More Than Words #73 – Novo Formato

há 3 semanas 3

Um dos temas mais debatidos esta semana foi a mudança à volta do NXT. A WWE anunciou que a sua brand de desenvolvimento irá mudar o seu formato, isto é, os seus episódios deixarão de ser gravados e ter a duração de uma hora, para passarem a ser transmitidos em direto na USA Network com a duração de duas horas. Além disso, estima-se que os superstars do NXT irão receber melhores salários, equivalentes aos das superstars do main roster. Ora estas notícias geraram muito alvoroço, maioritariamente devido ao rumor de que Vince McMahon iria passar a supervisionar a brand de desenvolvimento.

Confesso que a mim estas notícias não me alarmaram muito ao início até porque eu não costumo acompanhar regularmente os episódios semanais do NXT, assistindo apenas aos PPV’S, mas depois comecei a pensar melhor e cheguei à conclusão de que há três fatores que me preocupam nesta mudança e que eu passarei a explicar de seguida.

Em primeiro lugar o que me preocupa é exatamente o que preocupa a maioria das pessoas e que eu já mencionei acima, que é a possibilidade bastante realista de Vince ter algum controlo sobre o programa. Um dos motivos relacionados com o sucesso que o NXT tem tido, é a sua consistência, o facto de ao contrário do main roster, conseguir ter várias storylines que têm um princípio, um meio e um fim coerentes.

Se Vince McMahon conseguir obter algum controlo criativo sobre as storylines do NXT, o mais provável é acontecer exatamente o que ocorre no main roster, que é um booking cheio de inconsistências, que tanto é capaz do muito bom, como do péssimo. A diferença é que, enquanto no main roster existem superstars mais experientes que de alguma forma conseguem dar a volta a esse booking, o NXT é uma brand de desenvolvimento e como tal muitas superstars não tem as competências, nem a experiência necessárias, para contornar a incosistência de Vince e se no main roster já há um grande problema em construir estrelas, o que é que aconteceria se o mesmo se passasse no NXT? Algo de bom não seria de certeza, mas o melhor é não sofrer por antecipação, porque ainda por cima isto ainda não passa de um rumor.

O Vince a pensar na ideia genial que seria ter um rematch entre estes dois, no kickoff…

O segundo fator que me preocupa já não é um rumor, é um facto, o NXT vai passar a ser transmitido em direto. Ora se por um lado isto é benéfico porque dá às superstars uma noção muito aproximada do que vão encontrar quando estiverem no main roster e assim ficarem mais preparadas para o futuro, por outro pode expor as fragilidades que muitas destas superstars têm seja ao nível do ringue ou do microfone.

Uma coisa é lutar em gravações, onde qualquer coisa que corra menos bem pode ser corrigida ou mesmo retirada do programa e superstars com pouca experiência no geral, ou com pouca experiência no que toca ao ambiente diferente da WWE em relação às indies, têm muita propensão a errar e ao vivo torna-se bastante difícil, ou mesmo quase impossível disfarça esses erros.

Lutar ao vivo é bastante diferente de lutar em gravações. Eu não sou wrestler e não conheço exatamente a sensação, mas tenho a consciência de que a pressão é muito maior e sob pressão é muito mais provável que as coisas não corram tão bem como se gostaria. Tudo bem que eles têm PPV’S, que são transmitidos em direto e em frente de milhares de pessoas, mas fazer isso mensalmente ou nem tanto, é diferente de fazê-lo semanalmente e com promos à mistura e tenho algum receio que lutadores menos experientes sofram com essa pressão e acabem por ser prejudicados.

Agora não se esqueçam de meter o Mansoor a fazer promos de 15 minutos logo para começar o show, fica logo na rota do Main Event, programa.

Em terceiro lugar e por último, outro aspeto que me preocupa é algo que se prende mais com o meu ponto de vista pessoal e que pouco ou nada pode afetar a WWE e os superstars envolvidos, que é a perda da essência do NXT. Eu sempre olhei para o NXT como um “mundo” afastado do main roster, apesar de ambos fazerem parte da WWE, sempre gostei de olhar para o NXT como algo diferente, como uma espécie de “nicho”, ao qual só os fãs mais acérrimos assistiam, estando afastado de todo o caos a que assistimos no RAW e no Smackdown.

E com esta mudança de formato, passando agora a ter uma maior duração e a ser transmitido em direto, o mais provável é que essa diferença já não seja tão notável, estima-se já que muitos superstars do main roster poderão fazer aparições no NXT.

Sabem quando se gosta de um determinado artista ou banda, que é conhecido apenas por uma pequena comunidade de fãs e não querem que eles se tornem famosos porque temem que isso afete a qualidade da sua música?

É exatamente isso que eu sinto em relação ao NXT, sempre olhei para a brand de Triple H como um “microcosmos” , no mundo enorme que é a WWE e tenho receio que o facto de poder deixar de o ser, de estar ao alcance de um público maior, acabe por apagar a sua identidade, tenho receio de estar a ver um episódio do NXT e pensar que estou a ver mais do mesmo, que o episódio tanto podia ser do NXT, como do SmackDown ou do RAW. Eu sempre olhei para a diferença entre o NXT e o main roster, como uma das maiores valias que a WWE possuía e se essa diferença for progressivamente atenuada, quase que passa a existir uma uniformidade no produto que a WWE oferece, e para mim, que valorizo bastante a diversidade, não acho que isso seja benéfico a longo prazo.

Desde que mantenham o Vince longe deste homem tudo bem, não vá ele decidir que o Patrick do Tough Enough é que era uma estrela.

No entanto, esta mudança ainda não se concretizou e como referi acima no artigo, isto é apenas sofrer por antecipação e isso nunca é bom, portanto a única coisa a fazer é esperar e ver que rumo é que as coisas tomam. Até lá, uma boa semana a todos e volto (desta vez é mesmo verdade) no próximo fim de semana, com mais um More Than Words.

3 Comentários

  1. Essa hora a mais no creio que vai ser benéfica. Hoje o que mais falta no NXT é a construção de personagens, muitas vezes os lutadores sobem ao Main Roster sem um personagem, e isso acaba o prejudicando. Outro ponto a se falar é sobre o Triple H, vai ser a chance dele mostrar como se sai cuidando de um show semanal televisionado.

  2. Showstealer há 3 semanas

    Mais um excelente artigo, Vasco. Partilho da tua opinião, o NXT é realmente um mundo aparte e todos tememos que estas mudanças afetem o seu propósito principal de criar estrelas. Parabéns por mais um texto muito assertivo!

  3. The voice of the voiceless há 3 semanas

    Para todos que reclamam da PG era o NXT é a resposta de que não é preciso deixar de ser PG para haver qualidade

Comentar