A WWE está a ser afectada por uma nova vaga de casos de COVID-19, sendo que houve várias ausências no Raw e existe algum receio que o Day 1 do próximo sábado possa sofrer algumas alterações no card que está anunciado.

Entretanto e segundo Dave Meltzer no Wrestling Observer Radio, além de abandonar os testes regulares obrigatórios contra a COVID-19, a WWE está neste momento a ponderar reduzir ou reactivar algumas outras medidas.

O jornalista não conseguiu confirmar a 100%, mas ao que tudo indica, a WWE estará a seguir as recomendações da CDC (Centro de Controlo e Prevenção de Doenças) e deverá diminuir o tempo de quarentena de 10 para 5 dias caso a pessoa infectada esteja assintomática e apresente testes negativos em dois dias seguidos.

A confirmar-se a redução deste tempo de isolamento, as Superstars que ficaram infectadas com a COVID-19 durante o último fim de semana terão hipótese de participar no Day 1 do próximo dia 1 de Janeiro de 2022.

No entanto, Dave Meltzer afirmou que neste momento é ainda obrigatório o uso de máscara no backstage da WWE e que quem não o fizer é multado. Já sobre a toma da 3ª dose (reforço) da vacina contra a COVID-19, a WWE recomenda que os lutadores a tomem, mas não é algo que seja para já obrigatório.


O que pensas destas alterações nas medidas que a WWE está a tomar contra a COVID-19?

3 Comentários

  1. El Cuebro3 semanas

    Cara o que a WWE está pensando, colocando seus funcionários em risco, eu acho completamente ridículo isso, deviam manter todos os protocolos à risca, nada de aliviar, porque a covid não está aliviando em nada lá nos USA!!

  2. Rui3 semanas

    Mais vale a pena voltar ao thunderdome do que fazer algo que pode arrepender mais tarde

  3. Não era suposto aumentar?