoa Joe. Este combate na minha opinião não foi tão bom como o do SummerSlam, mas ainda assim, não tenho nada negativo a apontar, exceptuando talvez o final. Tudo bem, eu já estava à espera que a rivalidade continuasse e já estava a contar com um final controverso, mas na minha opinião este final em nada beneficiou AJ Styles. Se formos a ver, o herói desta história desistiu. O árbitro não viu, o que vai ficar escrito na história foi que Styles venceu Joe, mas a verdade é que ele desistiu, o héroi da história desistiu e o vilão tem toda a razão em estar frustrado. A meu ver este final teria sido melhor executado, se a WWE não tivesse um ângulo alternativo, de forma a que não víssemos se Styles tinha de facto desistido. E a não ser que a WWE a partir de agora, não esteja mais a tentar retratar Styles como um herói,o que seria um bocado estranho depois do que se passou até agora, o final poderia ter sido muito melhor executado, não tirou nada ao combate que foi ótimo, mas para mim o final ficou um bocado aquém.

Após este combate, o show entrou num declínio e portanto de seguida, irei agrupar os dois combates que seguiram a este, Ronda Rousey vs Alexa Bliss e The Miz e Maryse vs Daniel Bryan e Brie Bella. Eu decidi agrupar estes dois combates apenas por serem os únicos dois combate dos quais eu não tinha expectativas. E ainda bem que não tinha expectativas, pois não foram nada de novo, nem de interessante. Ronda Rousey venceu mais uma vez Alexa Bliss e por mim isto tinha acabado mais rápido e Rousey vencia mais uma vez Bliss num squash match, mas se calhar a WWE queria “enfraquecer” um pouco Rousey para um eventual confronto com Charlotte, visto que esta perdeu limpo para Charlotte ou então o contrário, se calhar o objetivo era “fortalecer ” um pouco Bliss para o seu combate com Trish Stratus no Evolution, de qualquer das maneiras, o combate foi razoável, mas nada que alguém guardará na sua memória, pelo menos em termos de wrestling

Já o mixed- tag match entre os Danielson e os Mizanin, sim isto visto assim parece uma luta de quintal entre dois casais vizinhos num programa de televisão americano, também foi nada de mais. Bryan e Miz desempenharam bem os seus papéis, como sempre, Brie e Maryse a mesma coisa, mas lá está, eu não achei nada demais e certamente não mais do que eu estava à espera, que não era muito diga-se já. Maryse mal lutou, Brie deu pancada no Miz, Bryan e Brie fizeram a mesma manobra no casal adversário, enfim…nada de novo ou entusiasmante. Felizmente os heels ganharam para se deus quiser, dar continuidade à rivalidade a solo entre Miz e Bryan, que na minha opinião, sem querer desrespeitar Brie ou Maryse, pois ambas fizeram bem aquilo que tinham a fazer, não precisava do envolvimento das duas.

Por fim, chegamos ao main-event. A palavra que me ocorre para descrever este combate é a mesma que usei para descrever o último episódio do Raw, caótico e não no bom sentido. Para começar, não fez sentido Mick Foley ser o special guest referee deste combate, na minha opinião não acrescentou grande coisa. Depois, gostava imenso que me explicassem duas coisas: Primeiro, como é que Strowman e Reigns ficam no chão durante 20 minutos, após um spear para cima de uma mesa, se já se levantaram mais rápido por coisas bem piores? Segundo, porque é que raio é que Dolph Ziggler achou uma boa ideia fugir para o topo da cela? Não me levem a mal, eu gostei dos spots protagonizados pelas duas tag-teams, apenas acho que não fizeram muito sentido acontecer. E para acrescentar isto tudo, só para deixar os fãs mais confusos, porque é que um combate Hell In a Cell terminou em no contest?

Eu acho que o erro que a WWE cometeu aqui nem foi o final ter sido no contest, porque eu percebo o motivo de ter terminado dessa maneira, ambos Reigns e Strowman precisavam de ser protegidos e se calhar não havia nenhuma maneira melhor de fazer isso, o erro foi a WWE ter bookado o combate como Hell In a Cell. Na minha opinião, Styles vs Joe teria sido mais adequado para este tipo de combate e isso traduziu-se no que foi o final do PPV, um combate Hell In A Cell que terminou em no contest, um tipo de combate que é suposto terminar feuds. Por fim, quero aproveitar para dizer que não sou contra o regresso de Lesnar, nem sequer contra o seu reaparecimento na órbita do Título Universal, desde que este não o ganhe outra vez, caso contrário vou ser forçado a opôr-me a ele e à sua mágnifica barba que tem neste momento. Mas pelo menos, temos agora um cliffhanger para o próximo Raw e tendo em conta os episódios da última semana, isso é algo de muito positivo, por isso vamos lá ver o que nos traz.

Obrigado a todos o que leram este artigo, este foi diferente de todos os outros, pois foi não só publicado na segunda-feira, como também foi uma espécie análise do PPV e se quiserem que eu faça mais artigos destes, pós PPV, digam aí nos comentários. Mas na próxima o More Than Words continuará a sair domingo e até lá, boa primeira semana de aulas para todos os que tiverem.

11 Comentários

  1. vedana há 2 meses

    só tenho uma coisa para brock : vai a merda, eu te odeio
    como lutador eu odeio ele

  2. Lana day há 2 meses

    De verdade acho que a Becky já está definida como heel desde que começou a feud.

  3. Anónimo há 2 meses

    já está saindo rumores, de que os planos para o combate de Charlotte vs Becky Lynch foram mudados de última hora, que os planos originais não era para a Becky vencer, que a Vitória dela foi só para agradar aos fãs.

  4. Sou do Russo há 2 meses

    Bom artigo amigo, como sempre :). Embora não comente sempre que publicas, sou um leitor assíduo e por mim podias continuar com estes artigos em que dás a tua opinião sobre o que aconteceu durante os pay per views. Resta-me desejar-te os parabéns e continuação de um bom trabalho como tens feito até agora

    • Muito obrigado, como nunca mais te vi já pensava que tinhas deixado de acompanhar os meus artigos 😂 Não, mas a sério, obrigado por seres um leitor assíduo, mesmo que não comentes, o facto de leres a maior parte dos meus artigos, para mim já significa muito.

    • Sou do Russo há 2 meses

      Sempre às ordens 🙂 uma sugestão para um artigo próximo (sei que é só em Janeiro) mas podias fazer um artigo em que falasses do royal rumble de 2019 onde dirias quais as tuas apostas para os vencedores tanto do feminino como do masculino… que estrelas gostarias de ver regressar nos mesmos… quem achas que possuírá os títulos máximos na altura, etc etc 🙂

    • Pois, se calhar não faz muito sentido fazer isso já já, mas sim isso é um bom tema do qual posso perfeitamente escrever um artigo sobre, obrigado pela sugestão 😉

  5. Pois, se calhar não faz muito sentido fazer isso já já, mas sim isso é um bom tema do qual posso perfeitamente escrever um artigo sobre, obrigado pela sugestão 😉

  6. Ronaldo há 2 meses

    Eu espero que a WWE não esteja nem de longe pensando em colocar algum título nas mãos do Brock Lesnar.Não que ele não seja capaz de ostentar um título pela trajetória e carreira que ele tem na luta livre,mas convenhamos,seu reinado mais recente foi um dos piores de todos os tempos.Se for pro Brock Lesnar voltar a ser campeão e ter um reinado como esse,então é melhor deixar as coisas como estão.

  7. Y2Jean há 2 meses

    Parabéns e por favor: Continuem escrevendo!

  8. Y2Jean há 2 meses

    Essas decisões totalmente sem sentido (como no contest num HIAC match, ziegler subir no topo da cell) é a “equipe criativa”? ou é o velho Vince?

Comentar