Top Ten #187 – 10 coisas que só o Goldust faria

Bem-vindos a um novo Top Ten! Como já podem ver, é focado num Superstar em particular e alguém que parece remodelar-se e regressar aos seus maneirismos de antigamente. Para gosto e regozijo do povo que já tinha saudades de um bom Goldust esquisito à antiga. Que acontece que Dustin Rhodes, ou Goldust, é um dos grandes de sempre – como o irmão o defendeu no Twitter, chamando-lhe futuro Hall of Famer, perante algum esperto que lhe chamou jobber – e não consegue deixar de ser um dos favoritos pessoais.

Com várias razões. O tipo é impecável em ringue e a idade não lhe parece pesar muito. Mas muito do seu factor especial está simplesmente no facto de ser hilariante. O que dava pena ultimamente com os Golden Truth que, para um dos “all time greats” como ele, foi um dos seus “all time lows.” Recordemos dez variados segmentos de risadas e mera esquisitice proporcionados por Goldust. Sim, só dez. Existem muitos mais.

10 – Katie Vick-zices à séria

Uma fase do caraças para Triple H. Envolvido em storylines infames, ora acusava Kane de necrofilia e recriava os tais actos sexuais num caixão, ora tinha implicações racistas para com Booker T. A fase em que era mais adorável. Eventualmente essa simpatia para com toda a gente viria morder-lhe o rabo, quando se aliassem contra ele. Não que lhe preocupasse muito, também ele tinha amigos e tinha mais manhas que todos juntos. Mas basicamente, Kane colaborava com Booker T que, por sua vez, já contava com Goldust como seu parceiro. E vinha este, à sua maneira, conversar com Kane mas o outro esquisito não estava com muita paciência para ele. É quando Booker T chega e demonstra compaixão para com Kane e os abusos sofridos às mãos de Triple H que Goldust faz das dele. Quando pergunta, retoricamente e de forma indignada, quem faria sexo com um cadáver… Adivinhem quem é o artista que timidamente levanta a mão…

9 – Pré-Golden Truth

Pronto, eu cedo. Antes que comecem a apanhar pedras do chão para arremessar-mas à testa por ter descartado os Golden Truth como uma das coisas más da carreira do Goldust e incluir a dupla aqui na listagem. A verdade é que na formação da dupla e nas tentativas de Goldust de convencer Truth a juntar-se a eles, existiram momentos terríveis e existiram outros capazes de puxar umas risadas, algumas fortes até. E ao empregar tais segmentos a Goldust – e também ao doido R-Truth – foi para capitalizar no factor cómico. E há que admitir que a bizarrice de Goldust a fazer uma espera na casa-de-banho tem uma esquisitice qualquer de levar a mão à testa mas também rir. E que o segmento no restaurante deixou os responsáveis pela classificação televisiva a ranger os dentes com o seu PG a tremer. Se calhar se fosse outro qualquer, não tinha nem um décimo da piada!

8 – Crocodile Hunter Goldust

Isto até parece um segmento que tivesse sido escrito para o Skinner. Mas duvido que alguma vez tivessem escrito alguma coisa sequer para o Skinner, logo saiu esta para o Goldust. Em tempos de rivalidade com a nWo, Goldust disfarça-se do mais destemido caçador de crocodilos e saca de uma análise científica aos membros da stable, digno de levar uma equipa de câmaras da National Geographic consigo. Seguindo a estrutura básica deste tipo de documentários como conhecemos – só faltava o Goldust andar escondido atrás de uma planta obstante como o Herman José – e apontando algumas características naturais da espécie como as suas “tendencies to suck”, Goldust é um estupendo anfitrião. Eu via uma série de documentários dele, sem dúvida!

7 – Goldust ou Regal?

Goldust e William Regal são dois veteranos que, ao imaginá-los juntos em ringue, pensamos em muita maravilha que daí possa sair. Acontece que os dois também são hilariantes quando é necessário, logo juntam-nos para a galhofa. Não sei se um “Trading Places” é mesmo uma coisa verdadeira e que já tenha acontecido antes mas num Raw em Las Vegas em que tiveram a ideia de fazer algo à volta disso, lá meteram esse conceito na infame roleta. Para William Regal e Goldust se enfrentar em ringue… A fazer um do outro. Se as imagens, por si, já são de causar um certo entalamento, a coisa culmina quando ambos começam a tomar gosto pelos maneirismos do outro: Regal acha piada a… bom, tudo o que se passa lá com Goldust. Goldust acha piada a ser um brigueiro sujo e utiliza isso para sua vantagem e vencer. Vá, quantos Superstars gostariam de ver num “Trading Places”?

6 – Manos vs Manos

Segmento recente que ainda nos traz saudades do Stardust. Não, não estou para aqui a dizer que o Stardust era brilhante e que queria o Cody Rhodes assim. Via mais o Stardust como uma personagem cheia de potencial que não capitalizaram e que era de tempo limitado. É mais isso. E quando surgiu inicialmente, em parceria com o irmão, o raio do gajo puxava umas gargalhadas. O Goldust até exclamava que ele era o normal! Um dos momentos mais divertidos deu-se no Main Event, quando ainda lá aconteciam coisas e os irmãos “Dust” concorriam com os irmãos Uso num concurso de definir quais dos irmãos se conheciam melhor. Era uma rivalidade que envolvia algum humor logo era um segmento mais descontraído. Mas não, não se safou de pancadaria. E com os irmãos pintados de dourado, só podia sair disparate. Entre os dotes artísticos de Goldust, o traseiro de Rikishi, a indignação de Stardust com o planeta “Uranus” e, de alguma forma, a mãe de JBL, todo o tipo de maluqueira foi abordada por aqui. Divertido e despachado para um “C Show”, daí que até o considere algo subvalorizado.

5 – Ah, Seven…

Ora essa. Nem toda a maluqueira que o Goldust fez, teve que a fazer como Goldust. Uma que lhe aponto mas que nem está aqui listado é aquela vez, como Dustin Rhodes, em que lutou num camião em andamento, mas isso já é outra categoria de outra coisa qualquer. Esta foi outro assunto mas foi no mesmo sítio. WCW, onde era difícil estar empregado sem fazer, pelo menos, uma parvoíce – que a WWE é extremamente diferente, realmente. Mas eram parvoíces da sua própria marca. Vinhetas apresentavam o assustador Seven que seria uma personagem misteriosa. Era feito apresentando-o a espreitar pela janela do quarto de uma criança. Qual predador de criancinhas e pedófilo perigoso. Não sei se é uma gimmick que resultasse em qualquer era. Seven lá acabou por estrear à boa moda da WCW: com uma falsa shoot em que se queixou das gimmicks horríveis que lhe eram dadas. Incluindo o Goldust. Como se esse não lhe tivesse dado maravilhas. Mas pronto, que seria desta era se não existissem as bocas entre companhias? Ficam as memórias de um “creepy” Seven que nunca aconteceu. Vejam lá se não era uma óptima personagem para o formato mais familiar do produto, para vender brinquedos?

4 – Darth Goldust

A dupla de Goldust e Booker T foi, de facto, icónica e até dava para preencher este Top Ten com eles os dois. Neste exemplo até é capaz de ser o Booker T a roubar o show. Mas há um bom trabalho conjunto. E envolve Star Wars. Porque tudo pode já envolver Star Wars, haverá alguma franchise mais icónica e fonte onde se beberá mais que essa clássica saga? Termos o Goldust a encarnar o nosso vilão redimido favorito, Darth Vader – ou será Darth Goldust – já se garante uma risada. E eles até têm respirações semelhantes. Booker T é que não estava para essas brincadeiras e infantilidades. Ele não é dessas parvoíces. Bom… Pelo menos até ter um lightsaber de brincar na mão. Aí deixou sair o Jedi que há em si e partiu para uma enorme dose de referências que eram um pouco demais para alguém que afirmava nunca ter visto os filmes. E pronto, mais um cenário em que Goldust até quase que era o mais normal por aqui.

3 – Couro ao Undertaker

Não é referente ao vestuário de Undertaker. É mesmo às perversidades de Goldust, no seu mais hilariante. Segmento antigo que considero muito subvalorizado, não vejo malta a falar disto ou a citá-lo quando é tão brilhante. E até serve para mais uma aclamação a Undertaker. Que mantinha a sua imagem intimidadora e não perdiu uma ponta de postura sem se esbardalhar a rir com os disparates que Goldust dizia enquanto… Se atirava a ele. É mesmo, parece que Goldust não resistiu ao charme semi-morto do grandalhão do Undertaker e procedeu às melhores manobras de engate para com o “Dead Man”. Muita coisa imprópria, mas que importa? Pronto, a Michelle McCool lá concordará com ele e Undertaker, mesmo com o seu ar assustador e envelhecido, até acaba por dar num gajo bizarramente bem-parecido. E aqui até era mais novo e tal. E pronto, Goldust não resiste às tentações! Ele é apenas um ser humano! Mais ou menos…

2 – Amor e Luna Vachon

Desde sempre que tivemos Luna Vachon na WWE – paz à sua alma – que nos deram a noção de uma simpatia e acessibilidade imensa. O que quero dizer, basicamente, é que queriam mantê-la na divisão das aberrações. Não foi a fazer par com Bam Bam Bigelow e a quase se envolver num triângulo amoroso com Bastion Booger que teve o seu mais esquisito, ora essa. Tinha mesmo que se aliar ao Goldust. E que belo par de jarras que aí tinham. E com dois tipos tão normais como estes, tinham que ir para o ringue da forma mais normal. Que nem um agradável e vistoso par de fetichistas, sadomasoquistas, o que fosse. Por norma, os papéis estavam divididos da mesma forma: Goldust era o escravo submisso, de trela e tudo, e Luna Vachon a dominatrix bruta. O melhor disto tudo? Tanta gentinha que ficava com os fluidos e os batimentos cardíacos acelerados com essa imagem! Nada contra!

1 – Síndrome de Tourette

O Síndrome de Tourette é um caso sério que dificulta a vida de quem dele padece, é uma anomalia bizarra e tem várias variações, muitas levadas para a brincadeira dado o seu surrealismo, mas é capaz de infernizar e arruinar a vida de alguém que tenha o problema. Recomenda-se o filme “Front of the Class”, de 2008, para melhor compreensão. Mas claro que o Goldust seria menino para ter o problema temporariamente. E deixar de lado qualquer seriedade do problema e arrancar risadas do povo com a gaguez e espasmos a meio dos seus já normalmente estranhos discursos. Chamemos-lhe uma outra variação então, chamemos-lhe um sub-síndrome, o de Goldust, em que tem episódios caricatos no backstage com Steve Austin e tenta confrontar Triple H em ringue, com muita dificuldade em manter a sua mensagem limpa, decente e sem sugestões matreiras. Pronto, com este síndrome brinca-se!

Dez momentos que só o Goldust sacaria o semelhante, de facto. Para sempre um favorito e realmente nunca houve algum parecido com ele, nem o próprio irmão quando entrou um pouco no seu mundo. Daqueles que nunca vai aparecer algum que alguém possa dizer que seja o “próximo Goldust”. Porque estas coisas aqui listadas não são o tipo de coisas que se podem dar a qualquer um e dizer “agora faz isso resultar.” Tudo isto para concluir um artigo que celebra um Superstar antes de se reformar, como parece que tem que ser a única altura. Mas parece que vai arrebitar outra vez e é razão mais que suficiente. Agora completem vocês, porque não são só dez, os momentos que só o Goldust conseguiria. Há mais e ficam a vosso cargo. Acrescentem à vossa vontade e digam lá o quão subvalorizado é Dustin Rhodes e a sua bizarra personagem. Para a semana devo trazer mais qualquer coisa, quer seja ela mais voltada para a risota ou não. O que interessa é que estejam cá para ver, depois de um Extreme Rules que vamos lá a ver como correu. Outro Mahal é que não sacaram dali, de certeza!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

1 Comentário

  1. 13cm - há 5 meses

    Esse é um dos grandes, que infelizmente não tem sua importância reconhecida.

Comentar

Editar avatar »