Frank casino

Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Como podem reparar pelo título, continuarei também esta semana a minha série de fantasy booking correspondente ao ano de 2016 da WWE. Contudo, antes de começar, recomendo a leitura prévia da primeira, segunda e terceira parte para que possam entender as histórias e as rivalidades que vou bookando durante este período.

Por outro lado, gostaria de ouvir sugestões. Eu no inicio disse que iria fazer apenas o booking de 2016, de Janeiro a Dezembro, mas por sugestão deixada à umas semanas ando a pensar acabar somente na WrestleMania 33, já em 2017. Gostaria de ouvir a vossa opinião e de quando gostariam que eu acabasse este fantasy booking.

Dito isto, vamos então retomar!

Pós-King of the Ring e build up para o SummerSlam

O RAW pós-PPV começa com os comentadores a anunciarem um combate, um title match pelo IC belt entre o campeão KO e o vencedor do King of the Ring Sami Zayn, dizendo que as pretensões de Sami no KOTR foram ouvidas. E são estes dois que abrem o RAW com a assinatura de contrato. Ambos ficam vários minutos em silêncio a olhar um para o outro, mas é KO o primeiro a falar. Este diz que não sabe porque tem de enfrentar Sami outra vez, mas que não está preocupado, pois o Sami não deixa de ser o Sami que perdeu na Mania e o Sami que neste momento não está ao seu nível. Sami responde dizendo que ele está totalmente enganado e que o vai mostrar porquê no SummerSlam.

KO vai-se irritando ao longo do segmento pois acha que não tem nada que provar, por isso a certa altura grita com Sami, o que leva a que os dois comecem uma brawl que já deviam ter tido à meses, descarregando toda a sua fúria nuns bons 20 minutos de luta pelo ringue, público e backstage, até que são separados. Perante estes acontecimentos, a WWE é obrigada a fazer do seu combate um Ladder match, coisa que vai anunciando ao longo das semanas.

Também no RAW pós-King of the Ring, o novo campeão da WWE, Dean Ambrose, vem ao ringue. Ele festeja com o público durante uns bons minutos, mas a certa altura pega no microfone. Diz que os últimos meses o têm feito pensar e que se prometeu a si mesmo que quando fosse campeão da WWE queria defender o seu título num combate muito especial. Ele chama Seth Rollins e Roman Reigns ao ringue e oferece um combate: no main-event do SummerSlam, ele quer defender o seu título contra ambos num Triple Threat entre os 3 ex-Shield, isto porque ele é um “fighting champion” e porque é a melhor maneira e a mais justa de decidir qual dos 3 é o melhor, mas diz que ou os dois estão de acordo, ou nada feito. Roman aceita o combate de imediato, pois quer recuperar o seu título, já Seth Rollins impõe uma condição: que os Usos estejam banidos do ringside. Depois de pensar, Roman acaba por aceitar e o Dream match está assim lançado. As semanas vão passando e o build up deste combate busca muito do passado: a história dos 3 desde que formaram o Shield e os diferentes caminhos desde que se separaram, os ressentimentos que ficaram depois disso e que vêm dos últimos meses. Todos dão entrevistas nesse sentido.

Porém, no último RAW antes do SummerSlam, é marcado um 3-on-2 Handicap match entre Ambrose e Rollins e os Samoan Bloodline. Estes três conseguem vencer devido à vantagem numérica e, no final, Roman aproveita para fazer a Triple Powerbomb nos seus dois ex-colegas, sendo assim o último a rir no caminho até ao Dream match que o público saliva para ver.

Já na divisão feminina, tudo volta a aquecer. Charlotte torna-se a nova nº1 Contender ao vencer Becky Lynch, Natalya e Naomi numa Quadrilha Fatal no SmackDown e vai enfrentar a campeã Sasha no segundo maior evento do ano. Era Becky quem estava inclinada para vencer o combate, mas Nia Jax estreou-se e atacou-a impedindo que a mesma vencesse. Ao longo das semanas, a WWE busca muito da feud entre as duas no NXT e de quanto ambas mudaram desde então.

No build up do title match, num RAW, Charlotte, ainda acompanhada do seu pai diz que tem um grande anúncio a fazer. Ela diz que desde a WM a sua carreira não tem tido o rumo que ela desejava e que isso é culpa única e exclusivamente de uma só pessoa, apontando surpreendentemente no sentido de Ric Flair nesse preciso momento. Foi ele que falhou em ajudá-la a manter o título na WM e foi ele que não usou a sua influência dentro da WWE para impedir o Cage match com Becky Lynch e que, por isso, os seus serviços estão dispensados. Nesse preciso momento ela dá um estalo no próprio pai e este sai do ringue com lágrimas nos olhos. A mesma acrescenta que no SummerSlam tem uma surpresa para Sasha.

Quanto a Becky Lynch, ela não se deixou ficar depois de Nia ter estragado a sua oportunidade. No backstage depois do combate, as duas começam uma brawl, mas que Nia consegue vencer devido ao seu tamanho. Nas semanas seguintes vemos Becky a tentar apanhar Nia nos corredores, mas esta consegue sempre ganhar vantagem pelo seu tamanho. É então que num RAW, Becky vem ao ringue e diz que está farta de servir de saco de pancada da Nia e que agora ela quer vencê-la no seu próprio jogo e nada melhor que um combate no SummerSlam para mostrar isso. Até ao PPV, tinha a Nia a dar uma entrevista de backstage dizendo que o facto de atacar Becky não é nada pessoal, mas que precisava de criar impacto na sua estreia.

Depois do que se passou no King of the Ring, Cesaro e Rusev passam de uma rivalidade centrada na competição para uma blood feud. Teria os dois em vários combates singulares que demonstrassem qual dos dois é o mais dominante. Num RAW, Rusev vence Zack Ryder em poucos minutos, mas no combate a seguir, Cesaro destrói Curtis Axel em poucos segundos. Ainda na rampa, Rusev olha para festejos de Cesaro bastante irritado com que vê. A poucas semanas do SummerSlam, é anunciado no SmackDown um combate entre os dois para o PPV, mas não um combate qualquer, um 2-out-of-3 Falls match para mostrar quem é mesmo o lutador mais dominante.

Também no RAW pós-King of the Ring temos o regresso da “Besta” Brock Lesnar, pela primeira vez desde que ele perdeu o título na WrestleMania. Paul Heyman diz que Lesnar não regressou pelo título e que não há título nenhum no mundo que o Brock precise de ganhar para mostrar alguma coisa. Ele voltou pois quer voltar a destruir alguém, ver sangue nas suas mãos, um oponente no chão caído e desesperado à sua frente. Com isto temos outro retorno, o de Randy Orton, que após meses de ausência por lesão regressa para grande ovação do público. Ele também pega no microfone, mas antes de falar fica cara-a-cara com a “Besta” sem qualquer medo. Quando parecia que ele ia falar, faz um RKO out of nowhere em Lesnar para surpresa de Paul Heyman, abandonando o ringue, enquanto Lesnar se levanta furioso.

No RAW seguinte, é a vez de Orton vir ao ringue. Ele começa uma promo onde diz que conhece Lesnar há muitos anos, já desde o tempo da OVW, mas que eles são muito diferentes: enquanto Lesnar aparece quando bem lhe apetece, Randy dá tudo o que tem à WWE, e só não dá quando não pode, quando está lesionado e que está farto de ver Lesnar a vir e ir, vir e ir e que quer pôr um ponto final nessa história, por isso, se o Lesnar quer alguém, se quer tentar vitimar alguém, que o faça se conseguir, no SummerSlam, contra ele mesmo. No RAW seguinte, Orton vence Fandango, mas após o seu combate, a música de Brock Lesnar toca e este aparece, deixando a “víbora” no chão após um F5. Também nesta rivalidade se torna fácil recuperar algum do passado de ambos, da sua estadia na OVW, na forma como se tornaram campeões mundiais tão novos, bem como o que fizeram depois disso: enquanto Lesnar abandonou a WWE; Randy ficou até aos dias de hoje.

Quanto à Wyatt Family, Bray Wyatt está imparável enquanto campeão dos EUA. Venceu todos os seus adversários e não sente que haja mais alguém interessado no seu título depois de ver a destruição que ele tem lançado sobre eles, que ele é um demónio pelo qual ninguém quer ser consumido. Porém, a certa altura, uma música conhecida dos fãs toca. Trata-se de Finn Bálor, ex-campeão do NXT que confronta Bray Wyatt. Frente-a-frente com Bray e os seus lacaios, ele diz muito confiante: “alguém por aqui falou de “demons””? O público sabe imediatamente do que ele está a falar, mas Bray parece confuso ao ouvir aquelas palavras.

No RAW seguinte, no ecrã gigante, Bray quer saber do que Finn falava na semana passada, mas não tem nada a temer. A in-ring debut do Finn Bálor é no mesmo show, e contra Erick Rowan! Ele consegue vencer o combate, mesmo com Strowman no ringside. No final ele avisa os dois, “agora podem dizer ao vosso líder que já sou merecedor”. No SmackDown seguinte, um combate entre ambos pelo título dos EUA é marcado para o PPV. Durante o build up, são feitos vários jogos psicológicos, desde uma promo do Finn a reencarnar no seu alter-ego, a Bray Wyatt a dizer que o único demónio verdadeiro que ele conhece, é ele mesmo. No último RAW antes do PPV, Finn também consegue vencer Braun após um Small Package depois contornar interferências por parte do Bray e do Rowan na parte de fora do ringue. A história deste combate é se o Finn consegue pôr fim à dominância de Wyatt que tem vencido todos os seus oponentes e que já é campeão há vários meses.

Também no primeiro RAW após o King of the Ring, John Cena vem ao ringue e diz que vai aproveitar o que ganhou no dia anterior no SummerSlam, quando ele enfrentar AJ Styles sem ninguém para ajudar este. Os Club aparecem e parecem decididos a atacar o Cena, mas os Lucha Dragons não se ficam e ajudam o ex-campeão Mundial. No backstage, após o incidente, Gallows e Anderson dizem que estão fartos de ver os Lucha Dragons a interferirem em assuntos alheios e que os querem ver no ringue no próximo RAW. No respectivo show, Gallows e Anderson vencem os campeões num Non-title match, mas é o suficiente para no momento a seguir os desafiarem para um title match no PPV.

No SmackDown seguinte, o match é anunciado. Até ao PPV, Kalisto vence Doc Gallows, mas Karl Anderson vence Sin Cara. No RAW antes do SummerSlam, um rematch do 6-man Tag do KOTR é marcado, mas termina em No Contest por ambas as equipas se envolverem numa grande rixa. Quanto à feud entre AJ Styles e John Cena decorreria quase nos mesmos moldes que na vida real, com a excepção que gostava de ver um combate de 15 minutos neste build up entre Karl Anderson e John Cena.

Quanto a Chris Jericho eu não tenho planos para ele no SummerSlam, por isso, seria anunciado que ele faria parte da equipa de comentadores no PPV.

SummerSlam 2016

– Sami Zayn vence Kevin Owens num combate de Escadote e torna-se o campeão Intercontinental.

– Nia Jax vence Becky Lynch. Antes de o combate começar, Nia ataca Becky ganhando uma preciosa vantagem. Becky aceita começar o combate, mas após uns 7 minutos acaba por perder após um Samoan Drop.

– Cesaro vence Rusev num 2-out-of-3 Falls match (2-1). Rusev consegue o primeiro pinfall após um Machka Kick, apenas para Cesaro recuperar após um Sharpshooter. Cesaro vence o último fall com um neutralizer. No final do combate, quando Cesaro tem finalmente uma oportunidade de festejar uma grande vitória, eis que Dolph Ziggler faz o seu retorno à WWE vindo do público e fazendo um Superkick em Cesaro. Isto marca o seu heel-turn.

– AJ Styles vence John Cena de forma totalmente limpa após uns 25 minutos de um óptimo combate e após 3 Styles Clashes.

– Doc Gallows e Karl Anderson vencem The Lucha Dragons e tornam-se os novos campeões de Equipas. No final do combate, AJ vem ao ringue e celebra com os seus companheiros dos Club, por os 3 terem vencido o seu combate.

– “Demon” Finn Bálor vence Bray Wyatt após 2 Bloody Sundays e torna-se o novo campeão dos Estados Unidos. Erick Rowan e Braun Strowman tentam ajudar Bray, mas não se entendem. Após esta derrota vou deixar o Bray sem aparecer durante algumas semanas.

– Charlotte vence Sasha Banks e torna-se a nova campeã Feminina. A certa altura do combate, o árbitro é derrubado. Para espanto de muitos, é Nia quem aparece. Esta ataca Sasha e permite a vitória de Charlotte. A câmara sai de cena com a “Rainha” a festejar nos ombros da samoana.

– Brock Lesnar vence Randy Orton. Logo que o combate começa, Orton saca de imediato um RKO, mas não é suficiente para vencer a “Besta”. Este consegue recuperar e vencer após 2 F5.

– Dean Ambrose vence Roman Reigns e Seth Rollins numa Ameaça Tripla e continua o campeão da WWE após um Dirty Deeds em Roman. O show acaba com Ambrose a festejar com um público satisfeito, enquanto um Seth Rollins desiludido fica sentado no ringside a olhar para Ambrose.

Pós-SummerSlam e build up para o No Mercy

O RAW seguinte começa com os Club a virem ao ringue. AJ Styles corta uma promo onde diz que depois da humilhação que Cena sofreu no SummerSlam tão cedo não irá voltar. Ele tem duas vitórias sobre o Cena e o Cena tem 0 vitórias sobre ele e sente que está a viver um sonho, mas que por falar em sonhos, há uma coisa que lhe falta fazer na WWE, que é ser campeão, por isso, ele chama Dean Ambrose ao ringue. Este aparece surpreendido, mas diz que entende porque Styles o chamou. De facto, depois de arrumar Seth Rollins e Roman Reigns no SummerSlam, Styles parece-lhe o adversário mais digno para defender o seu título, mas que quer defender o seu título o mais rápido possível, por isso, enquanto Styles espera, ele dá a sugestão de defender o seu título contra Anderson e Gallows em duas semanas seguidas para mostrar o quão “fighting champion” ele é.

No RAW seguinte, Ambrose defende o seu título contra Anderson num bom combate, enquanto Styles observa do lado de fora do ringue. E no RAW a seguir, Ambrose também vence Gallows e mantém o seu título. No final do combate, os 3 membros do Club entram no ringue e atacam Ambrose, terminando um segmento com um Styles Clash do AJ no campeão da WWE. No SmackDown a seguir, é a vez de AJ Styles entrar em acção, vencendo Goldust. No final, diz que está farto de esperar pela concretização do seu sonho, mas não se importa de esperar mais umas semanas para o conseguir em grande, por isso ele acorda a data do próximo PPV da WWE, o No Mercy como a data do seu confronto com Ambrose, coisa que este numa entrevista a seguir aceita.

Quanto a Gallows e Anderson, também não têm um “day off” no PPV, pois os New Day vencem uma Battle Royal para se tornarem o novos nº1 contenders aos títulos de Tag Team. No build up deste combate, teria palavra Dream tag team match a ser bastante referenciada pois este é verdadeiramente um deles. No último SmackDown antes do PPV, os Club vencem Ambrose e dois membros dos New Day, mas no final, sorrateiramente, Ambrose faz o Dirty Deeds em AJ Styles protegido pelos seus parceiros daquela noite e levanta o título mesmo em frente à cara de Styles.

Quem parece estar a viver um sonho é Sami Zayn. Este vence Tyler Breeze para defender o seu título duas semanas após o SummerSlam. Contudo, a maior ameaça ao seu título ainda está para vir, pois The Miz tornou-se o nº1 Contender ao seu título. Seria a feud habitual de uma face adorado pelos fãs e o heat do Miz, em que as interacções entre o Miz e o Sami seriam muito parecidas com as entre Miz e Daniel Bryan.

Já relativamente ao outro título do mid-card, por muito que me custe, tenho que respeitar a lesão de Finn Bálor. Logo no RAW pós-SummerSlam, ele vem ao ringue sozinho, com o braço ao peito claramente lesionado. Ele faz uma promo bastante curta, dizendo que para já tem que deixar este seu título e parar o momento todo que criou, mas que quando regressar ninguém o irá parar. Nem a ele, nem ao outro ele, deixando depois o ringue em jeito de despedida. Na mesma noite, é anunciado uma Triple Threat match no próximo PPV pelo vago título dos EUA, assim como um título novinho em folha que substituirá o belt que Wyatt estragou, que não é diferente do habitual, salvo pormenores. Quem se qualifica para o combate é Rusev, Jack Swagger e Sheamus.

Quanto ao título Feminino, depois dos recentes desenvolvimentos, no RAW pós-PPV é marcado para o RAW seguinte um tag team match entre Becky e Sasha contra Charlotte e Nia. Antes do combate, Charlotte e Nia fazem uma promo em que a primeira diz que conseguiu contratar os serviços da lutadora mais brutal da WWE e com ela ao seu lado ninguém conseguirá sequer chegar perto do seu título. Nesse mesmo combate, Becky consegue um pinfall surpresa na recém-campeã e levanta o seu título no final do combate. Na semana seguinte, temos um combate entre Sasha e Nia, mas que termina em No contest quando Charlotte e Becky se intrometem. Com isto, Becky diz que Charlotte e ela, em 2016, estão empatadas em uma vitória para cada e quer um combate de desempate, no No Mercy, com o título em jogo! No SmackDown seguinte, o combate é anunciado.

No último RAW antes do No Mercy, um novo combate entre Sasha e Nia Jax é marcado. A primeira, depois de uns 7 minutos a não conseguir dar resposta à força bruta da sua adversária, consegue um reversal surpresa para o Bank Statement e obriga a samoana a desistir. No final, Charlotte e Becky metem-se ao barulho e uma brawl começa. Já no backstage, Sasha diz que Becky pode contar com ela no seu canto no PPV.

Também é por esta altura que o Cruiserweight Classic termina. Ele decorreria nos mesmos moldes que na vida real, mas com um vencedor diferente, que foi Cedric Alexander e que se tornou o primeiro campeão dos Cruiserweights desde que esta divisão foi reintroduzida. Contudo, o torneio não iria decorrer só com nomes do NXT ou novos na WWE, também lutadores do main-roster iriam participar (ex.: Lucha Dragons). Também não haveriam cordas roxas e a divisão não ficaria isolada pois os cruiserweights podiam lutar contra qualquer membro ou tag team do roster.

O campeão aparece no RAW e diz que quer competição. É marcado na hora um 4-way match com TJ Perkins, Kalisto, Drew Gulak e The Brian Kendrick com o campeão a assistir na mesa de comentadores. É Brian Kendrick que consegue a vitória e o combate fica marcado para o No Mercy. A história que queria retratada para este combate era o facto de Brian Kendrick achar que foi ele o responsável pela sobrevalorização desta divisão há muitos anos atrás, coisa que ele entendia não lhe ter sido valorizado, mas que Cedric o deveria fazer. Kendrick usa o microfone como sua arma, ao passo que o campeão vai coleccionando vitórias em Non-title matchs até ao PPV.

Quanto a Roman Reigns e Seth Rollins eu teria os dois a entraram numa feud após o SummerSlam. Ambos se culpam de Ambrose ter saído do PPV com a vitória e Seth Rollins, principalmente, ainda tem bastante rancor pela forma como Roman o conseguiu vencer no MITB e no King of the Ring. Num segmento de backstage, ele desafia Roman para um Last Man Standing match no No Mercy. Roman aceita, mas Seth diz que se ele acha que Roman vai dispor dos Usos o quanto quiser para ganhar está enganado, porque ele fez dois bons amigos nos últimos tempos.

No RAW, Seth Rollins vence Jey Uso e, no momento a seguir, consegue também uma vitória contra Jimmy Uso. No final, os 3 elementos dos Samoan Bloodline fazem um ataque feroz a Rollins, mas a música dos American Alpha toca e os dois estreiam-se e ajudam Rollins. Fica assim mais do que provado que Reigns não tem vantagem nenhuma no No Mercy. No último SmackDown antes do PPV, é também anunciado que o combate será pelo nº1 contendership ao título da WWE e no mesmo show os Samoan Bloodline vencem os AA e Rollins num 6-man Tag.

Por fim, quanto a Randy Orton, ele dá uma entrevista em diz que está desiludido com o resultado do SummerSlam, mas que tem se seguir em frente. Nesse preciso momento, ele é atacado pelas costas por um KO totalmente frustrado por ter perdido o título Intercontinental. Na semana seguinte, KO corta uma promo onde diz que a “víbora” já não tem a mesma capacidade que em tempos teve. Orton foi um dos lutadores mais violentos que ele já viu, mas que agora não é mais do que uma “lagarta prontinha a virar borboleta”. Termina dizendo que é um momento óptimo para entrar em colisão com ele e vencê-lo facilmente e o momento para “pescar um peixe maior”. Com isto, Orton aparece e os dois começam uma brawl. KO parece ganhar vantagem, mas Orton saca um RKO e sai em vantagem do segmento. Ao longo das semanas é anunciado um combate entre ambos para o PPV.

Ainda a destacar Chris Jericho. Num RAW, depois de vencer o seu combate contra R-Truth, diz que não vai passar outro PPV em claro e que para todos os membros do roster estarem atentos…

Por fim, naturalmente que iniciaria uma rivalidade entre Ziggler e Cesaro depois do que se passou no SummerSlam. Cesaro tenta encontrar várias vezes o Ziggler no backstage mas não consegue. Já no ringue, Cesaro ia começar a falar, mas Ziggler aparece no ecrã gigante bastante sério a dizer que não se encontra na instalações, mas que se Cesaro quer respostas ele pode estar no RAW para a semana, mas com uma condição, Cesaro não lhe pode tocar e se o fizer, ele volta a desaparecer, algo que Cesaro concorda. Na entrevista da semana a seguir, Ziggler diz que já esteve na posição de Cesaro, já fui apoiado pelos fãs e fazia de tudo para os conquistar, mas que foi isso que o levou a ficar para trás, pois ele jogou para um público que rapidamente se esqueceu dele e começou a gostar mais dos “brinquedos novos” como Cesaro ou Sami Zayn.

Diz que após a Mania ele estava prestes a desistir, que a sua carreira pareceu terminar mesmo em frente aos seus olhos, mas que a única coisa que o fez querer voltar é destruir esta nova geração que lhe roubou o protagonismo quando nem consegue fazer 1/3 do que ele é capaz de fazer no ringue e que vai começar por Cesaro. No mesmo RAW, Cesaro vence o seu combate. No final diz que este novo Ziggler só sabe falar e quer saber se ele vai fazer mais do que isso. Na semana seguinte, é anunciado que Dolph voltará aos ringues no seu primeiro combate em meses contra Heath Slater. O mesmo vence facilmente o combate, mas após o mesmo, Cesaro aparece e Ziggler sai fora do ringue, mas pega num mic. Ele diz que eles não vão lutar ali e agora, e que só o irão fazer nas suas condições. Ele diz que um dos seus problemas no passado foi dar tudo pelos fãs, mas que agora não o vai fazer, ele é uma estrela e como a estrela que é não tem de lutar todas as semanas para agradar a ninguém. Se Cesaro quer o combate, só o vai ter no PPV No Mercy. Cesaro aceita e o combate está lançado.

No Mercy 2016

– Doc Gallows e Karl Anderson vencem The New Day e mantêm os seus títulos de Tag Team.

– Dolph Ziggler vs. Cesaro acaba em No Contest. Depois de uns bons 8 minutos de combate, Ziggler parece farto e começa a deslocar-se para ir embora, contudo Cesaro vai atrás dele e ambos começam uma grande rixa que só termina na rampa de entrada quando Ziggler atira Cesaro de uma grande altura, pondo em risco a carreira do Suíço.

– Randy Orton vence Kevin Owens com um Small Package rápido e deixa KO irritadíssimo, ao mesmo tempo que sai do ringue com uma cara de gozo.

– Rusev vence Jack Swagger e Sheamus num 3-way Dance e torna-se o novo campeão dos Estados Unidos. O finish é um Brogue Kick de Sheamus em Swagger. Quando este parecia ter o combate ganho, eis que Rusev o atira fora do ringue e aproveita para fazer o pin e vencer o combate.

– Sami Zayn vence The Miz com um Halluva Kick e mantém o seu título Intercontinental.

– Cedric Alexander vence The Brian Kendrick com um Lumbar Check e continua campeão dos Cruiserweights.

– Charlotte vence Becky Lynch com um Natural Selection e mantém o seu título Feminino. Sasha tenta impedir várias vezes que Nia interfira, mas perde para o seu poderio físico. No final, Charlotte e Nia lançam um ataque feroz a Becky e a Sasha, mas a certa altura, Bayley aparece, fazendo assim a sua estreia no main-roster. Já em vantagem numérica, as faces expulsam as heels do ringue.

– Seth Rollins vence Roman Reigns num Last Man Standing e é o nº1 Contender ao título da WWE. Os Usos tentam inferir no combate, mas os AA levam-nos para fora do ringside deixando o Roman e Seth sozinhos nos seus assuntos.

– AJ Styles vence Dean Ambrose e torna-se o novo campeão da WWE. Anderson e Gallows são expulsos do ringside pelo árbitro, mas a certa altura o árbitro é derrubado. Para espanto de muitos, um homem encapuçado entra no ringue e ataca Dean Ambrose, revelando-se logo a seguir, trata-se de Chris Jericho! Após isto, Styles faz um Styles Clash para arrecadar a vitória e o titulo mais prestigiado do mundo.

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

21 Comentários

  1. Leleco5 meses

    Bom artigo, eu recomendo que você encerre na WM, afinal a WM na teoria é a season finale da WWE.

  2. Parabéns pelo 55° artigo. Até parece que foi ontem que publicaste o primeiro artigo, como o tempo passa rápido.

  3. Boas, continuo a gostar bastante deste fantasy booking, e acho que seria mais interessante terminá-lo no grandest stage of them all, abraço.

  4. Sandrojr5 meses

    Que grande criatividade para fazer esse booking hein, ótimo artigo

  5. Descafeinado5 meses

    Boas histórias, no entanto facilitava me a ler se o artigo fosse em listas. Abraço

  6. Richard5 meses

    Excelente artigo também apoio o booking até a WM 33

  7. Kick_Ass5 meses

    Continua! Está muito bom, parabéns.

  8. Ricardo Gonçalo5 meses

    Muito bom. Não acompanhava e fui “obrigado” a ler tudo desde o início… gostava de continuar a ler coisas idênticas depois desta terminar… este tipo de fantasy booking leio desde á cerca de 15 anos e faz um bom tempo que não lia algo assim. Boa continuação…

  9. Vitor Oliveira de Souza5 meses

    Gosto bastante desses artigos de booking fantasy , porem penso que seria interessante futuramente fazer do momento atual da wwe (por exemplo: começar desse próximo MITB e terminar na Mania 37).

  10. Litos5 meses

    Esqueci-me completamente de comentar a terceira parte a tempo, o que é uma pena porque digo-te já que gostei bastante. Nesta, tenho algumas coisas que acho que devias ter feito umas mudanças pequenas.

    O Summerslam foi muito bem construído, mas houve dois pormenores que podias ter mudado, que até podem ser teimosia minha: o combate entre o Zayn e o Owens podia ter sido algo mais violento sem ser um Ladder match. Podias ter aproveitado as brawls deles para fazer um Last Man Standing ou No Holds Barred, alguma cena assim. A outra é a triple threat entre os Shield. O Ambrose, enquanto campeão, pode ser um fighting champion na mesma sem oferecer oportunidades pelo título. In kayfabe o Rollins, como orquestrou o fim dos Shield, e o Roman, pelo heel turn, não merecem o respeito do Dean apesar de eles já terem sido amigos antes. Podias ter feito um combate entre o Roman e o Rollins acabar sem vencedor e aí sim o Dean vinha e dizia que queria enfrentar os dois.

    Das coisas que gostei mais foi a rivalidade entre a Becky e a Nia, espero que continues com isso, especialmente se for para acabar num gimmick match. O No Mercy foi muito bom e há muitas pernas para andar. Talvez o Randy podia ter ganho limpo em vez de um small package xD

    Continua!

    • Facebook Profile photo

      Muito obrigado!
      Em relação ao Ladder match, eu pensei em fazer um No Holds Barred, mas queria fazer um combate diferente e acho tentar que os dois mostrassem o que já tinham feito na ROH num combate com a mesma estipulação. Mais, o Ladder match tem história com o título Intercontinental, mas percebo que queres dizer.
      Em relação ao Triple Threat, agora que penso realmente podia ter feito de outra maneira. Pensei nessa hipótese de um combate sem vencedor, mas é algo que fiz abundantemente ao longo desta série e não queria repetir.
      Sempre achei que a Nia para entrar no main-roster tivesse de ser com impacto e não a derrotar talentos locais só porque sim…
      Vencer com um small package é vencer de forma limpa ahahah, é um wrestling move e para além de fazer sentido com a história que estava a contar, protegeu o KO que tinha acabado de perder o IC title.